As Escolas Profissionais no Estado de São Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/259446306712023e3271

Palavras-chave:

Artífice, Escolas Professionais, Bordados, Design de moda

Resumo

O presente artigo aborda a criação das Escolas de Aprendizes Artífices e do Ensino Profissional no século XIX, que deram origem às Escolas Técnicas Profissionais no Estado de São Paulo, no início do século XX. Com o crescimento das cidades na passagem do século, motivado por trabalhadores nas fábricas e imigrantes recém-chegados, o impacto na cidade de São Paulo foi significativo, incentivando o governo a atender as novas necessidades urbanas e sociais e a redefinição dos processos de instrução para a formação de mão de obra qualificada, para além dos papéis de gênero, nessa configuração social. Pesquisamos a partir das Escolas Profissional Feminina e Masculina (1911), na capital paulista, a expansão de uma significativa rede de escolas profissionais criadas no interior do estado, como Sorocaba, Franca e Ribeirão Preto. O resultado da pesquisa confirmou a hipótese de que essas instituições e cursos, por meio do conhecimento gerado e dos saberes específicos destinados a homens e mulheres, encontram-se na base da formação dos Cursos superiores que constituíram o universo da Moda e do Design de Moda, no final do século XX, no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de Fátima da S.C.G. de Mattos, Centro Universitário Moura Lacerda

Doutora em Artes pela ECA/USP. Mestre em História pela UNESP/Franca. Especialista em Cenografia e Indumentária Pela UNAERP/ Ribeirão Preto. Graduada em Educação Artistica, Música, Desenho e Pedagogia. Docente de Estética e Hostoria da Arte dos cursos de Moda, Arquitetura e Urbanismo do CUML. Docente Permanente do PPGE -Mestrado em Educação do CUML.

Referências

BARBOSA, Rui. O desenho e a arte Industrial In: Obras Completas de Rui Barbosa, vol. 9. Rio de Janeiro, 1948.

BARDI, Pietro Maria. História da Arte Brasileira. São Paulo: Melhoramentos, 1975.

BATISTA, E.L.; MULLER, M.T.; CARMO, J.C.do (org.) Instituições de Educação Profissional no Estado de São Paulo. Marília (SP): Lutas Anticapital, 2020.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: DIFEL/Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989. Coleção Memória e Sociedade.

CARVALHO, Maria Lucia Mendes de (org.) Patrimônio, currículos e processos formativos, memórias e história da educação profissional. São Paulo: Centro Paula Souza, 2013.

CARVALHO, Maria Lucia Mendes de (org.) Cultura, Saberes e Práticas: Memória e História da Educação Profissional. São Paulo: Centro Paula Souza, 2011.

CARAPONALE, Priscila Ferrer. Cotidiano Escolar: a Escola Profissional de Franca (1924-1942). Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. 2009.

COSTA, Angela Marques da; SCHWARCZ, Lilia Moritz. 1890-1914. No tempo das certezas. São Paulo: Companhia das Letras, 2000 (coleção Virando Séculos).

CUNHA, Luiz A. O ensino dos ofícios artesanais e manufatureiros no Brasil escravocrata. São Paulo: UNESP, 2000.

CUNHA, Luiz A. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. São Paulo: UNESP: FLACSO, 2005.

DEL PRIORI, Mary. Histórias da gente brasileira. vol. 2; Império. São Paulo: LeYa, 2016.

DEL PRIORI, Mary. Histórias da gente brasileira. vol. 3; República – Memórias (1889-1950). Rio de Janeiro: LeYa, 2017.

ETEC RIBEIRÃO PRETO. História da Escola, 2017. Disponível em:

<http://www.industrialrp.com.br/institucional/historia>. Acesso em: 26 abr 2022.

FERNANDES, Antonia. Terra de Calazans. Memória de Ofício em São Paulo. São Paulo:

Intermeios – USP Programa de Pós-graduação em História Social, 2017.

FERRETI, C.J.; SILVA JUNIOR, J. dos R. O Ensino de Ofícios Artesanais e Manufatureiros no Brasil Escravocrata; O Ensino de Ofícios nos primórdios da Industrialização; O Ensino Profissional na Irradiação do Industrialismo. Resenha. Luiz Antônio Cunha. São Paulo, Brasília: Editora da Unesp, Flacso, 2000. Cadernos de Pesquisa, n.115, p. 263-276, março/2002.

