A moda como dispositivo da memória no espaço museológico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630512021212

Palavras-chave:

Moda, Memória, Museu

Resumo

 O presente artigo tem por objetivo estabelecer relações entre moda, memória e museu, tendo em vista a compreensão do fenômeno da moda que sai do lugar comum e adentra os espaços museológicos. Assim, dedicamo-nos, também a examinar como a moda e o museu, enquanto campos de produção cultural, se estruturam. O referencial teórico compreende os seguintes autores: Le Goof (2013), Nora (1993), Crane (2008), Lipovetsky (2009), Sant'Anna (2010), Norogrando (2015), Andrade (2008). Este trabalho foi desenvolvido a partir do resultado de pesquisa exploratória adotando as seguintes etapas metodológicas: revisão de literatura, pesquisa documental e estudos de caso que pautaram as análises e sínteses apresentadas.

Biografia do Autor

Diêgo Jorge Lobato Ferreira, Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão- IFMA

Mestre em Design pela Universidade Anhembi Morumbi ( UAM- SP ) com área de concentração em ( Design, Arte e Tecnologia ). É Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia ( IFMA ) Campus São Luís Centro Histórico com atuação docente no Curso de Licenciatura em Artes Visuais e no Técnico Integrado em Artes Visuais. Atualmente é Coordenador da Especialização em Arte, Mídia e Educação do IFMA - Campus Centro Histórico. Possui Licenciatura Plena em Educação Artística com habilitação em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) Graduando em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Ceuma (UNICEUMA). Graduando em Design de Moda pelo Centro Universitário Maringá (UNICESUMAR). Especialista em Artes Visuais: Cultura e Criação pelo Serviço Nacional do Comércio (SENAC MA). Atuou como Chefe do Departamento de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação - DPPGI do IFMA - Campus São João dos Patos. ( 2016-2018) e Diretor de Desenvolvimento do Ensino- DDE do Campus São João dos Patos. Foi professor efetivo de História da Arte da Secretaria de Estado da Educação do Maranhão- SEDUC MA (2010- 2013) É membro da Abepem - Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Moda. Tendo vários trabalhos publicados em congressos das áreas de Artes Visuais, Design e Moda. Tem experiência nas áreas de História da Arte e do Design, História da Moda, Museus ( Arte e Moda ), Memória, Desenho ( Artístico, Técnico e de Moda ), Gravura e Cerâmica.

