Pintando com Luz o Teatro Infantil: Entrevista com Jorginho de Carvalho

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/27644669010120210802

Palavras-chave:

iluminação cênica, teatro infantil, criação, iluminador, luz

Resumo

 Em uma vasta experiência de mais de 55 anos como iluminador, o carioca Jorginho de Carvalho reconhece o teatro infantil como sua primeira escola. Nessa entrevista, realizada em 2016, ele discorre sobre temas relacionados à criação de luz para espetáculos infanto-juvenis, ao convívio com a autora e diretora Maria Clara Machado, ao início de sua carreira no teatro escola O Tablado, no Rio de Janeiro, além da relação com outros importantes criadores para esse público específico. O convívio e a experiência de trabalho com esse iluminador me despertaram a necessidade de uma investigação aprofundada sobre os efeitos psicológicos da luz e de um registro de suas possibilidades no universo cênico infantil, o que culminou em um projeto de doutorado em desenvolvimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Guimarães Mattos de Souza, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Artista cênica e iluminadora. Mestra pelo Programa de Pós Graduação em Artes da Cena da Escola de Comunicação da UFRJ, na linha de pesquisa Poéticas da cena: Teoria e Crítica (2016). Possui graduação em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2006). Doutoranda pelo Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO (2020). Tem experiência na área de Artes Cênicas, com ênfase em Iluminação Cênica, atuando principalmente no seguinte tema: iluminação cênica.

Downloads

Publicado

2021-07-30 — Atualizado em 2022-04-23

Versões

Como Citar

SOUZA, F. G. M. de. Pintando com Luz o Teatro Infantil: Entrevista com Jorginho de Carvalho. A Luz em Cena: Revista de Pedagogias e Poéticas Cenográficas, Florianópolis, v. 1, n. 01, p. 1-15, 2022. DOI: 10.5965/27644669010120210802. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/aluzemcena/article/view/19911. Acesso em: 28 set. 2022.