Eficiência do método de saturação por bases para recomendação de calagem em um Latossolo Amarelo na Amazônia Oriental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712132022298

Palavras-chave:

acidez, calcário, necessidade de calagem, fertilidade, solos amazônicos

Resumo

Alta acidez do solo, baixa capacidade de troca catiônica e baixa fertilidade são os principais gargalos das atividades agrícolas na região amazônica, o que torna a calagem uma técnica essencial para a produção agrícola. Este estudo teve como objetivo avaliar a eficiência de dois métodos de calagem, a saber, a lanço e incorporado ao solo, para atender às exigências da saturação por bases (V%) em diferentes profundidades e intervalos de tempo em um Latossolo Amarelo na Amazônia oriental. O experimento foi realizado em delineamento de blocos casualizados em esquema fatorial 5 × 2, com cinco doses de calcário recomendadas para elevar o V a 0, 40, 80, 160 e 320% e dois métodos de aplicação (a lanço e incorporado). Após a aplicação do calcário, amostras de solo foram coletadas em três profundidades (0,00-0,05, 0,05-0,10 e 0,10-0,20 m) em três períodos (30, 60 e 90 dias após a aplicação, DAA) para determinação do V%. Os maiores valores de V% foram observados aos 30 DAA com incorporação. O valor de V% esperado foi obtido pela incorporação da dose de 40%, mas foi limitado às camadas de 0,00-0,05 e 0,05-0,10 m. A incorporação de cálcario é o método mais eficiente para atingir os níveis recomendados de V% aos 30 DAA. Aos 90 DAA, a maioria das doses não forneceu valores de V% iguais ou superiores aos valores calculados. Portanto, análises de regressão são recomendadas em experimentos de campo respeitando o limite de 80% V.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALLEONI LRF et al. 2005 Atributos químicos de um latossolo de cerrado sob plantio direto, de acordo com doses e formas de aplicação de calcário. Revista Brasileira de Ciência do Solo 29: 923-934.

ALMADA AP et al. 2021. Characterization and classification of soils from an Amazonic Biome in western Pará. Revista Brasileira de Ciências Agrárias 16: e8458.

AMARAL AS & ANGHINONI I. 2001. Alteração de parâmetros químicos do solo pela reaplicação superficial de calcário no sistema plantio direto. Pesquisa Agropecuária Brasileira 36: 695-702.

BAMBOLIM A et al. 2015. Calcário líquido e calcário convencional na correção da acidez do solo. Revista de Agricultura Neotropical 2: 34-38

BEAR FE & TOTH SJ. 1948. Influence of calcium on availability of other soil cations. Soil Science 65: 69-74.

BRASIL EC & CRAVO MS. 2020. Interpretação dos resultados da análise do solo. In: BRASIL EC et al. Recomendações de adubação para o estado do Pará. 2.ed. Brasília: Embrapa. p.61-66.

CAIRES EF et al. 2003. Alterações químicas do solo e resposta da soja ao calcário e gesso aplicados na implantação do sistema plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo 27: 275-286.

CAIRES EF & FONSECA AF. 2000. Absorção de nutrientes pela soja cultivada no sistema de plantio direto em função da calagem na superfície. Bragantia 59: 213-220.

CAIRES EF et al. 1999. Produção de milho, trigo e soja em função das alterações das características químicas do solo pela aplicação de calcário e gesso na superfície, em sistema de plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo 23: 315-327.

CAIRES EF et al. 2004. Alterações químicas do solo e resposta do milho à calagem e aplicação de gesso. Revista Brasileira de Ciência do Solo 28: 125-136.

CARMO DL & SILVA CA. 2016. Condutividade elétrica e crescimento do milho em solos contrastantes sob aplicação de diversos níveis de calagem. Pesquisa Agropecuária Brasileira 51: 1762-1772.

CORÁ JE & BERALDO JMG. 2006. Variabilidade espacial de atributos do solo antes e após calagem e fosfatagem em doses variadas na cultura de cana-de-açúcar. Revista de Engenharia Agrícola 26: 374-387.

