PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICOS DE CORTE SUÍNO SUBMETIDOS À RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA-C, ÁCIDOS ORGÂNICOS E SOLUÇÃO SALIN

Eliane Maria de Carli, Simone Canabarro Palezi, Marlise Zoz, Leadir Lucy Fries

Resumo


A utilização de radiação UV-C associada a ácidos orgânicos é considerada como uma tecnologia de fácil aplicação e eficiente para a manutenção da qualidade de carnes e derivados. Trinta e seis amostras de carne suína (pernil com osso congeladas (-18ºC, obtidos de um frigorifico da região Oeste de Santa Catarina, foram tratadas com 1% de ácido lático (v/v) + 0,80% de ácido ascórbico (g/v) + 1% de ácido cítrico (g/v) + radiação UV-C 5,4 KJ (T1) e 1% de ácido lático (v/v) + 0,10% de ácido ascórbico (g/v) + 1% de ácido cítrico (g/v) + radiação UV-C 9  KJ (T2) em relação ao tempo de armazenamento (0 a 360 dias) e armazenadas em freezer a temperatura de -18ºC. Foram realizadas análises de bactérias psicrotróficas, oxidação lipídica, análise instrumental de cor e pH. A análise estatística foi realizada levando-se em consideração o tratamento e o período de armazenamento. As contagens de bactérias psicrotróficas e a enumeração de coliformes fecais. foram mais elevadas nas amostras controle, mostrando a eficiência do processo de irradiação na manutenção da segurança alimentar e redução proliferação bacteriana. O uso do congelamento unido à irradiação mostrou grande eficiência na redução da microbiota da carne. Observou-se que os valores de TBARs aumentaram durante o período de armazenamento, mas não provocaram rejeição da carne dos tratamentos T1 e T2, de acordo com a análise sensorial, atestando a eficácia do uso de radiação UV-C e ácidos orgânicos na conservação da carne suína congelada.

Palavras-chave


Carne suína; Tecnologia; Conservação

Texto completo:

PDF

Referências


Deschamps, J.C; Lucia, T; Talamine, D.J.D. Ministério da Ciência e Tecnologia. c.18, p.239255, 1998.

Dickson,J.S. J.Food Prot., v.51, n.11, p.869-873,1988.

Farkas, J. Food Microbiol., v. 44, p.189-204, 1998.

Ferreira, S. R. S. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999. 107.

Hampson, J. W.; Iverson, S. J.; Lang, S. L. C.; Cooper, M. H. Meat Science, v. 42, p. 271–276, 1996.

Kim, A. Y.; Thayer, D. W. Applied and Environmental Microbiology, v.62, n.5, p.1759-1763, 1996.

Millar, S. J.; Moss, B. W.; Stevenson, M. H. Meat Science, v. 55, n. 5, p. 361-370, 2001. Miyagusku, L. et al. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 23, p. 7-16, 2003.

Monteiro Jr., L.A. Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista, 2005. 79 p. Nanke, K. E.; Sebranek, J. G.; Olson, D. G. Journal of Food Science, v. 63, n. 6, 1998.

Neves Filho, L. C. Instituto Brasileiro do Frio, ABRAVA e SINDRATAR. São Paulo, p. 176, 1991. Ramos, E.M.; Gomide, L.A.M. Avaliação da qualidade de carnes: Fundamentos e Metodologias. Viçosa, MG: UFV, 2007. 599 p.

Shan, B.; Cai, Y. Z.; Brooks, J. D.; Corke, H. Journal of the Science of Food and Agriculture, London, v. 89, n. 11, p. 1879-1885, 2009.

Silva, J. A. Rev. Higiene Alimentea, São Paulo, v. 13, n. 60, p. 55-62, mar., 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Congresso Sul Brasileiro de Engenharia de Alimentos, Pinhalzinho, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2447-3650.

Classificação Qualis - CAPES:

Ciências Ambientais B5

Engenharias II B5

A Revista CSBEA está indexada nos repositórios Latindex, Livre e Sumários.org

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By