Desequilíbrio de histórias parte II: uma iniciativa em torno de um problema

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180314352022e0301

Resumo

O presente ensaio tem por objetivo explorar, na prática, algumas das questões metodológicas discutidas no primeiro artigo da série “Desequilíbrio de histórias” (TÉO, 2018), a partir da trajetória da Diva Inclusive Solutions, iniciativa fundada pelo autor. O texto descreve o seu processo de constituição em torno do problema que dá título aos dois artigos, bem como algumas das soluções criadas para o seu combate, para ao final propor leituras possíveis no que diz respeito ao ingresso de profissionais do campo das humanidades em outras instâncias além da docência e da pesquisa acadêmica.

Palavras-chave: mercado; empatia; diversidade; tecnologia; desequilíbrio de histórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Rósbson Téo, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). Graduou-se em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina, onde também cursou Licenciatura em Música. Realizou o mestrado em História na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Foi professor colaborador na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), lecionando disciplinas voltadas ao ensino de história e suas linguagens. Atualmente é pesquisador colaborador junto ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade de Campinas (UNICAMP), onde desenvolve, com auxílio da FAPESP (bolsa de pós-doutorado), pesquisas sobre as relações entre a produção de conhecimento acadêmico no campo das humanidades (com foco na história) e o mercado. Também atua em produções audiovisuais, ocupando funções ligadas ao som (som direto, desenho de som, trilha sonora), à pesquisa histórica e à roteirização.

Referências

ACHEBE, Chinua. Home and exile. New York: Oxford University Press, 2000a.

ACHEBE, Chinua. Africa: balancing stories. Fidelio, Washington, DC, v. 9, n. 2-3, p. 128-129, Summer-Fall 2000b.

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo da história única. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

ARAÚJO, Valdei. O direito à história: o(a) historiador(a) como curador(a) de uma experiência histórica socialmente distribuída. In: GUIMARÃES, Géssica; BRUNO, Leonardo; PEREZ, Rodrigo. Conversas sobre o Brasil: ensaios de crítica histórica. Rio de Janeiro: Autografia, 2017. p. 191-216.

BORIN, Fernanda; FIENO, Priscila; SAMPAIO, Bernardo. Diversidade: inclusão ou estratégia. Harvard Business Review Brasil, São Paulo, out. 2015.

BULGARELLI, Reinaldo. Diversos somos todos: valorização, promoção e gestão da diversidade nas organizações. São Paulo: Editora de Cultura, 2008.

CAMILO, Juliana; FORTIM, Ivelise; AGUERRE, Pedro (orgs.). Gestão de pessoas: práticas de gestão da diversidade nas organizações. São Paulo: Editora Senac, 2019.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón (eds.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores, 2007.

CROLL, Alistair; YOSKOVITZ, Benjamin. Lean analytics: use data to build a better startup faster. Sebastopol, CA: O’Reilly Media, 2013.

DE WAAL, Franz. A era da empatia: lições da natureza para uma sociedade mais gentil. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

EUBANKS, Virginia. Automating inequality: how high-tech tools profile, police, and punish the poor. New York: Picador, 2019.

FINN, Ed. What algorithms want: imagination in the age of computing. Cambridge: MIT Press, 2017.

GERDES, Karen E.; SEGAL, Elizabeth A. A social work model of empathy. Advances in Social Work, Indianápolis: Indiana University School of Social Work, v. 10, n. 2, p. 114-127, 2009. Disponível em: https://journals.iupui.edu/index.php/advancesinsocialwork/article/view/235. Acesso em: 28 fev. 2022.

GORDON, Mary. Roots of empathy: changing the world child by child. New York: The Experiment, 2009.

GÖRLACH, Alexander. Homo empathicus: on scapegoats, populists and saving democracy. Washington, DC: Brookings Institution Press, 2021.

GOTHELF, Jeff. Lean UX: applying lean principles to improve user experience. Sebastopol, CA: O’Reilly Media, 2013.

GOTTSCHALL, Jonathan. The storytelling animal: how stories make us human. Boston: Mariner Books, 2012.

HUMBLE, Jes; MOLESKY, Joanne; O’REILLY, Barry. Lean Enterprise: how high performance organizations innovate at scale. Sebastopol, CA: O’Reilly Media, 2015.

HUNT, Vivian; LAYTON, Dennis; PRINCE, Sara. Diversity matters. [S.I.]: Mackinsey & Company, fev. 2015. Disponível em: https://www.mckinsey.com/business-functions/people-and-organizational-performance/our-insights/why-diversity-matters. Acesso em: 28 fev. 2022.

HUSSERL, Edmund. Meditações cartesianas: introdução à fenomenologia. São Paulo: Editora Madras, 2001.

