DETERMINAÇÃO DE COMPOSTOS FENÓLICOS POR LC-MS/MS E CAPACIDADE ANTIOXIDANTE DE ACEROLA EM TRÊS ESTÁDIOS DE MATURAÇÃO COMESTÍVEIS

Siluana Katia Tischer Seraglio, Mayara Schulz, Priscila Nehring, Fabiana Della Betta, Andressa Camargo Valese, Heitor Daguer, Luciano Valdemiro Gonzaga, Roseane Fett, Ana Carolina Oliveira Costa

Resumo


Os frutos de acerola são reconhecidos principalmente por sua composição rica em vitamina C, no entanto, estes frutos apresentam outros compostos fitoquímicos responsáveis pela sua capacidade antioxidante, entre eles os compostos fenólicos. Neste sentido, este trabalho objetivou investigar compostos fenólicos por cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas (LC-MS/MS) e avaliar a capacidade antioxidante em frutos de acerola em três estádios de maturação comestíveis. Foram avaliados 33 compostos fenólicos, e destes, 16 foram quantificados, sendo os compostos majoritários a quercetina, ácido cafeico, kaempferol e isoramnetina. Os resultados para a capacidade antioxidante pelo o ensaio DPPH foram de 1117,71, 1120,40 e 963,26 mg Trolox g-1 em matéria seca para os frutos menos maduro, maduro e completamente maduro, respectivamente; e pelo ensaio FRAP, os valores foram de 400,87, 508,24 e 341,19 µmol Trolox g-1 em matéria seca para os frutos menos maduro, maduro e completamente maduro, respectivamente. Foi possível observar que o processo de maturação influenciou significativamente a concentração da maioria dos compostos fenólicos investigados bem como a capacidade antioxidante nos frutos de acerola, ocorrendo, de maneira geral, uma tendência de diminuição nestes teores com o avanço da maturação. No entanto, os resultados encontrados podem ser considerados expressivos sugerindo que os três estádios de maturação avaliados podem contribuir na ingestão diária de antioxidante naturais


Palavras-chave


Malpighia emarginata DC; Compostos bioativos; Amadurecimento;

Texto completo:

PDF 96-110


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/24473650412018096

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Congresso Sul Brasileiro de Engenharia de Alimentos, Pinhalzinho, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2447-3650.

Classificação Qualis - CAPES:

Ciências Ambientais B5

Engenharias II B5

A Revista CSBEA está indexada nos repositórios Latindex, Livre e Sumários.org

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By