Composição centesimal de farinha de uva elaborada com bagaço da indústria vitivinícola

Raquel Moreira Oliveira, Fernanda Moreira Oliveira, Josiane Hernandes, Andressa Jacques

Resumo


Devido a grande produção de vinhos e a grande quantidade de resíduos derivados deste processo, havendo poucos investimentos em tecnologias capazes de agregar valor a estes, o objetivo deste trabalho foi determinar a composição centesimal da farinha obtida de bagaço da indústria vitivinícola. Para isso foi utilizado bagaço de uva Cabernet Sauvignon da safra 2012/2013. O bagaço foi submetido a secagem em estufa pelo método de bandeja, para obtenção da farinha. Foram determinados na farinha e no bagaço, a composição centesimal utilizando métodos oficiais. (Umidade, cinzas, proteínas, lipídeos, carboidratos). Com relação aos resultados, o bagaço de uva apresentou 61,85% de umidade, 2,04% de cinzas, 5,08% de proteínas, 7,66% de lipídios, 6,87% de fibras e 16,48% de carboidratos. Já a farinha apresentou 22,03% de umidade, 3,69% de cinzas, 7,88% de proteínas, 6,76% de lipídeos, 15,40% de fibras e 44,24% de carboidratos, demonstrando elevado teor de fibras, quando comparado à legislação. A partir dos resultados, pode-se concluir que o bagaço de uva pode ser utilizado na elaboração de outros produtos alimentícios, apresentando-se como alternativa para diminuição do impacto ambiental e agregação de valor ao subproduto.


Palavras-chave


Bagaço de uva; resíduos industriais; secagem

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). Aprova o regulamento técnico referente à informação nutricional complementar. Portaria n°27, de 13 de janeiro de 1998. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 16 jan.1998

ALONSO, A. M.; GUILLÉN, D. A.; BARROSO, C. G.; PUERTAS, B.; GARCÍA, A. Determination of antioxidant activity of wine by-products and it correlation with polyphenolic content. Journal of Agricultural and Food Chemistry, v. 50, p. 5832-5836, 2002.

ARAÚJO, J. Como fazer farinha de uva, 2010. Disponível em: . Acesso em: 6 de Fevereiro de 2016.

BELTRÃO, F. Composição centesimal e perfil de ácidos graxos de farinha obtida do bagaço de uva cv. ‘concord’ (Vitis labrusca L.) sob métodos de cultivo convencional e orgânico. 2013. Trabalho de conclusão de curso, Curso de Tecnologia em Alimentos da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

CAMPOS, L. M. A. S. Obtenção de extratos da uva Cabernet Sauvignon (Vitis Vinifira): Parâmetros de processo e modelagem matemática; Departamento de Pós – Graduação em Engenharia de Alimentos Centro Tecnológico, Florianópolis, 2005.

DEAMECI, K. M.; OLIVEIRA, L. C. Estudo da Viabilidade da Utilização de Subprodutos da Indústria Vitivinícola e Arrozeira para elaboração de Biscoito do tipo Cookie. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado a Universidade Federal do Pampa, 2013.

FAMUYIWA, O.; OUGH, C. S. (1982) – Grape pomace: possibilities as animal feed. American Jounal of Enology and Viticulture. 39(2): 44-46.

FERREIRA, L. F. D. Obtenção e caracterização de farinha de bagaço de uva e sua utilização em cereais matinais expandidos. Tese de doutorado, Universidade Federal de Viçosa, 2010. 132p.

FERREIRA, L. F. D; PIROZI, M. R; RAMOS, A. M; PEREIRA, J. A. M: Modelagem matemática da secagem em camada delgada de bagaço de uva fermentado. Brasília, v.47, n.6, p.855-862, jun. 2012.

HANGANU, A.; TOSCASCÃ, M. C.; CHIRA, N.A.; MAGANU, M.; ROSCA, S. The compositional characterisation of Romaniam grape seed oils using. Food Chemistry, v. 134, p. 2453-2458, 2012.

Instituto Brasileiro do Vinho (IBRAVIN). Demonstrativo da Elaboração de Vinhos e Derivados de 2004 até 2013. Disponível em: http://www.ibravin.org.br/public/upload/sta. Acesso em: 6 fev. 2013.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Métodos químico-físicos para análises de alimentos. São Paulo. 4º. ed. São Paulo Instituto Adolfo Lutz, 2008.

LOULI, V.; RAGOUSSIS, N.; MAGOULAS, K. Recovery of phenolic antioxidants from wine industry by-products. Bioresource Technology, v. 92, n. 2, p. 201-208, 2004.

MELLO, L. M. R. Vitivinicultura brasileira – Panorama 2010. Bento Gonçalves: Embrapa Uva e Vinho, 2011.

MELLO, Priscilla Siqueira et al. Composição fenólica e Atividade antioxidante de Resíduos Agroindustriais. Ciência Rural [online], 2011, vol.41, n.6, pp 1088-1093.

SÁNCHEZ-ALONSO, I. et al. Effect of grape antioxidant dietary fibre on the prevention of lipid oxidation in minced fish: evaluation by different methodologies. Food Chemistry, v. 101, p. 372-378, 2007.

SÁNCHEZ-ALONSO, I. et al. Antioxidant protection of white grape pomace on restructured fish products during fronzen storage. LWT- Food Science and Technology, London, v. 41, n. 1, p. 42-50, 2008.

SILVA, Sandra et al. Identificação de glicósidos deflavonóis em subprodutos da vinificação por HPLC com diferentes detectores e hifenado comespectrometria de massa. Ciência Técnica Vitivinícola, v. 20, n. 1, p. 17-33, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Congresso Sul Brasileiro de Engenharia de Alimentos, Pinhalzinho, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2447-3650.

Classificação Qualis - CAPES:

Ciências Ambientais B5

Engenharias II B5

A Revista CSBEA está indexada nos repositórios Latindex, Livre e Sumários.org

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By