Melhoramento de campo nativo com uso de calcário e gesso agrícola nos Campos de Cima da Serra/RS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712042021325

Palavras-chave:

calagem, forragem, nutrição

Resumo

O objetivo deste trabalho foi verificar o efeito da aplicação de calcário, em doses superiores às recomendadas, e de gesso agrícola na produtividade e teor de macronutrientes do campo nativo na região dos Campos de Cima da Serra – RS. O experimento foi realizado em área de pastagem nativa, localizado em Vacaria – RS. O experimento foi disposto em blocos completamente casualizados alocados em parcelas subdivididas, com quatro repetições. Conduzido em esquema fatorial 3x2: sendo três doses de calcário (0; 3,0 e 5,0 ton ha-1, visando atingir a saturação por bases de 65% e 5,0 ton ha-1, visando atingir uma saturação por bases de 75%) e duas doses de gesso (0 e 2,0 ton ha-1), aplicados superficialmente. O gesso agrícola foi aplicado aleatoriamente em uma das subparcelas. Ao final de cada estação climática foram realizadas avaliações da produção de massa de forragem e teor de macronutrientes, na matéria seca da parte aérea, em duas amostras coletada de uma área de 0,25 m2 por parcelas, através do corte da parte aérea “rente ao solo”. A produção de matéria seca do campo nativo no outono, inverno e primavera, apresentou incremento significativo com a aplicação de 5 ton ha-1, sem haver influência no verão. A aplicação de calcário no solo aumentou o teor de nitrogênio e potássio no tecido foliar do campo nativo no período do outono e de cálcio na primavera. A aplicação de gesso agrícola aumentou a produção de matéria seca apenas na primavera e reduziu os teores de magnésio no inverno. Portanto, os resultados demonstram, o potencial de uso do calcário em doses superiores as recomendadas atualmente e do gesso agrícola para aumento da produção de forragem e qualidade das forragens naturais nas épocas avaliadas por este presente trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO B. 2017 A importância da correção de solo ligada a calcário e gesso. Disponível em: <https://ruralcentro.com.br/analises/a-importancia-da-correcao-de-solo-ligada-a-calcario-e-gesso-4754>. Acesso em: 10 out. 2020.

AVILA MR et al. 2019. Botanical composition of a natural rangeland overseeded with annual ryegrass under N fertilization. Scientia Agropecuaria 10: 303-305.

BOLDRINI II. 2009. A flora dos campos do Rio Grande do Sul. In: PILLAR VD. (Ed.). Campos sulinos: conservação e uso sustentável da biodiversidade. Brasília: MMA. p.63-77.

CAIRES EF et al. 1998. Alterações de características químicas do solo e resposta da soja ao calcário e gesso aplicados na superfície em sistema de cultivo sem preparo do solo. Revista Brasileira de Ciência do Solo 22: 27-34.

CAIRES EF & GUIMARAES AM. 2016. Recomendação de gesso para solos sob plantio direto da região Sul do Brasil. In: FertBio 2016. Resumos... Goiânia. p.1.

CAIRES EF et al. 2002. Correção da acidez do solo, crescimento radicular e nutrição do milho de acordo com a calagem na superfície em sistema plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo 26: 1011-1022.

CARVALHO PCF et al. 1998. Potencial produtivo do campo nativo do Rio Grande do Sul. In: PATIÑO HO. (Ed.). Suplementação de ruminantes em pastejo. Porto Alegre: UFRGS. p.1-20.

CONTE ED et al. 2018. Rates of Agricultural Gypsum in Soil Under No-tillage System With Surface Lime in the Southern of Brazil. Journal of Agricultural Science 10: 544.

CONTE ED et al. 2016. Boas práticas de manejo de solo, plantas daninhas e agricultura de precisão. 1.ed. Caxias do Sul: EDUCS.

CORSI M & SILVA RTL. 1985. Fatores que afetam a composição mineral de plantas forrageiras. In: SIMPÓSIO DE NUTRIÇÃO DE BOVINOS. Resumos... Piracicaba: FEALQ. p.1-14.

