MUDANÇAS NO CENÁRIO CONTÁBIL - NOVOS PROCEDIMENTOS: ABORDAGEM DO TESTE DE RECUPERABILIDADE DE ATIVOS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Joana Lohn

Resumo

A convergência da Legislação Contábil Brasileira às Normas Internacionais de Contabilidade pode ser considerada um dos assuntos mais debatidos nas áreas contábil, econômica e jurídica, em função das inovações que apresenta para o contexto brasileiro. O objetivo deste artigo é discutir o teste de recuperabilidade como instrumento de avaliação patrimonial. O estudo é de natureza básicaconfigura-se como pesquisa exploratória por meio de estudo bibliográfico. As discussões realizadas permitem inferir que no conjunto das alterações das normas e procedimentos contábeis, visando à melhor adequação de métodos de controle e avaliação, o teste de recuperabilidade apresenta-se coerente como mecanismo de avaliação de ativos. Estas mudanças no cenário contábil requerem processos formativos para que o profissional da Contabilidade agilize a adoção das normas internacionais nas organizações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Laffin, M., & Lohn, J. (2013). MUDANÇAS NO CENÁRIO CONTÁBIL - NOVOS PROCEDIMENTOS: ABORDAGEM DO TESTE DE RECUPERABILIDADE DE ATIVOS. Revista Brasileira De Contabilidade E Gestão, 2(4), 60-73. Recuperado de https://revistas.udesc.br/index.php/reavi/article/view/3955
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Marcos Laffin, UFSC

Marcos Laffin Bacharel em Ciências Contábeis pela Univille, Especialista em Contabilidade Gerencial pela Unicentro, Mestre em Metodologia do Ensino pela Unicamp e Doutor em Engenharia pela UFSC; é Professor Associado do Departamento de Ciências Contábeis da UFSC e coordena o NETEC – Núcleo de Estudos Sobre Trabalho e Ensino em Contabilidade. Pró-Reitor de Ensino de Graduação da UFSC 2004-2008 e Presidente do ForGrad - Fórum Nacional de Pró-Reitores  de Graduação das Universidades Brasileiras 2007-2008. Pesquisador  em Diretório de Pesquisas - Ensino de Contabilidade. Criou e desenvolveu a Revista Contemporânea de Contabilidade.

Joana Lohn, UFSC

Estudante do curso de graduação em Ciências Contábeis da UFSC. Bolsista de Iniciação Científica no NETEC.

Referências

ALVES, A. J. A Revisão da Bibliografia em teses e dissertações: meus tipos inesquecíveis.

Cadernos de Pesquisa da UFRJ, nº 81, p. 53-60. São Paulo, maio de 1992.

ANTONELLI, R. A.; COLAUTO, R. D.; CUNHA, J. V. A. Expectativa e satisfação dos alunos de Ciências Contábeis com relação às competências docentes. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación. v. 10, n 1, 2012.

BRAGA, H. R.; ALMEIDA, M. C. Mudanças contábeis na lei societária: lei nº 11.638, de 28- 12-2007. 1. ed. 3. reimpresso. São Paulo: Atlas, 2009.

BRASIL. Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações.

Diário Oficial da União, Brasília, 17 dez. 1976. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6404compilada.htm>. Acesso em: 10 set. 2012.

. Lei nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Altera e revoga dispositivos da Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei no 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras. Diário Oficial da União, Brasília, 28 dez.2007. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Lei/L11638.htm>. Acesso em: 10 set. 2012

. Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009. Altera a legislação tributária federal relativa ao parcelamento ordinário de débitos tributários; concede remissão nos casos em que especifica; institui regime tributário de transição e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 28 maio 2009. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007- 2010/2009/lei/l11941.htm>Acesso em: 10 set. 2012.

CARVALHO, L. N. de. Contabilidade Internacional: aplicação das IFRS 2005. São Paulo: Atlas, 2006.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica: para uso dos estudantes universitários. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1983.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. Resolução nº 1.055/05, de 24 de outubro de 2005. Cria o Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em 10 set. 2012.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Pronunciamento Conceitual Básico (R1) - Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Relatório Contábil - Financeiro. Disponível em: <http://www.cpc.org.br>. Acesso em 10 Set. 2012.

