A docência em artes visuais como terreno autobiográfico: espaços de criação e pensamento no estágio curricular supervisionado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267812022044

Palavras-chave:

autobiografia, docência nômade, estágio curricular supervisionado, formação inicial em artes visuais

Resumo

Desde um posicionamento autonarrativo, este texto propõe-se a lançar algumas ideias sobre o terreno da formação docente, tomando como recorte a etapa formativa do Estágio Curricular Supervisionado. Para a construção deste pensamento, são trazidas as perspectivas da autobiografia e a noção de docência nômade (NUNES 2019; 2020) como eixos que sustentam um modo de conceber, criar e posicionar-se no contexto da educação das artes visuais. Não obstante, estabelece-se uma conversação com autoras como Mosé (2018); Rodrigues (2017), entre outros, que contribuem para adensar tais reflexões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Nunes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora do Departamento de Artes Visuais, do Instituto de Artes da UFRGS.
Doutora em Arte e Cultura Visual pelo PPGACV/FAV/UFG, com estágio doutoral da
Facultad de Bellas Artes da Universidad de Barcelona. Mestre em Educação pelo
PPGE/CE/UFSM. Bacharela e licenciada em Artes Visuais – Desenho e Plástica, pela
UFSM. Contato: Orcid: https://orcid.org/0000-0002-7675-658X email: ameline.
n24@gmail.com Lattes: http://lattes.cnpq.br/9068022432974886

Referências

FARINA, Cynthia. Vida como obra de arte: arte como obra de vida - por uma pedagogia das afecções. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação, UFPel, 1999.

GUATTARI, F.; ROLNIK, S. Micropolítica: cartografias do desejo. Rio de Janeiro: Vozes, 1986.

MARTINS, A; ABREU, C. Pedagogias de Fronteira. In: Guimarães, Leda Maria de Barros; Perotto, Lilian Ucker. Licenciatura em artes visuais: percurso 2. Goiânia: Gráfica da UFG, 2018. Ebook - (Coleção Licenciatura em Artes Visuais) Disponível em: https://producao.ciar.ufg.br/ebooks/licenciatura-em-artes-visuais/modulo/2/005.html

MOSÉ, V. Nietzsche Hoje: sobre os desafios da vida contemporânea. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2018.

NUNES, A. Nomadismos para ensaiar uma formação docente em artes visuais. Anais do III Seminário Internacional de Pesquisa em Arte e Cultura Visual. Montevideo: 2019. https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/778/o/19.pdf

NUNES, A. Docência nômade – narrativas e deslocamentos na formação de professores em Artes Visuais. Revista Digital do LAV – Santa Maria – vol. 13, n. 1, p. 95 – 105 – jan./abr. 2020 ISSN 1983 – 7348 http://dx.doi.org/10.5902/1983734841031

OZ, Amós; HADAD, Shira. Do que é feita a maçã: seis conversas sobre amor, culpa e outros prazeres. São Paulo: Cia. Das Letras, 2019.

RODRIGUES, Manoela dos Anjos Afonso. Autobiogeografia como metodologia decolonial, In Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas, 26o, 2017, Campinas. Anais do 26o Encontro da Anpap. Campinas: Pontifícia Universidade Católica de Campinas, 2017. p.3148-3163.

SOARES, Fabio Montalvão. A produção de subjetividades no contexto do capitalismo contemporâneo: Guattari e Negri. Fractal: Revista de Psicologia, v. 28, n. 1, p. 118-126, jan.-abr. 2016. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1984-0292/1170

Downloads

Publicado

2022-04-30

Como Citar

NUNES, A. . . A docência em artes visuais como terreno autobiográfico: espaços de criação e pensamento no estágio curricular supervisionado. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 8, n. 1, p. 044-054, 2022. DOI: 10.5965/24471267812022044. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/21796. Acesso em: 28 set. 2022.