Fazer manualidades no espaço público: praticar encontros

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/23580925242020150

Palavras-chave:

cidade, relação, performance

Resumo

Este artigo trata das reflexões elaboradas a partir da prática Com as mãos na rua. Baseado em três encontros específicos decorrentes de tal prática, vou tecer a sugestão de que durante seu acontecimento surgem modos de convivência social dissidentes do habitual. Para isto serão articuladas discussões pelas seguintes perspectivas: a visão contemporânea sobre o gesto da caminhada pelo autor italiano Adriano Labbucci na primeira parte; o conceito de Escultura Social desenvolvido pelo artista alemão Joseph Beuys, e os fundamentos antroposófico sobre os fazeres manuais por Rudolf Steiner na segunda parte; a noção de Programa Performativo pela artista brasileira Eleonora Fabião, e o conceito de inoperosidade do filósofo italiano Giorgio Agamben na terceira e última parte.

Biografia do Autor

Fernanda Rodrigues Perondi, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Fernanda Perondi é Mestranda em Teatro (CEART/UDESC) e Graduada em Artes Cênicas: Interpretação (UNESPAR). Atriz da Minha Nossa Cia. de Teatro desde 2009 e autora-praticante da Prática Com as mãos na rua desde 2017. Entre suas formações se destaca a realização da residência artística FIA-2015 no Cento em Movimento (PT). Suas áreas de investigação permeiam as questões do corpo em espaço público, arte relacional e participação e performance.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Nudez. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

AGAMBEN, Giorgio. O uso dos corpos [Homo Sacer, IV, 2]. São Paulo: Boitempo Editorial, 2017.

FABIÃO, Eleonora. PROGRAMA PERFORMATIVO: O CORPO-EM-EXPERIÊNCIA. ILINX, Revista do LUME [on-line]. 2013, n. 4, p. 1-11. ISSN: 2316-8366. Recuperado de: <https://www.cocen.unicamp.br/revistadigital/index.php/lume/article/view/276>. Acesso em: 02 jun. 2020.

FABIÃO, Eleonora. Performance e Teatro: poéticas e políticas da cena contemporânea. Sala Preta [on-line]. 2008, ed. 8, p. 235-246. ISSN: 2238-3867. Recuperado de: <https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v8i0p235-246>. Acessado em: 12 jun. 2020.

LABBUCCI, Adriano. Caminhar, uma revolução. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

ORTEGA, Neli. O fio do trabalho manual na tessitura do pensar, sentir e agir humanos: e seus princípios no ensino Waldorf do 1a ao 5a ano. São Paulo, 2017.

PORTUGAL, Ana Catarina Marques da C. M. O Pensamento de Joseph Beuys e seus aspectos rituais em ação. 2007. 9546. Tese (doutorado em História Social da Cultura) - Departamento de História, PUC-Rio, Rio de Janeiro, RJ, 2007. Recuperado de: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/colecao.php?strSecao=resultado&nrSeq=9546@1>. Acessado em: 14 mai. 2020.

SPEZZATTO,Gabriela; CABRAL, Bianca Scliar. Cartas de uma Dança Relacional. Interfaces Brasil/Canadá. [on-line]. 2019, v. 19, n. 1, p. 12-36. ISSN eletrônico: 1984-5677. Recuparado de:

<https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/interfaces/article/view/15887>. Acessado em: 18 jun. 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

PERONDI, F. R. Fazer manualidades no espaço público: praticar encontros. Revista NUPEART, Florianópolis, v. 24, p. 150-171, 2020. DOI: 10.5965/23580925242020150. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/nupeart/article/view/18226. Acesso em: 18 set. 2021.