Eficiência do método de saturação por bases para recomendação de calagem em um Latossolo Amarelo na Amazônia Oriental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712132022298

Palavras-chave:

acidez, calcário, necessidade de calagem, fertilidade, solos amazônicos

Resumo

Alta acidez do solo, baixa capacidade de troca catiônica e baixa fertilidade são os principais gargalos das atividades agrícolas na região amazônica, o que torna a calagem uma técnica essencial para a produção agrícola. Este estudo teve como objetivo avaliar a eficiência de dois métodos de calagem, a saber, a lanço e incorporado ao solo, para atender às exigências da saturação por bases (V%) em diferentes profundidades e intervalos de tempo em um Latossolo Amarelo na Amazônia oriental. O experimento foi realizado em delineamento de blocos casualizados em esquema fatorial 5 × 2, com cinco doses de calcário recomendadas para elevar o V a 0, 40, 80, 160 e 320% e dois métodos de aplicação (a lanço e incorporado). Após a aplicação do calcário, amostras de solo foram coletadas em três profundidades (0,00-0,05, 0,05-0,10 e 0,10-0,20 m) em três períodos (30, 60 e 90 dias após a aplicação, DAA) para determinação do V%. Os maiores valores de V% foram observados aos 30 DAA com incorporação. O valor de V% esperado foi obtido pela incorporação da dose de 40%, mas foi limitado às camadas de 0,00-0,05 e 0,05-0,10 m. A incorporação de cálcario é o método mais eficiente para atingir os níveis recomendados de V% aos 30 DAA. Aos 90 DAA, a maioria das doses não forneceu valores de V% iguais ou superiores aos valores calculados. Portanto, análises de regressão são recomendadas em experimentos de campo respeitando o limite de 80% V.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALLEONI LRF et al. 2005 Atributos químicos de um latossolo de cerrado sob plantio direto, de acordo com doses e formas de aplicação de calcário. Revista Brasileira de Ciência do Solo 29: 923-934.

ALMADA AP et al. 2021. Characterization and classification of soils from an Amazonic Biome in western Pará. Revista Brasileira de Ciências Agrárias 16: e8458.

AMARAL AS & ANGHINONI I. 2001. Alteração de parâmetros químicos do solo pela reaplicação superficial de calcário no sistema plantio direto. Pesquisa Agropecuária Brasileira 36: 695-702.

BAMBOLIM A et al. 2015. Calcário líquido e calcário convencional na correção da acidez do solo. Revista de Agricultura Neotropical 2: 34-38

BEAR FE & TOTH SJ. 1948. Influence of calcium on availability of other soil cations. Soil Science 65: 69-74.

BRASIL EC & CRAVO MS. 2020. Interpretação dos resultados da análise do solo. In: BRASIL EC et al. Recomendações de adubação para o estado do Pará. 2.ed. Brasília: Embrapa. p.61-66.

CAIRES EF et al. 2003. Alterações químicas do solo e resposta da soja ao calcário e gesso aplicados na implantação do sistema plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo 27: 275-286.

CAIRES EF & FONSECA AF. 2000. Absorção de nutrientes pela soja cultivada no sistema de plantio direto em função da calagem na superfície. Bragantia 59: 213-220.

CAIRES EF et al. 1999. Produção de milho, trigo e soja em função das alterações das características químicas do solo pela aplicação de calcário e gesso na superfície, em sistema de plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo 23: 315-327.

CAIRES EF et al. 2004. Alterações químicas do solo e resposta do milho à calagem e aplicação de gesso. Revista Brasileira de Ciência do Solo 28: 125-136.

CARMO DL & SILVA CA. 2016. Condutividade elétrica e crescimento do milho em solos contrastantes sob aplicação de diversos níveis de calagem. Pesquisa Agropecuária Brasileira 51: 1762-1772.

CORÁ JE & BERALDO JMG. 2006. Variabilidade espacial de atributos do solo antes e após calagem e fosfatagem em doses variadas na cultura de cana-de-açúcar. Revista de Engenharia Agrícola 26: 374-387.

