Autorrepresentação: histórias das mulheres e histórias feministas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234613312021231

Palavras-chave:

História da arte, artistas mulheres, feminismos, auto representação.

Resumo

Este artigo tem como proposta traçar reflexões sobre a autorrepresentação de mulheres artistas nas exposições Histórias das mulheres: artistas até 1900 e Histórias feministas: artistas depois de 2000, mostras que aconteceram no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp), em 2019. A investigação parte de duas vivências: a visita ao museu e as relações estabelecidas com os textos publicados no catálogo e na antologia, em construções dialógicas entre as teóricas Ana Paula Cavalcanti Simioni, Linda Nochlin e Michelle Perrot. Pela pesquisa foi possível perceber a importância da autorrepresentação como recurso axiomático, que expõe conflitos de gênero no âmbito das artes, e seu poder transformador de expressar-se politicamente, criando representações de si em outras formas de ser e estar no mundo.

 

Biografia do Autor

Marta Mencarini Guimarães, Universidade de Brasília -UnB

Mestre em Arte e Tecnologia pela Universidade de Brasília/UnB (2010). Experiência na área de artes, transitando pela história da arte, pintura, fotografia, colagem, videoarte, performance, multimídia e cinema ao vivo. Professora Substituta/visitante do Instituto de Artes - IDA, Departamento de Artes Visuais - VIS da Universidade de Brasília - UnB. Integrante do Corpo Docente do Departamento de Comunicação, Assessora da Pró-reitoria de Extensão_PROEX e Núcleo de Extensão_NEXT do Centro Universitário ICESP. Integrante do Coletivo Artístico Grupo Mesa de Luz.

Referências

ALVES, Caroline Farias. Arte, gênero e sociabilidade: Nair de Teffé, a brasileira retratada por Georgina de Albuquerque. 2019. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de pós-graduação em História, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora/MG, 2019.

BONNET, Marie-Jo. Femmes peintres à LeurTravail: de l’autoportrait comme manifeste politique (XVIIIe-XIXesiècles), Revue d’Histoire Moderne et Contemporaine, Paris, nº 49-3, set., 2002, p. 140-167. Disponível em: https://www.cairn.info/revue-d-histoire-moderne-et-contemporaine-2002-3-page-140.htm, acesso em: 30/07/2021.

BORDO, Susan. Feminism, Foucault and the politics of the body. In: RAMAZANOGLU, Caroline (org.). Up Against Foucault: Exploration of some Tensions between Foucault and Feminism. Londres e Nova York: Routledge, 1993.

LEME, Mariana; PEDROSA, Adriano; RJEILLE, Isabella (org.). Histórias das mulheres, histórias feministas. Vol. 1. Antologia. São Paulo: Masp, 2019.

LIPPARD, Lucy. Projecting a Feminist Criticism. Art Journal, n.35, 1976.

MACEDO, Ana Gabriela. Mulheres, arte e poder: uma narrativa de contrapoder?. Estud. Lit. Bras. Contemp., n. 37, p. 61-77, 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/2316-4018374. Acesso em: 3 jun. 2020.

NOCHLIN, Linda. How feminism in the arts can implement cultural change. Texto originalmente publicado em KAMARCK, Edward (ed.). Arts in society: women and the arts, v. 11, n. 1. p. 80-89, 1974. Traduzido do inglês por Denise Bottmann, a partir da mesma fonte. In: PEDROSA, Adriano, CARNEIRO, Amanda; MESQUITA, André; (org.). Histórias das mulheres, histórias feministas. Vol. 2. Antologia. São Paulo: Masp, 2019.

NOCHLIN, Linda. Por que não houve grandes mulheres artistas?. 2016. Disponível em: http://www.edicoesaurora.com/ensaios/Ensaio6.pdf. Acesso em: 24 set. 2019.

EDROSA, Adriano, CARNEIRO, Amanda; MESQUITA, André; (org.). Histórias das mulheres, histórias feministas. Vol. 2. Antologia. São Paulo: Masp, 2019.

PERROT, Michelle. Minha história das mulheres. São Paulo: Contexto, 2007.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica in: Educação & Realidade, v.20, n.2, Porto Alegre. jul./dez. 1995. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71721, acesso em: 30/07/2021.

SHOHAT, Ella. Introduction in Talking Visions: Multicultural Feminism in a Transnational Age. Nova York/Cambridge: New Museum of Contemporary Art e MIT Press, 2001.

SIMIONI, Ana Paula Cavalcanti. A difícil arte de expor mulheres artistas. Cadernos Pagu, Campinas, n. 36, 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-83332011000100014. Acesso em: 23 out. 2019.

SIMIONI, Ana Paula Cavalcanti. O autorretrato feminino no Brasil oitocentista: Abigail de Andrade e os impasses da representação. Caiana, Revista de Historia del Arte y Cultura Visual del Centro Argentino de Investigadores de Arte (CAIA), n. 3, 2013. Disponível em: <http://caiana.caia.org.ar/template/caiana.php?pag=articles/article_2.php&obj=119&vo l=3>. Acesso em: 30 out. 2019.

Downloads

Publicado

2021-09-01

Como Citar

GUIMARÃES, M. M. Autorrepresentação: histórias das mulheres e histórias feministas. Palíndromo, Florianópolis, v. 13, n. 31, p. 231-247, 2021. DOI: 10.5965/2175234613312021231. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/16589. Acesso em: 28 out. 2021.