Plantas relatadas como tóxicas para ruminantes no semiárido nordestino

Autores

  • José Jailson Lima Bezerra Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.
  • Vivyanne Santos Falcão-Silva Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711812019202

Palavras-chave:

animais de produção, intoxicações por plantas, semiárido brasileiro

Resumo

Ao longo dos anos as intoxicações por plantas têm causado prejuízos significativos para os criadores de ruminantes de várias regiões do Brasil, afetando de forma direta o setor pecuário do país. Desta forma, objetivou-se realizar um levantamento com produtores, médicos veterinários, zootecnistas, engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas sobre as principais plantas que causam intoxicações em ruminantes no Curimataú Paraibano. O presente trabalho foi realizado em cinco municípios da microrregião do Curimataú Ocidental Paraibano, incluindo Barra de Santa Rosa, Cuité, Damião, Nova Floresta e Sossego. As entrevistas foram realizadas por meio de três formulários estruturados, contendo indagações específicas sobre casos de intoxicações identificados na referida microrregião. Para a realização desta pesquisa, foram entrevistados 30 participantes (6 representantes de cada município) entre os meses de junho e outubro de 2016. A partir dos dados obtidos por meio das entrevistas, verificou-se que as principais plantas comprovadamente tóxicas do Curimataú Ocidental Paraibano, segundo os entrevistados, foram: Anadenanthera colubrina, Mascagnia rigida, Prosopis juliflora e Manihot glaziovii. Muitos entrevistados demonstram não conhecer o princípio tóxico de outras plantas presentes na região e citadas na literatura como responsáveis por intoxicações em ruminantes, tais como: Mimosa tenuiflora, Crotalaria retusa e a Solanum paniculatum. As plantas Physalis angulata e Ricinus communis foram mencionadas como tóxicas, mas estudos toxicológicos devem ser realizados para comprovar a toxicidade das mesmas. Tais resultados demonstram que são necessárias medidas profiláticas eficazes nas propriedades rurais, evitando, assim, a ocorrência de surtos e mortes de ruminantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGRA MF et al. 2009. Flora da Paraíba, Brasil: Solanum L. (Solanaceae). Acta Botanica Brasilica 23: 826-842.

AMORIM SL et al. 2005. Intoxicação experimental por Manihot glaziovii (Euphorbiaceae) em caprinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 25: 179-187.

AMOROZO MCM & GÉLY A. 1988. Uso de plantas medicinais por cablocos do baixo Amazonas Barcarena, PA, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi 4: 47-131.

ARAÚJO LVC et al. 2004. Estimativa da produção de biomassa de um povoamento de jurema-preta (Mimosa tenuiflora (Willd.) Poiret. com cinco anos de idade. Biomassa & Energia 1: 347-352.

ARAÚJO JAS et al. 2008. Intoxicação experimental por Ipomoea asarifolia (Convolvulaceae) em caprinos e ovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 28: 488-494.

ARAÚJO MM. 2009. Estudo etnobotânico das plantas utilizadas como medicinais no assentamento Santo Antônio, Cajazeiras. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais). Patos: UFCG. 130p.

ASSIS TS et al. 2010. Intoxicações por plantas diagnosticadas em ruminantes e equinos e estimativa das perdas econômicas na Paraíba. Pesquisa Veterinária Brasileira 30: 13-20.

BARBOSA JD et al. 2003. Comparação da sensibilidade de bovinos e búfalos à intoxicação por Palicourea marcgravii (Rubiaceae). Pesquisa Veterinária Brasileira 23: 167-172.

BARBOSA JD et al. 2005. Intoxicações experimental e natural por Ipomoea asarifolia (Convolvulaceae) em búfalos e outros ruminantes. Pesquisa Veterinária Brasileira 25: 231-234.

BARBOSA RR et al. 2007. Plantas tóxicas de interesse pecuário: importância e formas de estudo. Acta Veterinaria Brasilica 1: 1-7.

BEZERRA CWC et al. 2012. Plantas tóxicas para ruminantes e equídeos da microrregião do Cariri Cearense. Ciência Rural 42: 1070-1076.

BRITO MF et al. 2004. A toxidez de diversas lantanas para bovinos e ovinos no Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 24: 153-159.

CARVALHO GD et al. 2009. Principais plantas tóxicas causadoras de morte súbita em bovinos no estado do Espírito Santo-Brasil. Archivos de Zootecnia 58: 87-98.

COSTA RG et al. 2007. Caracterização dos rebanhos caprinos e ovinos na região semi-árida do estado da Paraíba. Revista Científica de Produção Animal 9: 127-136.

COSTA RLD et al. 2009. Um caso de intoxicação de bovinos por Enterolobium contortisiliquum (Timboril) no Brasil. Archivos de Zootecnia 58: 313-316.

DANTAS AFM et al. 2010. Malformações congênitas em ruminantes no semiárido do Nordeste Brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 30: 807-815.

FULLER TC & MCCLINTOCK EM. 1986. Poisonous Plants of California. Berkeley: University of California Press. 433p.

FIEP/SEBRAE. 2010. Federação das Indústrias do Estado da Paraíba/Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas. Campina Grande: FIEP/PB.

GALIZA GJN et al. 2010. Doenças do sistema nervoso de bovinos no semiárido nordestino. Pesquisa Veterinária Brasileira 30: 267-276.

GUARANA ELS et al. 2011. Intoxicação por Solanum paniculatum (Solanaceae) em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 31: 59-64.

IBGE. 2006. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. CENSO 2006. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br> Acesso em: 15 dez. 2016.

IBGE. 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. CENSO 2010. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br>. Acesso em: 15 dez. 2016.

