Aspectos gerais e silviculturais de Cordia americana, Aspidosperma polyneuron, Toona ciliata e Khaya spp.

Autores

  • Danieli Regina Klein Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Mariane Moura Andrade Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Dois Vizinhos
  • Joseane Aparecida Derengoski Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Pato Branco
  • Edilaine Duarte Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Sandra Mara Krefta Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Ana Cláudia da Silveira Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Eleandro José Brun Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Dois Vizinhos

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711522016155

Palavras-chave:

Silvicultura, cultivo, espécies nativas.

Resumo

O Brasil possui grande diversidade de espécies florestais, no entanto, os povoamentos em sua maioria são com espécies dos gêneros Eucalyptus e Pinus. Frente a isso, o presente estudo baseia-se na análise das características de espécies nativas com alto potencial madeireiro e espécies de caráter inovador para cultivo. O cedro australiano (Toona ciliata) e o mogno africano (Khaya spp.) constituem espécies importantes, principalmente, beneficiando na redução da exploração das matas nativas ainda existentes no país. Entretanto as espécies de guajuvira (Cordia americana) e peroba-rosa (Aspidosperma polyneuron) mostram-se com um grande potencial ainda a ser explorado, tanto para liberação de plantios comerciais e seu uso adequado, que atenda exigências de sustentabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-08-15

Como Citar

KLEIN, D. R.; ANDRADE, M. M.; DERENGOSKI, J. A.; DUARTE, E.; KREFTA, S. M.; SILVEIRA, A. C. da; BRUN, E. J. Aspectos gerais e silviculturais de Cordia americana, Aspidosperma polyneuron, Toona ciliata e Khaya spp. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 15, n. 2, p. 155-164, 2016. DOI: 10.5965/223811711522016155. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/223811711522016155. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Revisão Bibliográfica

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)