A experiência docente de Mário de Andrade no Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal ― RJ (1938-1939)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630512021246

Palavras-chave:

Mário de Andrade, Formação de professores, Arte Moderna

Resumo

Este artigo traz uma reflexão sobre a experiência docente de Mário de Andrade, quando o renomado poeta assumiu a cadeira de Filosofia e História da Arte no Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal (RJ) ― IA/UDF. A referida universidade foi criada por Anísio Teixeira em 1935 na Cidade do Rio de Janeiro, à época Capital Federal. A UDF era uma instituição diferenciada porque tinha como carro chefe a formação de professores para diferentes áreas do conhecimento. Muitos foram os embates enfrentados por esta instituição que teve curta existência (1935 a 1939). Nessa instituição, além de Mário de Andrade, também atuaram como professores figuras eminentes da arte modernista brasileira. Dessa forma, o objetivo central desta pesquisa é compreender quais foram as contribuições de Mário de Andrade como professor no Instituto de Artes da UDF para formação de professores de Artes (Desenho e Pintura) da referida instituição. O referencial teórico que norteia as reflexões desta pesquisa baseia-se nos trabalhos dos seguintes autoras: Bomeny (2012), Coutinho (2002), Lopes (2006, 2009) e Mendonça (2002). A metodologia consistiu-se em análise documental dos acervos das seguintes instituições: Programa de Estudos e Documentação Educação e Sociedade da UFRJ; Projeto Portinari da PUC-Rio e Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional. A análise das fontes permitiu confirmar o caráter modernista do ensino do Instituto de Artes da UDF, além de que Mário de Andrade intencionava despertar em seus alunos uma consciência artística a partir do desenvolvimento de uma técnica pessoal, sem limitar o artista a padrões estabelecidos rigidamente.

Palavras-chaves: Mário de Andrade; Formação de professores; Arte Moderna.

Biografia do Autor

José Roberto Pereira Peres, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Doutor em Ciências Humanas - Educação, na área de concentração Educação Brasileira, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio (2020). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ (2015). Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância pela Universidade Federal Fluminense - UFF (2015) e em Administração e Supervisão Escolar pela Universidade Candido Mendes - UCAM (2012). Licenciado em Artes Visuais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ (2011) e em Normal Superior (Ênfase curricular em Educação de Jovens e Adultos) pelo Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro - ISERJ (2010). Tem experiência como professor de Educação Infantil, Educação de Jovens e Adultos, Ensino Fundamental, Ensino Médio e Ensino Superior, como arte-educador popular e como pesquisador. Temas de ensino e pesquisa: Artes Visuais, História da Educação, História da Arte, História do Ensino de Artes no Brasil, Educação Infantil, Educação de Jovens e Adultos e EaD. Foi professor substituto de Prática de Ensino de Educação Artística na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. Atualmente é professor de Artes Visuais da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro atuando na Equipe de Formação Continuada e Educação para os Mundos do Trabalho do Centro Municipal de Referência da Educação de Jovens e Adultos; bem como é professor regente em turmas de Ensino Fundamental da Fundação Municipal de Educação de Niterói.

Referências

ANDRADE, Mário de. O Artista e o artesão. s. n. t. 16 p. Aula inaugural dos cursos de Filosofia e História das Artes da Universidade do Distrito Federal, 1938.

______. Mário de Andrade ― Oneyda Alvarenga: cartas. (Organização, introdução e notas de Oneyda Alvarenga). São Paulo: Duas Cidades, 1983.

BOMENY, H. M. B. Um poeta na política: Mário de Andrade, paixão e compromisso. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2012.

BRACET, Augusto. In: Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa22572/augusto-bracet>. Acesso em: 12 set. 2019.

BURKE, P. Testemunha Ocular: História e imagem. São Paulo: EDUSC, 2004.

COUTINHO, Rejane G. A coleção de desenhos infantis do acervo Mário de Andrade. 2002. 144 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Artes). Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, 2002.

DISTRITO FEDERAL. Decreto Municipal n. 5.513, de 4 de abril de 1935. Institui na Cidade do Rio de Janeiro a Universidade do Distrito Federal e dá outras providências. Prefeitura do Distrito Federal. Universidade do Distrito Federal: Officinas Graphicas do Jornal do Brasil, 1935. p. 3-12.

______. Instruções nº 1. Prefeitura do Distrito Federal. Universidade do Distrito Federal: Officinas Graphicas do Jornal do Brasil, 1935. p.13-21.

______. Instruções nº 2. Prefeitura do Distrito Federal. Universidade do Distrito Federal: Officinas Graphicas do Jornal do Brasil, 1935. p.13-21.

FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína. Usos & abusos da história oral. 8.ed. - Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Foucault e a análise do discurso em Educação. Cadernos de Pesquisa. n. 114, p. 197-223, novembro, 2001.