CRAVO MS et al. 2012. Calagem em Latossolo Amarelo distrófico da Amazônia e sua influência em atributos químicos do solo e produtividade de culturas anuais. Revista Brasileira de Ciência do Solo 36: 895-905.

CAVALCANTE LF et al. 2018. Produção de maracujazeiro amarelo no solo com calcário e potássio sob irrigação com água salina. Revista Irriga 23: 727-740.

FILHO MPB & SILVA OF. 2000. Adubação e calagem para o feijoeiro irrigado em solo de cerrado. Pesquisa Agropecuária Brasileira 35: 1317-1324.

FISCH G et al. 1998. Uma revisão geral sobre o clima da Amazônia. Acta Amazonica 28: 101-126.

FRANCHINI JC et al. 2001. Potencial de extratos de resíduos vegetais na mobilização do calcário no solo por método biológico. Scientia Agricola 58: 357-360.

GLASER B & BIRK JJ. 2012. State of the scientific knowledge on properties and genesis of Anthropogenic Dark Earths in Central Amazonia (terra preta de Índio). Geochimica et Cosmochimica Acta 82: 39-51.

INMET. 2020. Instituto Nacional de Meteorologia. Disponível em: <http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r= home/page&page=rede_estacoes_conv_graf>. Acesso em: 04 set. 2020.

MARASCHIN L et al. 2020. Incubação do calcário e as características químicas de solos com texturas diferentes. Revista Nativa 8: 43-51.

NATALE W et al. 2007. Efeitos da calagem na fertilidade do solo e na nutrição e produtividade da goiabeira. Revista Brasileira de Ciência do Solo 31: 1475-1485.

NETO PHW et al. 2000. Correção da acidez do solo em função de modos de incorporação de calcário. Ciência Rural 30: 257-261.

NOLLA A et al. 2020. Correção da acidez e disponibilização de fósforo e potássio em latossolo vermelho distrófico típico submetido à calagem incorporada e superficial. Brazilian Journal of Animal and Environmental Research 3: 2478-2487.

OLIVEIRA EL & PARRA MS. 2003. Resposta do feijoeiro a relações variáveis entre cálcio e magnésio na capacidade de troca de cátions de latossolos. Revista Brasileira de Ciência do Solo 27: 859-866.

QUARTEZANI WZ et al. 2015. Efeito residual de corretivo líquido na acidez do solo na cultura do café. Revista Energia na Agricultura 30: 150-154.

ROSA JUNIOR EJR et al. 2006. Calcário e gesso como condicionantes físico e químico de um solo de cerrado sob três sistemas de manejo. Pesquisa Agropecuária Tropical 36: 37-44.

SILVA NM et al. 1995. Ensaio de longa duração com calcário e cloreto de potássio na cultura do algodoeiro. Bragantia 54: 353-360.

SILVA CARNEIRO JS et al. 2018. Supercalagem: alterações em atributos químicos de um latossolo vermelho-amarelo distrófico. Revista de Ciências Agroambientais 16: 32-38.

SOMBROEK WG et al. 1993. Amount, dinamics and sequestering of carbon in tropical and subtropical soils. Ambio 22: 417-426.

SOUSA MA et al. 2020. Atributos químicos e frações da matéria orgânica em solos antrópicos na Amazônia Oriental. Brazilian Journal of Development 6: 29623-29643.

TEIXEIRA PC et al. 2017. Manual de Métodos de Análise de Solo. 3.ed. Rio de Janeiro: Embrapa Solos. 573p.

VASQUES NC et al. 2020. Resposta da biomassa microbiana a diferentes corretivos de solo. Revista Ibero Americana de Ciências Ambientais 11: 161-169.

VELOSO CAS et al. 2001. Relações Cálcio, Magnésio e Potássio sobre a produtividade de matéria seca de milho. Acta Amazônica 31: 193-204.

Downloads

Publicado

2022-10-19

Como Citar

SOUSA, M. A. de; REIS, I. M. S. Eficiência do método de saturação por bases para recomendação de calagem em um Latossolo Amarelo na Amazônia Oriental. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 21, n. 3, p. 298-307, 2022. DOI: 10.5965/223811712132022298. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/21592. Acesso em: 10 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência do Solo e do Ambiente