LUCENA RB et al. 2010. Intoxicação por alcaloides pirrolizidínicos em ruminantes e equinos no Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 30: 447-452.

MAHALAKSHMI AM & NIDAVANI RB. 2014. Physalis angulata L.: An ethanopharmacological review. Indo American Journal of Pharmaceutical Research 4: 1479-1486.

MAGALHÃES RMF et al. 2013. Plantas tóxicas de interesse pecuário encontradas na região nordeste do Brasil: Uma Revisão. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal 7: 79-102.

MEDEIROS MA et al. 2012. Utilização de vagens de Prosopis juliflora na alimentação de bovinos e equinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 32: 1014-1016.

MELLO GWS et al. 2010. Plantas tóxicas para ruminantes e eqüídeos no Norte Piauiense. Pesquisa Veterinária Brasileira 30: 1-9.

MORAES NETO JM et al. 2007. Efeito dos eventos ENOS e das TSM na variação pluviométrica do semi-árido paraibano. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola Ambiental 11: 61-66.

NETO SAG et al. 2013. Inquérito epidemiológico sobre plantas tóxicas das mesoregiões Central e Oeste do Rio Grande do Norte. Ciência Rural 43: 1281-1287.

NOBRE VMT et al. 2005. Acute intoxication by Crotalaria retusa in sheep. Toxicon 45: 347-352.

OLINDA RG et al. 2015. Intoxicação por Enterolobium contortisiliquum em bovinos na região Nordeste do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 35: 44-48.

OLIVEIRA CA et al. 2009. Intoxicação por Ipomoea carnea subsp. Fistulosa (Convolvulaceae) em caprinos na Ilha do Marajó, Pará. Pesquisa Veterinária Brasileira 29: 583-588.

PESSOA CRM et al. 2013. Importância econômica, epidemiologia e controle das intoxicações por plantas no Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 33: 752-758.

PESSOA DAN et al. 2015. Resistência à intoxicação por Amorimia septentrionalis em caprinos, induzida pela inoculação ruminal das bactérias Pigmentiphaga kullae e Ancylobacter dichloromethanicus. Pesquisa Veterinária Brasileira 35:125-128.

RIBASKI J et al. 2009. Algaroba (Prosopis juliflora): árvore de uso múltiplo para a região semiárida brasileira. Embrapa Florestas: INFOTECA-E. 8p. (Comunicado Técnico 240).

RIET-CORREA F et al. 2002. Importância do exame clínico para o diagnóstico das enfermidades do sistema nervoso em ruminantes e eqüídeos. Pesquisa Veterinária Brasileira 22: 161-168.

RIET-CORREA F. 2007. Plantas tóxicas e micotoxinas que afetam a reprodução em ruminantes e eqüinos no Brasil. Biológico 69: 63-68.

RIET-CORREA B et al. 2011. Intoxicação por Brachiaria spp. em ruminantes no Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 31: 183-192.

RIET-CORREA F et al. 2012. A pecuária brasileira e as plantas tóxicas. Revista UFG 13: 83-91.

SANTOS JCA et al. 2008. Patogênese, sinais clínicos e patologia das doenças causadas por plantas hepatotóxicas em ruminantes e eqüinos no Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 28: 1-14.

SANTOS JRS et al. 2012. Malformações, abortos e mortalidade embrionária em ovinos causada pela ingestão de Mimosa tenuiflora (Leguminosae). Pesquisa Veterinária Brasileira 32: 1103-1106.

SCHONS SV et al. 2012. Intoxicações por plantas em ruminantes e equídeos na região central de Rondônia. Ciência Rural 42: 1257-1263.

SILVA DM et al. 2006. Plantas tóxicas para ruminantes e eqüídeos no Seridó Ocidental e Oriental do Rio Grande do Norte. Pesquisa Veterinária Brasileira 26: 223-236.

SILVA IP et al. 2008. Intoxicação natural pelas folhas de Mascagnia rigida (Malpighiaceae) em ovinos. Arquivos do Instituto Biológico 75: 229-233.

SOTO-BLANCO B et al. 2004. Intoxicação natural de caprinos e ovinos por Palicourea marcgravii St. Hill. (Rubiaceae). Caatinga 17: 52-56.

SOUZA EJO de et al. 2010. Comportamento ingestivo e ingestão de água em caprinos e ovinos alimentados com feno e silagem de Maniçoba. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal 11: 1056-1067.

SOUZA RIC et al. 2010. Intoxicação por Brachiaria spp. em bovinos no Mato Grosso do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 30: 1036-1042.

TORTELLI FP et al. 2008. Intoxicação por Ipomoea asarifolia em ovinos e bovinos na Ilha de Marajó. Pesquisa Veterinária Brasileira 28: 622-626.

TOKARNIA CH et al. 1999a. Estudos complementares sobre a toxidez de Lantana camara (Verbenaceae) em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 19: 128-132.

TOKARNIA CH et al. 1999b. Experimentos em bovinos com as favas de Enterolobium contortisiliquum e E. timbouva para verificar propriedades fotossensibilizantes e/ou abortivas. Pesquisa Veterinária Brasileira 19: 39-45.

TOKARNIA CH et al. 1999c. Estudos experimentais com plantas cianogênicas em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 19: 84-90.

VASCONCELOS JS et al. 2008. Intoxicação por Mascagnia rigida (Malpighiaceae) em ovinos e caprinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 28: 521-526.

Downloads

Publicado

2019-06-19

Como Citar

BEZERRA, J. J. L.; FALCÃO-SILVA, V. S. Plantas relatadas como tóxicas para ruminantes no semiárido nordestino. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 18, n. 2, p. 202-211, 2019. DOI: 10.5965/223811711812019202. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/10439. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Animais e Produtos Derivados