LOPES, S. de C. A Escola de Educação como eixo integrador da Universidade. In: FÁVERO, M. de L.; LOPES, S. de C. (Org.). A Universidade do Distrito Federal (1935-1939): um projeto além de seu tempo. Brasília: Liber Livro/ CNPq, 2009. p.45-68.

LOZANO, Jorge E. A. Prática e estilo de pesquisa na história oral contemporânea. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína. Usos & abusos da história oral. 8.ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

MENDONÇA, Ana W. P. C. Anísio Teixeira e a Universidade de Educação. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2002.

ORLANDI. Eni Puccinelli. Discurso, imaginário social e conhecimento. Em Aberto. Brasília, ano 14, n. 61, jan./mar. 1994.

PERES, J. R. P. O Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal (RJ): uma experiência modernista de formação de professores de Artes (Desenho e Pintura) para o Ensino Secundário (1935-1939). 2020. Tese (Doutorado em Educação) ― Departamento de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

______. A linha mestra e o mestre das linhas: Nerêo Sampaio e a História da formação de professores de Desenho e Artes no Rio de Janeiro (1927-1939). 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) — Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

RODRIGUES, Leandro Garcia (org.). Correspondência: Mário de Andrade & Alceu Amoroso Lima. São Paulo Edusp; Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2018.

SAMPAIO, N. Desenho espontâneo das crianças: considerações sobre sua metodologia. Distrito Federal: Non Nova Sed Nove, 1929.

______. O ensino de Desenho. Arquivos do Instituto de Educação, Rio de Janeiro, v.1, n. 1, p. 35-48, jun., 1934.

______. O desenho ao Alcance de todos. Para o uso, nas Escolas Normais e Profissionais de Belas Artes. Distrito Federal: Companhia Editora Nacional, 1938.

______. Desenho 1ª Série do Curso Secundário. Distrito Federal: Non Nova Sed Nove, 1941.

______. Pela Educação Estética (Tese n.17). In: COSTA, Maria José Franco Ferreira da; SHENA, Denilson Roberto; SCHMIDT, Maria Auxiliadora. (Org.). I Conferência Nacional de Educação – Curitiba, 1927. Anais... Brasília: INEP, 1997. p.120-123.

SCHWARTZMAN, S.; BOMENY, H. B.; COSTA, V. M. Tempos de Capanema. 1. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1984.

TEIXEIRA, A. A função das Universidades. Discurso pronunciado pelo Reitor interino da Universidade do Distrito Federal por ocasião da inauguração solene dos cursos, em 31 de julho de 1935. Boletim da Universidade do Distrito Federal, Rio de Janeiro, Secretaria Geral de Educação e Cultura do Distrito Federal, ano 1, n. 1 e 2, p. 11-24, jul./dez. 1935.

______. Educação para a democracia: introdução à administração educacional. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2007.

SCHWARTZMAN, S.; BOMENY, H. B.; COSTA, V. M. Tempos de Capanema. 1. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1984.

JORNAIS E REVISTAS CONSULTADOS

Gazeta de Notícias, 03 de julho de 1935, página 8. Disponível em: . Acesso em: 20 de maio. 2019.

______. 01 de agosto de 1935, página 4. Disponível em: . Acesso em: 10 de ago. 2019

Correio da Manhã. 01 de julho de 1938, página 8. Disponível em: . Acesso em: 24 ago. 2019.

ENTREVISTAS

BIANCO, Enrico. Entrevista realizada pelas pesquisadoras Maria Christina Guido e Rose Ingrid Goldschmidt nos dias 07 e 12 de dezembro de 1982. Programa Depoimentos. Rio de Janeiro: Projeto Portinari – PUC-Rio.

GUIMARÃES, Héris. Entrevista realizada pelas pesquisadoras Maria Christina Guido e Rose Ingrid Goldschmidt em 18 de agosto de 1983. Programa Depoimentos. Rio de Janeiro: Projeto Portinari – PUC-Rio.

LEÃO, Rosalina. Entrevista realizada pelas pesquisadoras Maria Christina Guido e Rose Ingrid Goldschmidt em 04 de setembro de 1984. Programa Depoimentos. Rio de Janeiro: Projeto Portinari – PUC-Rio.

MIRANDA, Alcides. Entrevista realizada pelas pesquisadoras Maria Christina Guido e Rose Ingrid Goldschmidt em 18 de março de 1983. Programa Depoimentos. Rio de Janeiro: Projeto Portinari – PUC-Rio.

TOLEDO, Aldary. Entrevista realizada pelas pesquisadoras Maria Christina Guido e Rose Ingrid Goldschmidt em 13 de dezembro de 1982. Programa Depoimentos. Rio de Janeiro: Projeto Portinari – PUC-Rio.

Downloads

Publicado

2021-02-01