Da representação à representatividade trans: a historiografia do travestismo no teatro ludovicense

Fernanda Areias Oliveira, Fernando Augusto Nascimento

Resumo


Este artigo discute alguns aspectos relacionados à representação e representatividade da mulher trans por meio do recurso cênico do travestismo nos palcos de São Luís (MA). Nesta historiografia destaca-se o recorte sobre uma territorialidade ainda pouco discutida no mapeamento dos espetáculos que focam os estudos de gênero no contexto do teatro brasileiro, reivindicando em sua investigação particularidades regionais de abordagem. Para isto, realizou-se um mapeamento de documentos históricos e entrevistas, deteve-se sobre a análise da manifestação popular O auto do bumba meu boi (XIX), folguedo típico da cultura maranhense, além dos espetáculos Uma Linda quase mulher (1999)Travesqueens (2011) Veronique (2015), os quais serviram de casos para uma investigação interessada em elencar mudanças relacionadas à apropriação de um discurso de representação à representatividade da mulher trans, na cena ludovicense em fins do século XIX até às primeirasdécadas do século XXI, na capital maranhense. 



Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5965/1414573103332018074



Direitos autorais 2018 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas



 

    

 

Indexadores

   

       


Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - Centro de Artes (CEART) - Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas - (PPGT) – E-ISSN: 2358.6958 - Endereço: Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Centro de Artes - Av. Madre Benvenuta, 2007, Itacorubi. Florianópolis. SC, Brasil. CEP: 88.035-001 – E-mail: urdimento.ceart@udesc.br

Licença Creative Commons

  Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.