Respostas fisiológicas e enzimáticas no milho sob diferentes concentrações de nitrogênio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712222023207

Palavras-chave:

Zea mays, solução nutritiva, estado nutricional, atividade enzimática

Resumo

O estudo de aspectos químicos e bioquímicos associados ao desenvolvimento das diferentes partes das plantas permite a observação e o entendimento de uma série de reações que levam à produção de fitomassa e grãos pela cultura de milho. Assim, objetivou-se estudar a diferença na eficiência de uso do nitrogênio nas raízes e parte aérea em dois genótipos de milho, na fase inicial de crescimento das plantas e avaliar as respostas bioquímico-fisiológicas desses órgãos quando as plantas são submetidas a distintas doses de N em condições hidropônicas. O experimento foi realizado em casa de vegetação, em solução nutritiva por 20 dias, com dois genótipos (AS1522 e AS1596) submetidos a quatro concentrações de N (zero; 112; 224 e 448 mg dm-3). O delineamento utilizado foi em inteiramente casualizado com três repetições. Houve diferença entre os genótipos estudados para as variáveis biométricas, massa de matéria seca, acúmulo de N e aminoácidos livres totais na parte aérea das plantas. Na raiz, a atividade da redutase do nitrato foi a variável que diferenciou a eficiência no uso do nitrogênio entre os genótipos. O genótipo AS1596 é mais eficiente no uso do nitrogênio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARGENTA G et al. 2002. Parâmetros de planta como indicadores do nível de nitrogênio na cultura do milho. Pesquisa Agropecuária Brasileira 37: 519-527.

ASTHIR B et al. 2018. Supplementation of nitrogen and its influence on free sugars, amino acid and protein metabolism in roots and internodes of wheat. Cereal Research Communications 46: 658-667.

BATAGLIA OC et al. 1983. Métodos de análise química de plantas. Campinas: Instituto Agronômico. 41p. (Boletim Técnico 78).

BHATLA SC & LAL MA. 2018. Plant physiology, development and metabolism. Nova Deli: Springer. 1200p

BORTOLINI CG et al. 2002. Sistemas de aplicação de nitrogênio e seus efeitos sobre o acúmulo de N na planta de milho. Revista Brasileira de Ciência do Solo 26: 361-366.

BREDA FAF et al. 2019. Modulation of nitrogen metabolism of maize plants inoculated with Azospirillum brasilense and Herbaspirillum seropedicae. Archives of microbiology 201: 547-558.

BREDEMEIER C & MUNDSTOCK CM. 2000 Regulação da absorção e assimilação do nitrogênio nas plantas. Ciência Rural 30: 365-372.

CÂNDIDO ACTF et al. 2020. Nitrogen rates and residual effect of co-inoculation of soybean on maize plants. Revista Caatinga 33: 633-643.

CARPICI EB et al. 2010. Corn productivity and quality forage influenced by plant density and dose of nitrogen. J Field Harvests 15: 128-132.

CARVALHO RP et al. 2012. Eficiência de cultivares de milho na absorção e uso de nitrogênio em ambientes de cada de vegetação. Semina. Ciências Agrárias 33: 2125-2136.

EFTHIMIADOU A et al. 2020. Effect of foliar and soil application of plant growth promoting bacteria on growth, physiology, yield and seed quality of maize under Mediterranean conditions. Scientific reports 10: 1-11.

EPSTEIN E & BLOOM A. 2006. Nutrição mineral de plantas: princípios e perspectivas. Londrina: Editora Planta. 401p.

FAGERIA NK. 1998. Otimização da eficiência nutricional na produção das culturas. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 2: 6-16.

FERREIRA DF. 2019. SISVAR: A computer analysis system to fixed effects split plot type designs: Sisvar. Brazilian Journal of Biometrics 37: 529-535.

GALINDO FS et al. 2021. Nitrogen use efficiency and recovery in a wheat-corn rotation under tropical savannah conditions. Nutrient Cycling in Agroecosystems 119: 291-305.