COSTA NL et al. 2012. Resposta de Brachiaria brizantha cv. Xaraés a níveis de calagem. PUBVET 6: 1-10.

CQFS – RS/SC. 2016. Comissão de Química e Fertilidade do Solo – RS/SC. Manual de calagem e adubação para os Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 11.ed. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo – Núcleo Regional Sul. 376 p. (Manual).

DOS SANTOS MP et al. 2016. Importância da calagem, adubações tradicionais e alternativas na produção de plantas forrageiras: revisão. PUBVET 10: 1-12.

ELEJALDE DAG et al. 2012. Quality of the forage apparently consumed by beef calves in natural grassland under fertilization and oversown with cool season forage species. Revista Brasileira de Zootecnia 41: 1360-1368.

FERREIRA ET et al. 2011. Terminação de novilhos de corte Angus e mestiços em pastagem natural na região da Campanha do RS. Revista Brasileira de Zootecnia 40: 2048-2057.

HERINGER I & JACQUES AVA. 2002. Qualidade da forragem de pastagem nativa sob distintas alternativas de manejo. Pesquisa Agropecuária Brasileira 37: 399-406.

IBGE. 2020. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Contas de Extensão de Ecossistema. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/tabela/7335#resultado>. Acesso em: 13 jan. 2021.

MALAVOLTA E et al. 1997. Avaliação do estado nutricional das 284 plantas: princípios e aplicações. 2.ed. Piracicaba: Potafos. 319p.

MESQUITA EE et al. 2002. Efeitos de métodos de estabelecimento de braquiária e estilosantes e de doses de calcário, fósforo e gesso sobre alguns componentes nutricionais da forragem. Revista Brasileira de Zootecnia 31: 2186- 2196.

MOREIRA FB et al. 2001. Avaliação de aveia preta cv Iapar 61 submetida a níveis crescentes de nitrogênio em área proveniente de cultura de soja. Acta Scientiarum Animal Sciences 23: 815-821.

NABINGER C et al. 2009. Produção animal com base no campo nativo: aplicações de resultados de pesquisa. In: PILLAR VD. (Ed.). Campos sulinos: conservação e uso sustentável da biodiversidade. Brasília: MMA. p.175-198.

PAULETTI V et al. 2014. Efeitos em longo prazo da aplicação de gesso e calcário no sistema de plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo 38: 495-505.

SILVA J & QUEIROZ AC. 2006. Analise de alimentos: método químico e biológico. 3.ed. Viçosa: UFV. 235p.

SORATTO RP & CRUSCIOL CAC. 2008. Produção de fitomassa e acúmulo de nutrientes pela aveia-preta em função da aplicação de calcário e gesso em superfície na implantação do sistema plantio direto. Ciência Rural 38: 928-935.

STELLA LA et al. 2013. Melhoramento produtivo do campo nativo através da adubação mineral. In: 3 Simpósio de sustentabilidade e Ciência Animal. Resumos... Pirassununga: USP. P 1-3.

TEDESCO MJ et al. 1995. Análise de solo, plantas e outros materiais. Porto Alegre: UFRGS. 174p. (Boletim Técnico 5).

WEISSHEIMER M. 2015. Os campos do Sul vão virar uma grande lavoura de soja? Porto Alegre: Sul21. Disponível em: <https://www.sul21.com.br/entrevistas-2/2015/06/os-campos-do-sul-vao-virar-uma-grande-lavoura-de-soja/>. Acesso em: 22 out. 2020.

Downloads

Publicado

2021-12-20

Como Citar

DALMINA, J. C.; TEIXEIRA, G. de L.; MATTÉ, J. A.; VELHO, D. A.; VARGAS, V. R. de .; CONTE, E. D. Melhoramento de campo nativo com uso de calcário e gesso agrícola nos Campos de Cima da Serra/RS. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 20, n. 4, p. 325-331, 2021. DOI: 10.5965/223811712042021325. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/19576. Acesso em: 21 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência do Solo e do Ambiente