Levantamento das espécies frutíferas em áreas de agricultura familiar no município de Santarém, Pará

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712222023268

Palavras-chave:

Amazônia, Fruteiras, Segurança alimentar

Resumo

As espécies frutíferas se apresentam como estratégia importante para garantia da segurança e soberania alimentar de populações tradicionais. O objetivo do trabalho foi estimar a riqueza e registrar as espécies frutíferas cultivadas em quintais de agricultura familiar no município de Santarém, Pará. O levantamento das espécies frutíferas foi realizado em 13 quintais das famílias visitadas. Foram registrados 520 indivíduos pertencentes a 39 espécies, 29 gêneros e 16 famílias botânicas. Destacaram-se as famílias Arecaceae (6 spp.) e Myrtaceae (5 spp.). Em média foram encontradas 14 espécies frutíferas por quintal, evidenciando que o cultivo dessas espécies nos quintais está fortemente associado ao suprimento da demanda alimentos para o consumo familiar. As espécies Persea americana (100%), Cocos nucifera (100%) e Theobroma grandiflorum (92%) foram as mais frutíferas mais frequentes. A riqueza de espécies frutíferas encontrados nos quintais das famílias visitadas revela a importância desses ambientes na soberania e segurança alimentar e nutricional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANTUNES LDM. 2021. Um sopro de esperança na América latina: a importância das políticas públicas para a segurança e soberania alimentar. Revista Moitará 1: 151 – 178.

APG IV. 2016. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society 181: 1-20.

APPOLINÁRIO F. 2012. Metodologia da ciência: filosofia e prática da pesquisa. 2.ed. São Paulo: Cengage Learning. 22 p.

COSTA GC et al. 2017. Caracterização socioeconômica e levantamento de espécies vegetais em quintais agroflorestais da zona rural do município de Parauapebas, Pará. Agroecossistemas 9: 199-211.

COSTA ACL et al. 2013. Variações termo-higrométricas e influências de processo de expansão urbana em cidade equatorial de médio porte. Brazilian Geographical Journal, Ituiutaba 4: 615-632.

DAMACENO JBD & LOBATO ACN. 2019. Caracterização de um quintal agroflorestal na Amazônia Central, Brasil. Revista Brasileira Gestão Ambiental e Sustentabilidade 6: 163-173.

FELFILI JM & REZENDE RP. 2003. Conceitos e métodos em fitossociologia. Brasília: UNB. 68p. (Comunicações Técnicas Florestais 5).

FERREIRA SMR & BARTACHEVITS ELF. 2022. Sociobiodiversidade e Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional como um direito indissociável à alimentação adequada e saudável. Research, Society and Development 11: 1 – 13.

FERREIRA-ALVES ES & RAYOL BP. 2021. Diversidade das Espécies Arbóreas em Quintais de Várzea da Ilha Saracá, Limoeiro do Ajuru, Pará. Espaço Aberto 11: 63-80.

GONÇALVES AL et al. 2017. Ocorrência de espécies nativas e exóticas nos quintais agroflorestais urbanos de Breu Branco-PA. Enciclopédia Biosfera 14: 994-1011.

OLIVEIRA LL et al. 2020. Efeitos dos eventos extremos climáticos na variabilidade hidrológica em um rio de Ecossistema Tropical Amazônico. Revista Ibero Americana de Ciências Ambientais 11: 145-153.

MATOS FILHO JR et al. 2021. Quintais agroflorestais em uma comunidade rural no vale do Rio Araguari, Amazônia Oriental. Revista Ibero Americana de Ciências Ambientais 12: 47-62.

MOBOT. 2021. Missouri Garden W3 Tropicos. Disponível em: https://www.tropicos.org/home. Acesso em: 15 dez. 2021.

MOURA RRO et al. 2021. Quintais agroflorestais: estrutura, composição e organização socioprodutiva. Revista Brasileira de Agroecologia 16: 60–72.

NASCIMENTO AKM et al. 2021. Estrutura e composição florística de quintais agroflorestais de uma comunidade rural (Moju, Pará). Revista Conexão na Amazônia 3: 28 – 39.

PEREIRA SCB et al. 2018. Levantamento Etnobotânico de Quintais Agroflorestais em Agrovila no Município de Altamira, Pará. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável 13: 200-207.

PORTAL L et al. 2021. Etnobotânica de quintais urbanos de Salvaterra, Marajó oriental, Pará, Brasil. Revista Comunicação Universitária 1: 1-26.

RAPOZO BMS. 2018. Quintais agroecológicas e soberania alimentar na agricultura camponesa do sertão do Pajeú, Pernambuco. Revista Política e Planejamento Regional 5: 194-215.

RAYOL BP & MIRANDA IS. 2017. Influência dos fatores socioeconômicos sobre a riqueza de plantas de quintais agroflorestais da Amazônia Central. Revista Espacios, 38: 28-40.

RAYOL BP & MIRANDA IS. 2019. Quintais agroflorestais na Amazônia Central: caracterização, importância social e agrobiodiversidade. Ciência Florestal 29: 1614-1629.

RODRIGUES TE. 2001. Caracterização dos solos da área do planalto de Belterra, município de Santarém, Estado do Pará. Belém: Embrapa Amazônia Oriental. 54 p. (Documentos 115).

SILVA TP et al. 2014. Levantamento de espécies vegetais e utilização em quintal agroflorestal de estabelecimento agrícola no Assentamento Alegria - Marabá, Pará. Agroecossistemas 6: 103-109.

TAGLIAPIETRA OM et al. 2021. A importância do conhecimento local dos agricultores familiares e demais populações rurais para o desenvolvimento rural sustentável. Revista Gestão e Desenvolvimento 18: 179-199.

Downloads

Publicado

2023-05-31

Como Citar

RAYOL, Yasmin; CRISTOVÃO, Eduarda Emilia Magalhães; ROMANO, Maria Lita Padinha Correa. Levantamento das espécies frutíferas em áreas de agricultura familiar no município de Santarém, Pará. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 22, n. 2, p. 268–273, 2023. DOI: 10.5965/223811712222023268. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/22074. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados