Produção de públicos: um olhar sobre as instituições culturais e a arte contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267712021094

Palavras-chave:

instituições culutrais , público , arte contemporânea

Resumo

O artigo pretende compreender como se situa a questão dos públicos nas instituições culturais na atualidade. Para isso, discute a importância da vivência compartilhada para a experiência estética, o papel da mediação cultural nesse processo, o museu como lugar privilegiado para que esse tipo de experiência aconteça e a noção de que a presença de públicos diversos é vital para a sustentabilidade e sobrevivência do(s) mundo(s) da arte. Sendo assim, que estratégias contemporâneas têm sido adotadas para a produção de novos públicos? Um estudo do caso da ativação "Descoloração Global”, proposta pelo artista Maxwell Alexandre durante sua exposição individual “Pardo é Papel”, no Museu de Arte do Rio, em 2020, pode trazer respostas para possíveis transformações no modo como instituímos e endereçamos a arte e a cultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALEXANDRE, Maxwell. Maxwell Alexandre: Pardo é papel / Maxwell Alexandre... [et. al]; Organização: Instituto Inclusartiz. - Rio de Janeiro: Instituto Inclusartiz : Instituto Odeon, 2020. Catálogo publicado em decorrência da exposição realizada no Museu de Arte do Rio no período de novembro de 2019 a maio de 2020. Textos em inglês e português.

BOTELHO, Isaura. Os públicos da cultura: desafios para as políticas culturais. Revista Observatório Itaú Cultural, São Paulo, v. 12, p. 8-18, maio/ago, 2011.

BRETON, David Le. Antropologia dos Sentidos. Tradução de Francisco Morais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2016. p. 11-20.

DONNAT, Olivier. Democratização da cultura: fim e continuação? Revista Observatório Itaú Cultural, São Paulo, v. 12, p. 19-34, maio/ago, 2011.

DUCHAMP, Marcel. O ato criador. In: BATTCOCK, Gregory. A nova arte. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1986. p. 71-74.

ELLSWORTH, Elizabeth. Modos de endereçamento: uma coisa de cinema; uma coisa de educação também. In: SILVA, Tomaz T. (Org.). Nunca fomos humanos: nos rastros do sujeito. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 7-76.

ESCOBAR, Raphael. Open Bar. 2016. Disponível em: http://raphaelescobar.weebly.com/open-bar--2016.html. Acesso em: 15 jan. 2021.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1987.

GALEANO, Eduardo. A função da arte/1. O livro dos abraços. Porto Alegre: L&PM, 2017. p.15.

HELGUERA, Pablo. Uma má educação. [Entrevista concedida a] Helen Reed. In: CERVETTO, Renatta; LÓPEZ, Miguel A. (org.); Tradução de José Feres Sabino. Agite antes de usar: deslocamentos educativos, sociais e artísticos na América Latina. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2018. p. 79-90.

HELGUERA, Pablo. Educação para uma arte socialmente engajada. In: HELGUERA, Pablo; HOFF, Mônica (org.); tradução de Camila Pasquetti, Camila Schenkel, Carina Alvarez, Gabriela Petit, Francesco Settineri, Martin Heuser e Nick Rands. Pedagogia no campo expandido. Porto Alegre: Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul, 2011. p.35-44.

HOFF, Mônica; HONORATO, Cayo. Mediação não é representação: uma conversa. In: CERVETTO, Renatta; LÓPEZ, Miguel A. (org.); Tradução de José Feres Sabino. Agite antes de usar: deslocamentos educativos, sociais e artísticos na América Latina. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2018. p.165-181.

HONORATO, Cayo. Tem alguém, algo aí? O público, os públicos, um público. Seminário Reconfigurações do Público: Arte, Pedagogia e Participação. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: https://cayohonorato.weebly.com/uploads/8/4/7/3/8473020/2012_ensaio_seminarioii_honorato.pdf. Acesso em: 8 jan. 2020.

JLEIVA CULTURA & ESPORTE. Cultura nas Capitais. 2017. Disponível em: http://www.culturanascapitais.com.br/. Acesso em: 15 jan. 2021.

MAR vai platinar cabelos cariocas para o Carnaval. Diário do Porto. Rio de Janeiro, 3 fev. 2020. Carnaval, p. 1-1. Disponível em:

https://diariodoporto.com.br/mar-vai-platinar-cabelos-cariocas-para-o-carnaval/. Acesso em: 20 jan. 2021.

MARTINS, M. C. F. D. Arte, só na aula de arte? Educação, v. 34, n. 3, 20 out. 2011.

MAZZUCCHELLI, Kiki. Maxwell Alexandre - O mundo é nosso. 2019. Disponível em: https://www.premiopipa.com/wp-content/uploads/2019/04/Texto-de-Kiki-Mazzucchelli.pdf. Acesso em: 25 fev. 2021.

MOSQUEIRA, Bernardo. Crítica institucional: produção de arte-crise na luta contra a barbárie. Select, nº da edição: 37, 19 jan. 2018. Disponível em: https://www.select.art.br/critica-institucional/. Acesso em: 03 fev. 2021.

MUSEU de Arte Do Rio (Rio de Janeiro). Descoloração Global, com Maxwell Alexandre. 2020a. Disponível em: http://museudeartedorio.org.br/programacao/descoloracao-global-com-maxwell-alexandre. Acesso em: 20 jan. 2021.

MUSEU de Arte Do Rio (Rio de Janeiro). O Museu. 2020b. Disponível em: http://museudeartedorio.org.br/o-mar/o-museu/. Acesso em: 20 jan. 2021.

NASCIMENTO, Júnior José do; CHAGAS, Mário de Souza. Diversidade museal e movimentos sociais. In: NASCIMENTO Júnior, José do (org.). IBERMUSEUS 2: Reflexões e comunicações. Brasília/DF: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Departamento de Museus e Centros Culturais, 2008a.

OLIVEIRA, Mirtes Marins de. Exposições como arenas de poder. Revista do Centro de Pesquisa e Formação, São Paulo, n. 9, p. 42-51, nov. 2019.

SOUZA, Iara Regina da Silva. A gambiarra na cena: uma poética de iluminação para ativação de obras de arte em belém do pará. 2011. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Artes, Instituto de Ciências da Arte, Universidade Federal do Pará, Belém, 2011. p. 38-43. Disponível em: http://ppgartes.propesp.ufpa.br/disserta%C3%A7%C3%B5es/2009/IARA%20REGINA%20DA%20SILVA%20SOUZA.compressed.pdf. Acesso em: 28 fev. 2021.

VERGARA, Luiz Guilherme. Curadoria educativa: percepção imaginativa/ consciência do olhar. In: CERVETTO, Renatta; LÓPEZ, Miguel A. (org.); Tradução de José Feres Sabino. Agite antes de usar: deslocamentos educativos, sociais e artísticos na América Latina. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2018. p.39-45.

SHEIKH, Simon. Sobre a produção de públicos ou: arte e política em um mundo fragmentado. In: CAMNITZER, Luis; PÉREZ-BARREIRO, Gabriel (org.). Arte para educação/educação para a arte. Porto Alegre: Fundação Bienal do Mercosul, 2009. p. 74-88.

Downloads

Publicado

2021-04-01

Como Citar

PENNA, A. B. M. Produção de públicos: um olhar sobre as instituições culturais e a arte contemporânea. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 7, n. 1, 2021. DOI: 10.5965/24471267712021094. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/19830. Acesso em: 3 dez. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)