GONDIM ARO et al. 2010. Eficiência nutricional do milho cv. BRS 1030 submetido à omissão de macronutrientes em solução nutritiva. Revista Ceres 57: 539-544.

JAWORSKI EG. 1971. Nitrate reductase assay in intact plant tissues. Biochemical and Biophysical Research Communications 43: 1274- 1279.

JENA N. et al. 2015. Effect of nitrogen and phosphate fertilizers on the growth and yield of quality protein maize (QPM). Intern. J Sci. Res. 4: 1839-1840.

KALISZ A et al. 2019. Survey of 17 elements, including rare earth elements, in chilled and non-chilled cauliflower cultivars. Scientific reports 9: 1-14.

LAMBERS H & OLIVEIRA RS. 2019. Growth and allocation. In: Plant physiological ecology. Perth: Springer. p.385-449.

MĂLINAŞ A et al. 2022. Current Status and Future Prospective for Nitrogen Use Efficiency in Wheat (Triticum aestivum L.). Plants 11: 217.

MOORE S. 1968. Amino acids analysis: Aqueous dimethilsulfoxide as solvent for the ninhidrin reaction. Journal Biology Chemistry 243: 6281-6283.

MUHAMMAD I et al. 2022. Nitrogen fertilizer modulates plant growth, chlorophyll pigments and enzymatic activities under different irrigation regimes. Agronomy 12: 845

NAEEM M et al. 2017. Improving drought tolerance in maize by foliar application of boron: water status, antioxidative defense and photosynthetic capacity. Archives of agronomy and soil science 64: 626-639.

OLIVEIRA MA et al. 2022. Trinexapac-ethyl application time in the crop corn agronomic performance grown under different plant arrangements. Semina: Ciênc. Agrár. 43: 809-826.

PETEAN CC et al. 2019. Polímeros orgânicos com ureia dissolvida e doses de nitrogênio no milho. Revista de Ciências Agrárias 62: 1-9.

PHELAN PL et al. 1996. Soil-Management history and host preference by Ostrinia nubilalis: Evidence for plant mineral balance mediating insect-plant interactions. Environmental Entomology 25: 1329-1336.

SCHIMITZ TH et al. 2010. Avaliação de cultivares de milho do ensaio centro precoce normal em Dois Vizinhos-PR, safra 2009-2010. Seminário: Sistemas de Produção Agropecuária 3: 1-6.

SILVA ES et al. 2021. Response of corn seedlings (Zea mays L.) to different concentrations of nitrogen in absence and presence of silicon. Silicon 13: 813-818.

SILVA MMD. 2021. Mudanças no perfil metabólico de Guzmania monostachia (Bromeliaceae) resultantes do estresse hídrico e cultivo em nitrato como fonte única de nitrogênio. Dissertação (Mestrado em botânica). São Paulo: USP. 51p.

TAIZ L et al. 2017. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. Porto Alegre: Artmed.

TOCA A et al. 2022. Environmental conditions in the nursery regulate root system development and architecture of forest tree seedlings: a systematic review. New Forests 53: 1113–1143.

ULLAH H et al. 2019. Improving water use efficiency, nitrogen use efficiency, and radiation use efficiency in field crops under drought stress: A review. Advances in agronomy 156: 109-157.

ZEFFA DM et al. 2019. Azospirillum brasilense promotes increases in growth and nitrogen use efficiency of maize genotypes. Plos one 14: e0215332.

Downloads

Publicado

2023-05-31

Como Citar

NETO, Edson Dias de Oliveira; RODRIGUES, Helen Cristina de Arruda; CAZETTA, Jairo Osvaldo; SOUZA, Henrique Antunes de. Respostas fisiológicas e enzimáticas no milho sob diferentes concentrações de nitrogênio. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 22, n. 2, p. 207–217, 2023. DOI: 10.5965/223811712222023207. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/23076. Acesso em: 20 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)