O ato(r) responsável: o atuador da Terreira da Tribo

Autores

  • Andrea Aparecida Paris Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Teatro (PPGT). Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101222014123

Resumo

Este artigo procura aproximar o conceito de atuador, explorado pela Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, da proposta de Ato Responsável, desenvolvido pelo pesquisador russo Mikhail Bakhtin. Para isso, relata a trajetória do termo atuador no teatro Oficina e o seu desenvolvimento posterior na Tribo de Atuadores e também descreve o ato responsável, considerado pelo autor russo como um ato em resposta à alguma necessidade ou questão do mundo. Serão expostos alguns princípios artísticos, políticos e pedagógicos que refletem na postura ética que os atuadores da Tribo de Atuadores adotam em suas criações artísticas e podem ser considerados como atos responsáveis.

Biografia do Autor

Andrea Aparecida Paris, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Teatro (PPGT). Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Doutoranda em Teatro pelo Programa de Pós-Graduação em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) na linha de pesquisa Linguagem, Corpo e Subjetividade. Bacharel em interpretação pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) em 2005. Mestre em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) em 2010. Pesquisa na área da formação do ator: Interpretação, Improvisação, Preparação Corporal e Ritmo da cena.

Downloads

Publicado

2014-07-19

Como Citar

Paris, A. A. (2014). O ato(r) responsável: o atuador da Terreira da Tribo. Urdimento - Revista De Estudos Em Artes Cênicas, 1(22), 123 - 132. https://doi.org/10.5965/1414573101222014123

Edição

Seção

Fluxo Continuo