Priscila Arantes, Universidade Anhembi Morumbi e PUC SP

é critica , curadora , professora e pesquisadora no campo da arte, curadoria, museu e estética contemporânea.É formada em filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), possui mestrado e doutorado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) e pós-doutorado pela Penn State University (USA) e UNICAMP. Pesquisadora produtividade PQ 2 (Cnpq) é professora titular do Programa de Pós-Graduação (Mestrado e Doutorado) em Design da Universidade Anhembi Morumbi e vice-coordenadora e docente do curso de graduação e pós-graduação em Arte: História, Crítica e Curadoria da PUC/SP.
É diretora e curadora do Paço das Artes (Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo) desde 2007. Entre 2007 e 2011 foi diretora adjunta do MIS (Museu da Imagem e Som/SP) atuando na curadoria de programação. É coordenadora do grupo cadastrado no CNPq Design, Arte e Memória: perspectivas contemporâneas e integra o grupo de pesquisa cadastrado no CNPq: História, Arte, Crítica e Curadoria da PUC/SP. É convidada em 2019 para presidir o Comitê Internacional da ARTECH bem como realizar curadoria da exposição em Portugal (Braga). Integra desde 2012 o Conselho Editorial do Journal of Science and Technology of the Arts (Portugal/Universidade Católica do Porto) e o Conselho editorial do DAT ( Journal of Design, Art and Tecnology). É colaboradora editorial convidada da Flusser Studies, bem como da Revista Francesa ARTELOGIE, da E'cole des Hautes Etudes em Sciences Sociales. Nesta última desenvolve numero sobre Arte e Mídia na América Latina. Atualmente é coordenadora editorial da coleção ARTEHOJE!. Integra como convidada desde 2018, o ID+, Instituto de Investigação em Design, Media e Cultura ancorada em três instituições portuguesas ( Universidade do Porto, Aveiro e do Cavado).
É membro do CAA (College Art Association/USA) desde 2012, organizando mesas temáticas tais como Curating Latin American Art, do CIMAM (International Committee for Museums and Collections of Modern Art) , da ABCA ( Associação Brasileira dos Críticos de Arte) e da ANPAP (Associação Nacional de Artes Plásticas), sendo que entre 2008 e 2012 foi membro do Conselho Deliberativo da Associação. Entre os prêmios recebidos destacam-se o da Society of Latin American Studies para integrar a Conferência em Liverpoll (Londres/2016), da Fundacion Cisneros/Getty Foundation/ (2016), da Getty Foundation ( 2012) e o 48 Prêmio Jabuti (finalista) pelo livro Arte@Mídia:perspectivas da estética digital (FAPESP/SENAC). É autora de Reescrituras da Arte Contemporânea: história, arquivo e mídia (Sulinas, 2015), Arte @ Mídia: perspectivas da Estética Digital (Senac/FAPESP/2 ed.), co-autora de Estéticas tecnológicas: novas formas de sentir (EDUC/SP), Arte:história, crítica e curadoria e organizadora de inúmeras publicações . Como professora titular fez parte do Mestrado em Design do Senac e coordenou a pós-graduação lato sensu em Mídias Interativas da instituição. É parecerista ad-hoc da CAPES/MEC, FAPESP, CNPq e participa de congressos nacionais e internacionais tais como ANPAP, COMPOS, ISEA, CIMAM, CAA e integra júris de prêmios em arte contemporânea tais como Proac (Secretaria de Estado da Cultura), Videobrasil, Prêmio Jabuti, etc. Entre suas curadorias destacam-se : ARTECH ( Portugal/Braga), Limiares: Regina Silveira,Mulheres em Cena, Arquivo Vivo, Paradoxos da arte contemporânea: diálogos entre os acervos do MAC/USP e do Paço das Artes, Issoéosso disso: Lenora de Barros, Paço Comunidade: Mônica Nador (JAMAC), Abrigo de paisagem: Rodrigo Braga , Trajetórias Corpos Informáticos: Bia Medeiros (Caixa Cultural RJ/Brasília), Monumento Mínimo:arte como Emergência ( Oficina Cultural Oswald de Andrade), Imagens-Testemunho: Marcelo Brodsky (MIS/SP), I/legítimo: dentro e fora do circuito (MIS/SP), etc.Em 2010 integra o Conselho Editorial da Revista do Polo de Arte Contemporânea da Bienal Internacional de São Paulo. (Texto informado pelo autor)

Referências

ANDRADE, Rita. Boué Soeurs RG 7091: a biografia cultural de um vestido. 2008. Tese (Doutorado) – Programa de História, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

AZZI, C. F. Vitrines e coleções: quando a moda encontra o museu. Rio de Janeiro: Memória Visual, 2010.

BARTHES, Roland, Sistema da moda. Editora Martins Fontes, São Paulo, 2009.

BASTIAN, Winnie. Subvertendo a tradição: Moda e Arte na produção de Alexander McQueen. 2011. | http://www.revistas.udesc.br/index.php/Ensinarmode

BAUDELAIRE, Charles, 1821-1867.Sobre a modernidade o pintor da vida moderna / Charles Baudelaire; [organizador Teixeira Coelho].— Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

BAUDRILLAND, Jean. O sistema dos objetos. São Paulo: Perspectiva, 2006.

BENARUSH, Michelle Kauffmann. A memória das roupas. In:. Revista Dobras nº12, Estação das Letras e Cores, 2012.

BENARUSH, Michelle Kauffmann. Moda é Patrimônio. in anais do VIII Colóquio de Moda – 5º Congresso Internacional, 2010

BONSIEPE, Gui. Design, Cultura e Sociedade. São Paulo: Blucher, 2011.

BRAGA, João. História da Moda: uma narrativa. 7ª. ed. São Paulo: Editora Anhembi Morumbi, 2007.

BUENO, Rodrigo Poreli Moura. História e Memória: perspectivas Sócio-Culturais. 2011.

CERVA, Ana Carine. Construção, reconstrução e disputa pela memória coletiva e identidade étnica nos campos de cima da serra do Rio Grande do Sul: distrito caxiense de Vila Seca. 2014.

CHARTIER, Roger. A História da Cultura: entre práticas e representações. Algés, Portugal: Difusão Editorial AS, 2002.

CONTI, Giovanni Maria. Moda e cultura de projeto industrial: hibridação entre saberes complexos. in: Design de moda olhares diversos. Barueri: Estação das Letras, 2008

CLARK, Judith; DE LA HAYE, Amy; HORSLEY, Jeffrey. Exhibiting Fashion: Before and After 1971. 2014.

