Helena Antipoff, o Teatro de Bonecos e a Sociedade Pestalozzi do Brasil

Autores

  • Tânia Gomez Mendonça Universidade de São Paulo - USP

DOI:

https://doi.org/10.5965/2595034701202019027

Resumo

Este artigo almeja lançar luz sobre a relação entre a trajetória intelectual da
psicóloga russa Helena Antipoff, a formação da Sociedade Pestalozzi do Brasil e os primeiros cursos de teatro de bonecos do país, que tiveram início em 1946. Objetiva-se desenvolver a ideia de que tais cursos possuíam forte ligação com a psicologia da educação e os conceitos da moderna pedagogia vinculada à Escola Nova. Tais cursos tinham como propósito a “missão” de levar “teatrinhos de bonecos” a todas as regiões onde houvessem crianças que necessitassem de recreação para a sua “formação saudável”.

Palavras-chave: Helena Antipoff. Sociedade Pestalozzi do Brasil. Escola Nova. Teatro
de Bonecos. Psicologia educacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tânia Gomez Mendonça, Universidade de São Paulo - USP

Possui Bacharelado e Licenciatura pelo Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP). É mestra pelo programa de pós graduação em História Social da Universidade de São Paulo (USP). Atualmente, é doutoranda pelo programa de pós graduação em História Social da Universidade de São Paulo com a tese "Entre os fios da história: o teatro de bonecos no Brasil e na Argentina (1934-1966)".

Downloads

Publicado

2019-11-14

Como Citar

MENDONÇA, T. G. Helena Antipoff, o Teatro de Bonecos e a Sociedade Pestalozzi do Brasil. Móin-Móin - Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, Florianópolis, v. 1, n. 20, p. 027-044, 2019. DOI: 10.5965/2595034701202019027. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/moin/article/view/1059652595034701202019027. Acesso em: 7 fev. 2023.