Princípios para a formação do ator: animado / animador

Liliana Pérez Recio, José Ronaldo Faleiro

Resumo


O artigo analisa, mediante um levantamento documental, experiências, posicionamentos, questionamentos de pessoas de teatro - tais como Heinrich von Kleist(1777-1811),Edward Gordon Craig (1872-1966), Vsevolod Meyerhold (1874-1940), Etienne Decroux (1898-1991) -cujas pesquisas teatrais procuraram suscitar inquietações relativas à proposta de uma linguagem expressiva do Teatro de Animação como meio para uma nova concepção do papel e da técnica do ator. O presente escrito procura também interrogar o modo como tais práticas afetaram os programas de formação do ator contemporâneo, especificamente os do ator animador, trazendo como princípio a ideia de marionetização. Neste sentido, animar se compreende como um princípio para as relações que estabelece o ator ao se expressar teatralmente por meio do corpo-animado, afetando o espaço, o tempo e o publico.  


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5965/1414573103332018389



Direitos autorais 2018 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas



 

    

 

Indexadores

 

       


Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - Centro de Artes (CEART) - Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas - (PPGT) – E-ISSN: 2358.6958 - Endereço: Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Centro de Artes - Av. Madre Benvenuta, 2007, Itacorubi. Florianópolis. SC, Brasil. CEP: 88.035-001 – E-mail: urdimento.ceart@udesc.br

Licença Creative Commons

  Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.