AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE ANTIOXIDANTE IN VITRO E DETERMINAÇÃO DE COMPOSTOS FENÓLICOS TOTAIS EM DIFERENTES SISTEMAS DE EXTRAÇÃO EM AMOSTRAS DE HIBISCO (HIBISCUS SABDARIFFA)

Priscila Nehring, Luciano Valdemiro Gonzaga, Siluana Katia Tischer Seraglio, Roseane Fett, M. Schulz, A. C. O. Costa

Resumo


O hibisco (Hibiscus sabdariffa) possui origem na Ásia, muito cultivado no Brasil e explorado pela medicina popular. A flor do hibisco e suas sementes apresentam um grande potencial a ser explorado visto a presença de compostos com propriedades bioativas. O presente trabalho buscou comparar a eficiência de diferentes sistemas de extração de compostos antioxidantes através da quantificação de compostos fenólicos totais (FT) e da determinação da atividade antioxidante in vitro (AA) em extratos de flor de hibisco in natura, flor de hibisco desidratada e sementes de hibisco desidratada, avaliando sistemas de solventes (acetona : água 80% v/v e metanol contendo 0,1% de HCl) e mecanismos de extração (ultrassom e geladeira com agitação magnética). A determinação de FT foi realizada pelo método de Folin-Ciocalteu e a AA pelos métodos de captura de radicais livres DPPH e de redução do ferro (FRAP). Para amostras da flor in natura, os resultados não diferiram estatisticamente para FT e AA em ambos os mecanismos de extração, independentemente do solvente aplicado. Para as amostras de flor desidratada e semente, pode-se indicar a acetona 80% como o solvente mais eficiente independente do mecanismo de extração para FT e AA. Notou-se ainda que a flor desidratada apresentou os maiores valores de FT e AA em relação as demais amostras. Portanto, para todas as amostras o solvente mais indicado para determinação de FT e AA foi a acetona 80%, não havendo distinção entre os mecanismos de extração.

Palavras-chave


hibisco; compostos fenólicos; extração; antioxidante

Texto completo:

PDF

Referências


AHMED, Z. S.; ABOZED, S. S. Functional and antioxidant properties of novel snack

crackers incorporated with Hibiscus sabdariffa by-product. J. Adv. Res., 2014.

AJAY, M.; CHAI, H. J.; MUSTAFA, A. M.; GILIANI, A. H.; MUSTAFA, M. R. Mechanisms of the anti-hypertensive effect of Hibiscus sabdariffa L. calyces. J. Ethnopharmacol., v.109, p. 388-393, 2007.

ALARCON-AGUILAR, F. J. Effect of Hibiscus sabdariffa on obesity in MSG mice. J. Ethnopharmacol., v. 114, p. 66-71, 2007.

ALI, B. H.; WABEL, N. A.; BLUNDEN, G. Phytochemical, Pharmacological and

Toxicological Aspects of Hibiscus sabdariffa L.: A Review. Phytoter. Res., v. 19, p. 369-375, 2005.

BENZIE, I. F. F.; STRAIN, J. J. The Ferric Reducing Ability of Plasma (FRAP) as a

Measure of “Antioxidant Power”: The FRAP assay. Anal. Biochem., v. 239, p. 70-76, 1996.

BRAND-WILLIAMS, W.; CUVELIER, M. E.; BERSET, C. Use of a Free Radical Method to Evaluate Antioxidant Activity. Lebensm Wiss. Technol., v. 28, p. 25-30, 1995.

DA-COSTA-ROCHA, I.; BONNLAENDER, B.; SIEVERS, H.; PISCHEL, I.; HEINRICH,

M. Hibiscus sabdariffa L. – A phytochemical and pharmacological review. Food Chem., v. 165, p. 424-443, 2014.

GUARDIOLA, S.; MACH, N. Potencial terapéutico del Hibiscus sabdariffa: una

revisión de las evidencias científicas. Endocrinol. Nutr., v. 61, p. 274-295, 2014.

IYARE, E. E.; ADEGOKE, O. A.; NWAGHA, U. I. Mechanism of the decreased food

consumption and weight gain in rats following consumption of aqueous extract of the calyx of Hibiscus sabdariffa during pregnancy. Asian Pac. J. Trop. Med., v.1, p. 185-188, 2010.

LIN, H-H.; CHAN, K.-C.; SHEU, J.-Y.; HSUAN, S.-W.; WANG, C.-J.; CHEN, J.-H.

Hibiscus sabdariffa leaf induces apoptosis of human prostate cancer cells in vitro and in vivo. Food Chem., v. 132, p. 880-891, 2012.

OKOKO, T.; ERE, D. Hibiscus sabdariffa extractivities on cadmium-mediated alterations

of human U937 cell viability and activation. Asian Pac. J. Trop. Med., v. 1, p. 33-36, 2012.

PATEL, S. Hibiscus sabdariffa: An ideal yet under-exploited candidate for nutraceutical

applications. Biomed. Prev. Nutr., v. 4, p. 23-27, 2014.

RAMÍREZ-RODRIGUES, M. M.; PLAZA, M. L.; AZEREDO, A.; BALABAN, M. O.;

MARSHALL, M. R. Phytochemical, sensory attributes and aroma stability of dense phase carbon dioxide processed Hibiscus sabdariffa beverage during storage. Food Chem., v. 134, p. 1425-1431, 2012.

RUFINO, M. S.; ALVES, R. E.; BRITO, E. S.; MORAIS, S. M.; SAMPAIO, C. G.; PÉREZ-

JIMÉNEZ, J.; SAURA-CALIXTO, F. D. Metodologia científica: determinação da atividade antioxidante total em frutas pela captura do radical livre DPPH. Comunicado técnico online 127. 2007. Disponível em: http://www.cnpat.embrapa.br/cnpat/down/index.php?pub/Cot_127.pdf. Acesso em: 25 dez. 2014.

SINDI, H. A.; MARSHALL, L. J.; MORGAN, M. R. A. Comparative chemical and

biochemical analysis of extracts of Hibiscus sabdariffa. Food Chem., v. 164, p. 23-29, 2014.

SINGLETON, V. L.; ROSSI, J. A. J. Colorimetry of total phenolics with

phosphomolybdic-phosphotungstic acid reagents. Am. J. Enol. Viticult., v. 16, p. 144-158, 1965.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Congresso Sul Brasileiro de Engenharia de Alimentos, Pinhalzinho, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2447-3650.

Classificação Qualis - CAPES:

Ciências Ambientais B5

Engenharias II B5

A Revista CSBEA está indexada nos repositórios Latindex, Livre e Sumários.org

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By