CRAVO MS et al. 2012. Calagem em Latossolo Amarelo distrófico da Amazônia e sua influência em atributos químicos do solo e produtividade de culturas anuais. Revista Brasileira de Ciência do Solo 36: 895-905.

CAVALCANTE LF et al. 2018. Produção de maracujazeiro amarelo no solo com calcário e potássio sob irrigação com água salina. Revista Irriga 23: 727-740.

FILHO MPB & SILVA OF. 2000. Adubação e calagem para o feijoeiro irrigado em solo de cerrado. Pesquisa Agropecuária Brasileira 35: 1317-1324.

FISCH G et al. 1998. Uma revisão geral sobre o clima da Amazônia. Acta Amazonica 28: 101-126.

FRANCHINI JC et al. 2001. Potencial de extratos de resíduos vegetais na mobilização do calcário no solo por método biológico. Scientia Agricola 58: 357-360.

GLASER B & BIRK JJ. 2012. State of the scientific knowledge on properties and genesis of Anthropogenic Dark Earths in Central Amazonia (terra preta de Índio). Geochimica et Cosmochimica Acta 82: 39-51.

INMET. 2020. Instituto Nacional de Meteorologia. Disponível em: <http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r= home/page&page=rede_estacoes_conv_graf>. Acesso em: 04 set. 2020.

MARASCHIN L et al. 2020. Incubação do calcário e as características químicas de solos com texturas diferentes. Revista Nativa 8: 43-51.

NATALE W et al. 2007. Efeitos da calagem na fertilidade do solo e na nutrição e produtividade da goiabeira. Revista Brasileira de Ciência do Solo 31: 1475-1485.

NETO PHW et al. 2000. Correção da acidez do solo em função de modos de incorporação de calcário. Ciência Rural 30: 257-261.

NOLLA A et al. 2020. Correção da acidez e disponibilização de fósforo e potássio em latossolo vermelho distrófico típico submetido à calagem incorporada e superficial. Brazilian Journal of Animal and Environmental Research 3: 2478-2487.

OLIVEIRA EL & PARRA MS. 2003. Resposta do feijoeiro a relações variáveis entre cálcio e magnésio na capacidade de troca de cátions de latossolos. Revista Brasileira de Ciência do Solo 27: 859-866.

QUARTEZANI WZ et al. 2015. Efeito residual de corretivo líquido na acidez do solo na cultura do café. Revista Energia na Agricultura 30: 150-154.

ROSA JUNIOR EJR et al. 2006. Calcário e gesso como condicionantes físico e químico de um solo de cerrado sob três sistemas de manejo. Pesquisa Agropecuária Tropical 36: 37-44.

SILVA NM et al. 1995. Ensaio de longa duração com calcário e cloreto de potássio na cultura do algodoeiro. Bragantia 54: 353-360.

SILVA CARNEIRO JS et al. 2018. Supercalagem: alterações em atributos químicos de um latossolo vermelho-amarelo distrófico. Revista de Ciências Agroambientais 16: 32-38.

SOMBROEK WG et al. 1993. Amount, dinamics and sequestering of carbon in tropical and subtropical soils. Ambio 22: 417-426.

SOUSA MA et al. 2020. Atributos químicos e frações da matéria orgânica em solos antrópicos na Amazônia Oriental. Brazilian Journal of Development 6: 29623-29643.

TEIXEIRA PC et al. 2017. Manual de Métodos de Análise de Solo. 3.ed. Rio de Janeiro: Embrapa Solos. 573p.

VASQUES NC et al. 2020. Resposta da biomassa microbiana a diferentes corretivos de solo. Revista Ibero Americana de Ciências Ambientais 11: 161-169.

VELOSO CAS et al. 2001. Relações Cálcio, Magnésio e Potássio sobre a produtividade de matéria seca de milho. Acta Amazônica 31: 193-204.

Downloads

Publicado

2022-10-19

Como Citar

SOUSA, Mateus Alves de; REIS, Iolanda Maria Soares. Eficiência do método de saturação por bases para recomendação de calagem em um Latossolo Amarelo na Amazônia Oriental. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 21, n. 3, p. 298–307, 2022. DOI: 10.5965/223811712132022298. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/21592. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência do Solo e do Ambiente