Notas sobre o self durante a atuação cênica

César Augusto Pimentel de Alencar

Resumo


A discussão a seguir pretende supor um conceito do self, quando considerado como uma qualidade elaborada pelo atuante cênico, em performances cênicas. Sem prever que o self do atuante sofre uma mutação para uma outra e diferente instância do si-mesmo, este artigo defende a existência de certas propriedades de um modo operativo do self, quando no desempenho cênico. Esse modo constitui-se e é retroalimentado pela sua operacionalidade mesma, sem se tornar algo diverso supostamente incorporado pelo atuante. Por ser um estado apreendido, o alcance do estado do self, em seu modo operacional, advoga a relevância empírica de sua aquisição técnica, alicerçada na execução de ações orgânicas, durante a atuação cênica. 

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5965/1414573101202013093



Direitos autorais



 

    

 

Indexadores

 

       


Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - Centro de Artes (CEART) - Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas - (PPGT) – E-ISSN: 2358.6958 - Endereço: Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Centro de Artes - Av. Madre Benvenuta, 2007, Itacorubi. Florianópolis. SC, Brasil. CEP: 88.035-001 – E-mail: urdimento.ceart@udesc.br

Licença Creative Commons

  Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.