Arquiteturas efêmeras de jogo e Educação Infantil: diálogos com a Arte Contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267532019025

Palavras-chave:

educação infantil , arquiteturas de jogo , instalaçoes , pesquisa com crianças , arte contemporânea

Resumo

O presente artigo com base nos Estudos Sociais da Infância e no campo da Arte, deriva do trabalho de conclusão de curso de Pedagogia da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O qual, buscou entender quais as possibilidades envolvidas em arquiteturas efêmeras de jogo (ABAD, 2008) para crianças pequenas, inspiradas em instalações de arte contemporânea em uma Escola de Educação Infantil em Porto Alegre, no primeiro semestre de 2018. O percurso metodológico da investigação foi pautado pela pesquisa-ação. Metodologicamente, foram propostas sete sessões de arquiteturas de jogo para um grupo de crianças de 2 a 5 anos. Evidenciando a potencialidade envolvida nesse trabalho, foi possível perceber que as arquiteturas de jogo se caracterizam como um espaço para o jogo simbólico e para o exercício do protagonismo infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathalia Scheuermann dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre – RS – Brasil.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre – RS – Brasil. Mestranda em Educação na Linha de Pesquisa, Estudos sobre Infâncias no Programa de Pós-Graduação em Educação. Graduada em Pedagogia (UFRGS). Professora de Educação Infantil no Colégio Anchieta em Porto Alegre - RS.

http://lattes.cnpq.br/7834290654720593

Rodrigo Saballa de Carvalho, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre – RS – Brasil.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre – RS – Brasil. Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da na Linha de Pesquisa: Estudos sobre Infâncias. Professor da área de Educação Infantil do Departamento de Estudos Especializados (DEE) da Faculdade de Educação da UFRGS. Pós-Doutor em Educação (UFPEL). Doutor em Educação (UFRGS). Mestre em Educação (UFRGS).

http://lattes.cnpq.br/9450619789833040 

Referências

ABAD, J. Iniciativas de Educación Artística a través del Arte Contemporáneo para la Escuela Infantil (3-6 años). Madrid: UCM, 2008. 556. Tese - Departamento de Didáctica de la Expresión plástica, Facultad de Bellas Artes, Universidad Complutense de Madrid, Madrid, 2008.

ABAD, J. RUIZ DE VELASCO, A. El juego simbólico. Buenos Aires: Noveduc-Graó. 2016.

BALDISSERA, Adelina. Pesquisa-ação: uma metodologia do conhecer e do agir coletivo. Sociedade em debate, Pelotas, v.7, n.2, p.5-25, ag.2001.

BARBIERI, Stela. Interações: onde está a arte na infância?. São Paulo: Blucher, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília, DF: MEC/SEB, 2009.

CREATECTURA. 2017. La Redonda "Al Cubo". Disponível online em: https://www.createctura.es/galerias/escenografias-habitadas/la-redonda-al-cubo/ Acessado em: 10 de setembro de 2019.

CREED, Martin. 2004. Work nº 370: Balls. Disponível online em: http://www.martincreed.com/site/works/work-no-370 Acessado em: 10 de setembro de 2019.

CUNHA, Susana Rangel Vieira da. A importância das artes na infância. In: ______. (Org). As Artes no Universo Infantil. Porto Alegre: Mediação. 2017b. p.11-54.

CUNHA, Susana Rangel Vieira da.Uma arte de nosso tempo para as crianças de hoje. In: CUNHA, Susana Rangel Vieira da & CARVALHO, Rodrigo Saballa de (Org) A Arte Contemporânea e Educação Infantil. Porto Alegre: Mediação. 2017a. p 9-26.

DORNELLES, Leni Vieira. FERNANDES, Natalia. ESTUDOS DA CRIANÇA E PESQUISA COM CRIANÇAS: nuances luso-brasileiras acerca dos desafios éticos e metodológicos. Currículo sem Fronteiras, v. 15, n. 1, p. 65-78, jan./abr. 2015. Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/6389> Acesso em: 05 abril 2018.

KIMSOOJA. 2002. A Laundry Woman. Disponivel online em: http://www.kimsooja.com/projects_2001_Henie-Onstad.html# Acessado em: 10 de setembro de 2019.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC). Base nacional comum curricular. Brasília, DF: MEC, 2017.

MIURA, Mitsuo. 2012. Memorias Imaginadas (exposição). Disponivel online em: http://expoarteactual.blogspot.com.br/2015/11/memorias-imaginadas-mitsuo-miura-la.html Acessado em: 10 de setembro de 2019.

RIST,Pipilotti. 2011. Administering Eternity. Disponivel online em: https://www.bfi.org.uk/news-opinion/sight-sound-magazine/reviews-recommendations/pipilotti-rist-sublime-pants Acessado em: 10 de setembro de 2019.

RUTHENBECK, Reiner. 1970. Schwarzer Papierhaufen. Disponível online em: http://reiner-ruthenbeck.de/Papierarbeiten/index.html Acessado em: 10 de setembro de 2019.

SANTOS, Nathalia Scheuermann dos. ARQUITETURAS EFÊMERAS DE JOGO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: Crianças e Arte Contemporânea. Porto Alegre, 2018. 136p. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso) - Licenciatura em Pedagogia, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

SANTINI, Bianca. 2017. Risco e Ar (exposição). Disponivel online em: http://www.osul.com.br/exposicao-risco-e-ar-de-bianca-santini-ocorre-partir-de-6-de-dezembro-em-porto-alegre/ Acessado em: 10 de setembro de 2019.

TRIPP. David. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, set./dez. 2005.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

SANTOS, N. S. dos; CARVALHO, R. S. de. Arquiteturas efêmeras de jogo e Educação Infantil: diálogos com a Arte Contemporânea. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 5, n. 3, 2019. DOI: 10.5965/24471267532019025. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/16161. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos Seção temática