. Pronunciamento técnico CPC 01 (R1) – Redução ao valor recuperável de ativos.

Disponível em: <http://www.cpc.org.br>. Acesso em 10 Set. 2012.

DELLOITE. Normas Internacionais de Contabilidade – IFRS – São Paulo: Atlas, 2006.

DRUCKER, P. Além da revolução da informação. São Paulo: HSM MANAGEMENT, Informação e Conhecimento para a Gestão Empresarial, Editora Savana Ltda., nº 8, ano 3, Janeiro-Fevereiro, 2000.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

MARTINS, E. et al. Manual de contabilidade societária: aplicável a todas as sociedades de acordo com as normas internacionais e do CPC. São Paulo: Atlas, 2013.

MALACRIDA, M. YAMAMOTO, M. PACCEZ, J. D. Fundamentos da Contabilidade. São Paulo: Saraiva, 2011.

MARION, J. C. Contabilidade Empresarial. 15. Ed. - São Paulo: Atlas, 2009. MINAYO, M. C. S.; MINAYO-GOMÉZ, C. Difíceis e possíveis relações entre métodos quantitativos e qualitativos nos estudos de problemas de saúde. In: GOLDENBERG,

P.; MARSIGLIA, R. M. G.; GOMES, M. H. A. (Orgs.). O clássico e o novo: tendências, objetos e abordagens em ciências sociais e saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz,

p.117-42.

MONTOTO, E. Contabilidade geral esquematizado. São Paulo: Saraiva, 2011.

MOSCOVE, Stephen A. SIMKIN, Mark G. BAGRANOFF, Nancy A. Sistemas de informações contábeis; tradução Geni G. Goldschmidt. São Paulo: Atlas, 2002.

NIYAMA, J. K. Contabilidade Internacional. 1ª ed. São Paulo: Atlas, 2009.

PIRES, C. B.; OTT E.; DAMACEBA, C. A Formação Do Contador E A Demanda Do Mercado De Trabalho Na Região Metropolitana De Porto Alegre (Rs). Revista BASE São Leopoldo RS; Nº 4. Vol. 7 out/dez; 2010 p. 315-327

RIBEIRO FILHO, J. F.; LOPES, J.; PEDERNEIRAS, M. (Orgs.). Estudando a teoria da

contabilidade. São Paulo: Atlas, 2009.

SANTOS, J. L. dos et al. Estudo comparativo do tratamento contábil dos prejuízos não realizados intercompanhias na consolidação nas normas brasileiras, internacionais e nos US- GAAP. Revista Brasileira de Contabilidade, Brasília, n. 183, p. 95-109, maio/junho 2010.

SANTOS, J. L. dos; MACHADO, N. P.; SCHMIDT, P. Teste de impairment para ativos de longa duração: tratamento contábil de acordo com o SFAS nº. 144. Revista Contexto. 5. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2003.

SILVA, C. B. da; MADEIRA, G. J.; ASSIS, J. L. F. de. Harmonização de normas contábeis: um estudo sobre as divergências entre normas contábeis internacionais e seus reflexos na contabilidade brasileira. Revista Contemporânea em Contabilidade, Florianópolis, v. 1, n. 2, jan./jun. 2004.

SOUZA, M. M. de. Perda no Valor Recuperável de Ativos: Fatores Explicativos do Nível de Evidenciação das Empresas de Capital Aberto Brasileiras. Mestrado em Contabilidade - Dissertação de Mestrado, 128 p. PPGC/UFSC, Florianópolis SC, 2011.

SOUZA, M. M. de; BORBA, J. A.; ZANDONAI, F. Evidenciação da Perda no Valor Recuperável de Ativos nas Demonstrações Contábeis: uma Verificação nas Empresas de Capital Aberto Brasileiras. Revista Contabilidade Vista & Revista, ISSN 0103-734X, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 22, n. 2, p. 67-91, abr./jun. 2011.

ZANDONAI, F.; BORBA, J. A. O que dizem os achados das Pesquisas Empíricas sobre o Teste de Impairment: uma análise dos Journals em língua inglesa. Contabilidade, Gestão e Governança, Brasília. v. 12. n. 1. p. 24 - 34. jan/abr 2009.