FOUCAUL, Michel. Vigiar e Punir. São Paulo: Vozes, 1987.

GARCIA, Ana Keila dos Reis. Artes Manuais Femininas na Escola Profissional Mixta em Ribeirão Preto (1927-1970). Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação. Centro Universitário Moura Lacerda, Ribeirão Preto. 2018.

LOURO, Guacira Lopes; MEYER, Dagmar. A escolarização do doméstico. A construção de uma escola técnica feminina (1946-1970). Cadernos de Pesquisa. São Paulo, v. 87, 1993. p. 45-57

LOURO, Guacira Lopes. Mulheres na sala de aula. In: DEL PRIORE, Mary (org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2001. p. 443-481.

MANFREDI, Silvia Maria. Educação Profissional no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

MATOS, Odilon Nogueira de. Café e Rodovias – a evolução ferroviária de São Paulo e o

desenvolvimento da cultura cafeeira. São Paulo: Arquivo Público do Estado, 1981.

MATTOS, Maria de Fátima da S.C.G. de. Pesquisa e Formação em Moda. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2015.

PANTALEÃO, L.F.; PINHEIRO, O.J. O design no contexto histórico da arte: uma visão da arte e do design a partir do ornamento. Revista Arcos Design 5, dez 2009.

PEREIRA, Paulo Roberto Acorsi. O Fazer e o Aprender – uma interação singular na produção de mobiliário artístico da Escola de Artes e Ofícios de Amparo. Dissertação de Mestrado. PPGA do Instituto de Artes. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho /UNESP. 2007.

Relatório de 1908-1909. Apresentado pelo Dr. Carlos Augusto Pereira Guimarães. São Paulo: Casa Garraux, 1912.

Relatório apresentado ao Exmo. Sr. Dr. Jorge Tibiriçá, Presidente do Estado de São Pau-

lo, pelo Secretário de Estado dos Negócios do Interior, Dr. Gustavo de Oliveira Godoy, anno de 1907-1908. São Paulo: Duprat & Comp. 1908.

RUSKIN, John; PINHEIRO, Maria Lucia Bressan. A Lâmpada da Memória. São Paulo: Ateliê Editorial, 2008.

SAVIANI, Demerval [et al.]. O Legado Educacional do século XX. 2 ed. Campinas: Autores Associados, 2006.

SCHUELER, Alessandra Frota de. Representações da docência na imprensa pedagógica

na Corte Imperial (1870-1889): o exemplo da Instrução Pública. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.31, p. 379-390, set/dez 2005.

SENNETT, Richard. O Artífice. Tradução Clóvis Marque. 8ª edição. Rio de Janeiro: Record, 2020.

SILVA, Marcos. Educação Escolar na Época do Império Brasileiro. História da Educação Brasileira. Aula 6. p. 88-104

SOUZA, Rosa Fátima. Inovação Educacional no século XIX: a construção do currículo da escola primária. Caderno CEDES, ano XX, n 51, novembro de 2000.

SOUZA, Rosa Fátima. Templos de Civilização: a implantação da escola primária graduada no Estado de São Paulo (1890-1910). São Paulo, Ed. UNESP, 1998.

TEIXEIRA, Rosely Aparecida. Inscritas em linho branco: os concursos públicos para candidatas às vagas das Escolas Mistas e Femininas de São Paulo (1893 – 1897). VII Congresso de História da Educação. Universidade Federal do Mato Grosso 2013.

TANURI, Leonor Maria. História da Formação de Professores. Revista Brasileira de Educação. nº 14, Ago 2000.

Publicado

2023-03-07

Como Citar

DA S.C.G. DE MATTOS, Maria de Fátima. As Escolas Profissionais no Estado de São Paulo. Revista de Ensino em Artes, Moda e Design, Florianópolis, v. 7, n. 1, p. 1–24, 2023. DOI: 10.5965/259446306712023e3271. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/23271. Acesso em: 25 fev. 2024.