CLARK, Judith et al. Hussein Chalayan. Rizzoli International Publications, 2011.

CRANE, Diana, A moda e seu papel social: classe, gênero e identidade das roupas. São Paulo: SENAC, 2008.

CRIMP, Douglas. Sobre as ruínas do museu; tradução : Fernando Santos; revisão da tradução Aníbal Mari. - São Paulo: Martins fontes, 2005. | http://www.revistas.udesc.br/index.php/Ensinarmode

DALLARI, Heloisa. Design e Exposição: das vitrines para as novas telas. Tese de Doutorado. São Paulo, Brasil: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, 2008.

DENIS, Rafael Cardoso. Uma introdução à história do design. São Paulo: Edgard Blücher, 1998.

FAGUNDES, Joyce Corrêa. O RG Feminino Impresso no Vestuário. 2011, Trabalho apresentado ao XI Congresso Luso afro Brasileiro de Ciências Sociais, Diversidade e Desigualdade, Salvador, 2011.

FERREIRA, Diêgo Jorge Lobato. A moda pelo viés da memória: das passarelas para o museu. Anais do Moda Documenta: Museu, Memória e Design – Maio, 2015.

FORTY, Adrian. Objetos de desejo: design e sociedade desde 1750. São Paulo: Cosac Naify. 2007.

FRAGA, Ronaldo. Entrevista sobre a exposição Rio São Francisco. 2011. Disponível em: <http://saofranciscoronaldofraga.com.br/>. Acesso em: 20 jul. 15.

GUEDES, Renato Celestino; TEIXEIRA, Edilene Lagedo. A moda feminina na década de 70: o exemplo Zuzu Angel. In: Anais do Colóquio Internacional Gênero, Feminismos e Ditaduras no Cone Sul. Universidade Federal de Santa Catarina – maio de 2008.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2004.

IBRAM, INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS –. Lei nº 11.904, de 14 de janeiro de 2009. Brasília, Brasil: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, 2009.

LE GOFF, Jaques. História e Memória. Campinas: Unicamp, 2013.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. Editora Companhia das Letras, 2009.

MORAES, Nilson. Políticas Públicas, Políticas Culturais e Museus no Brasil.in:http://revistamuseologiaepatrimonio.mast.br/index.php/ppgpmus/article/view/46/26. Rio de Janeiro: MAST/UNIRIO, Vol.2, No 1. p. 54-69. 2009. Acesso em 08 de agosto de 2009.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História: Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História da PUC-SP, São Paulo: PUC, n. 10, p. 7-28, dez. 1993.

NORMAN, Donald A. Design emocional: por que adoramos ou detestamos os objetos do dia-a-dia. Rio de Janeiro: Rocco, 2008. | http://www.revistas.udesc.br/index.php/Ensinarmode

NOROGRANDO, Rafaela. Como é formado o patrimônio cultural: Estudo museológico em Portugal na temática Traje/Moda. Dissertação (Mestrado) – Depto. De Antropologia/FCTUC - Universidade de Coimbra, Portugal, 2011.

NOROGRANDO, Rafaela. Exposições Museológica. A Moda por narrativas, experiências e conexões. Tese (doutorado). Universidade de Aveiro, 2015.

PINHEIRO, Marcos José. Museus, memória e esquecimento: um projeto da modernidade. Editora E-papers, 2004.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, 1992.

ROCHE, Daniel; KFOURI, Assef. A cultura das aparências: uma história da indumentária, séculos XVII-XVIII. Senac, 2007.

SANT'ANNA, Patrícia. Coleção Rhodia do MASP - Um estudo sobre o design de vestuário no Brasil (1959-1972), Tese (Doutorado) em História da Arte-Universidade Estadual de Campinas, 2010.

SILVA, Helenice Rodrigues da. "Rememoração"/ Comemoração: as utilizações sociais da memória. Revista Brasileira de História. 2002.

SORCINELLI, Paolo. Estudar a moda: corpos, vestuário, estratégias. São Paulo: SENAC. 2008.

STALLYBRASS, Peter. O casaco de Marx: roupas, memória, dor. São Paulo: Autêntica, 2012

WILSON, Elizabeth; FREIRE, Maria João. Enfeitada de sonhos: moda e modernidade. 1989.

Downloads

Publicado

2021-02-01