Carvão ativado no estabelecimento in vitro de cultivares de framboeseira

Autores

  • Cíntia de Moraes Fagundes Universidade Federal de Pelotas
  • Roseane Maidana Moreira Universidade Federal de Pelotas
  • Aline Ramm Universidade Federal de Pelotas
  • Márcia Wulff Schuch Universidade Federal de Pelotas
  • Zeni Fonseca Pinto Tomaz Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711642017406

Palavras-chave:

Rubus idaeus, oxidação, micropropagação, antioxidante, compostos fenólicos.

Resumo

A propagação da framboeseira (Rubus idaeus L.) é comumente realizada a partir da estacas de raízes. Embora, os frutos possuam sementes viáveis, a reprodução sexuada não é desejada, em razão, de algumas desvantagens, tais como: dormência, elevada variabilidade genética período de juvenilidade. Dessa forma, a micropropagação in vitro é uma técnica viável para o processo de formação de mudas, pois, preserva características genéticas desejáveis das plantas-matrizes, servindo como uma alternativa para os produtores. Objetivou-se então avaliar o efeito de diferentes concentrações de carvão ativado, suplementado ao meio de cultura para as diferentes cultivares de framboeseira. Utilizaram-se o carvão ativado (0; 2 e 4 g L-1), e as cultivares de framboeseira (Indian Summer, Heritage, Willamette, Golden Bliss, Polana, Fallgold, Schönemann e Bababerry). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado arranjado em esquema bifatorial, com quatro repetições. Cada repetição composta por 25 tubos e um explante por tubo. Melhor controle de oxidação foi observado para as cultivares Golden Bliss, Polana, Fallgold, Schönemann e Bababerry, cultivados em meio de cultura acrescido de 4 g L-1 de carvão ativado, devido a absorção de compostos fenólicos liberados no meio de cultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cíntia de Moraes Fagundes, Universidade Federal de Pelotas

Departamento de Fitotecnia

PPGA Fruticultura de Clima Temperado

Roseane Maidana Moreira, Universidade Federal de Pelotas

Departamento de Fitotecnia

PPGA Fruticultura de Clima Temperado

Aline Ramm, Universidade Federal de Pelotas

Departamento de Fitotecnia

PPGA Fruticultura de Clima Temperado

Márcia Wulff Schuch, Universidade Federal de Pelotas

Departamento de Fitotecnia

PPGA Fruticultura de Clima Temperado

Zeni Fonseca Pinto Tomaz, Universidade Federal de Pelotas

Departamento de Fitotecnia

PPGA Fruticultura de Clima Temperado

Downloads

Publicado

2018-01-24

Como Citar

FAGUNDES, C. de M.; MOREIRA, R. M.; RAMM, A.; SCHUCH, M. W.; TOMAZ, Z. F. P. Carvão ativado no estabelecimento in vitro de cultivares de framboeseira. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 16, n. 4, p. 406-413, 2018. DOI: 10.5965/223811711642017406. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/9106. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigo Completo - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)