Caracterização morfológica do fruto, semente, fases da germinação e plântula de Ocotea paranaensis

Autores

  • Sheilly Raquelly Prado de Paula Universidade Federal do Paraná
  • Antonio Carlos Nogueira Universidade Federal do Paraná
  • Alessandro Camargo Angelo Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711522016103

Palavras-chave:

Lauraceae, espécie florestal nativa, morfologia vegetal.

Resumo

Ocotea paranaensis é uma espécie de baixa frequência na Mata Atlântica com registros de ocorrência apenas no estado do Paraná. Assim, este trabalho teve como objetivo descrever e ilustrar a morfologia de fruto e semente, fases da germinação e plântula de Ocotea paranaensis. Os frutos foram coletados em cinco matrizes no Parque Estadual das Lauráceas, Adrianópolis, PR. Para a descrição e ilustração do fruto e da semente foram analisadas 50 amostras. Para acompanhar as fases da germinação e o desenvolvimento da plântula, cinco repetições de 10 sementes foram colocadas em substrato vermiculita e postas em germinador Biomatic, a 30 ºC. O fruto é do tipo drupa, indeiscente, verde-claro a preto, epicarpo fino, glabro, liso, brilhante, mesocarpo carnoso, bastante espesso e endocarpo liso, coriáceo. A semente é exalbuminosa, globosa, tegumento liso, membranáceo, coloração castanho. O embrião é axial, plano-convexo, de coloração rosada. A germinação iniciou-se no 8º dia se estendendo até o 60º dia após a instalação do teste, sendo a plântula hipógea, criptocotiledonar, epicótilo cilíndrico com catáfilos verde-claro e protofilos simples, alternos, ápice agudo, base cuneada e coloração verde-claro. Os aspectos descritos e ilustrados mostraram-se confiáveis para a identificação da espécie em viveiros e em estudos de regeneração natural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-08-15

Como Citar

PAULA, S. R. P. de; NOGUEIRA, A. C.; ANGELO, A. C. Caracterização morfológica do fruto, semente, fases da germinação e plântula de Ocotea paranaensis. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 15, n. 2, p. 103-108, 2016. DOI: 10.5965/223811711522016103. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/223811711522016103. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Artigo Completo - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)