ISMAIL, Salim. Organizações exponenciais. São Paulo: HSM Editora, 2015.

JAIME, Pedro. Executivos negros: racismo e diversidade no mundo empresarial. São Paulo: EDUSP, 2016.

KRZNARIC, Roman. Como encontrar o trabalho da sua vida. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

KRZNARIC, Roman. Sobre a arte de viver: lições da história para uma vida melhor. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

KRZNARIC, Roman. O poder da empatia: a arte de se colocar no lugar do outro para transformar o mundo. Rio de Janeiro: Zahar, 2015.

KRZNARIC, Roman. Carpe diem: resgatando a arte de aproveitar a vida. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

KRZNARIC, Roman. Como ser um bom ancestral: a arte de pensar o futuro num mundo imediatista. Rio de Janeiro: Zahar, 2021.

LAVILLE, Christian. A guerra de narrativas: debates e ilusões em torno do ensino de história. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 19, n. 38, p. 125-138, 1999.

LIEDTKA, Jeanne. A magia do design thinking. São Paulo: HSM Editora, 2015.

LYONS, Charles. Suicides spread through a Brazilian tribe. The New York Times, New York, Jan. 2, 2015. Disponível em: https://www.nytimes.com/2015/01/04/opinion/sunday/suicides-spread-through-a-brazilian-tribe.html. Acesso em: 28 fev. 2022.

MACMILLAN, Margareth. Usos e abusos da história. Rio de Janeiro: Record, 2010.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Rousseau and Fanon on inequality and the human sciences. In: GORDON, Jane; ROBERTS, Neil (eds.). Creolizing Rousseau. London: Rowman & Littlefield, 2015. p. 121-142.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Pensamiento crítico desde la sub-alteridad: los estudios étnicos como ciencias descoloniales o hacia la transformación de las humanidades y las conciencias sociales en el siglo veintiuno. Revista Interamericana de Educación de Adultos [s.I.]: 2006, 28(1), 143-165. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=457545365008. Acesso: 28 fev. 2022.

MANNEY, Patricia J. Empathy in the time of technology: how storytelling is the key to empathy. Journal of Evolution and Technology, [s. I.], v. 19, Issue 1, p. 51-61, Sept. 2008. Disponível em: https://jetpress.org/v19/manney.htm#:~:text=In%20theory%2C%20sensory%2Fmedia%20input,social%2Fcultural%20liberalization%20and%20change. Acesso em: 28 fev. 2022.

MAURYA, Ash. Running lean: iterate from a plan A to a plan that works. Sebastopol, CA: O’Reilly Media, 2012.

McCRACKEN, Grant. Chief culture office: como a cultura pode determinar o sucesso ou o fracasso de uma organização. São Paulo: Aleph, 2011.

NUNES, Paulo Rogério. Oportunidades invisíveis: aprenda a inovar com empresas que apostam na diversidade e geram riqueza. São Paulo: Matrix, 2019.

O'NEIL, Cathy. Algoritmos de destruição em massa: como o big data aumenta a desigualdade e ameaça a democracia. Santo André: Editora Rua do Sabão, 2020.

NOBLE, Safiya Umoja. Algorithms of oppression: how search engines reinforce racism. New York: New York University Press, 2018.

PARISER, Eli. The filter bubble: what the internet is hiding from you. New York: Penguin Press, 2011.

WAL, Jessika ter. Racism and cultural diversity in the mass media: an overview of research and examples of good practice in the EU Member States, 1995-2000 on behalf of the European Monitoring Centre on Racism and Xenophobia, Vienna (EUMC). Viena: European Union Agency for Fundamental Rights; European Research Centre on Migration and Ethnic Relations (ERCOMER), 2002. Disponível em: https://fra.europa.eu/en/publication/2002/racism-and-cultural-diversity-mass-media. Acesso em: 28 fev. 2022.

RIES, Eric. A startup enxuta: como os empreendedores atuais utilizam a inovação contínua para criar empresas extremamente bem-sucedidas. São Paulo: Editores J, 2012.

RIFKIN, Jeremy. The empathic civilization: the race to global consciousness in a world in crisis. Cambridge: Polity, 2010.

SAFFO, P. Farewell information, it’s the media age. saffo.com, [s. I.], 2005. Disponível em: http://saffo.com/wp-content/uploads/2012/01/essay_farewellinfo.pdf. Acesso em: 28 fev. 2022.

STEIN, Edith. On the problem of empathy. Washington: ICS Publications, 1989.

TÉO, Marcelo. Desequilíbrio de histórias parte I: um problema do campo das humanidades (?). Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 10, n. 23, p. 358 ‐ 380, jan./mar. 2018. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180310232018358. Acesso em: 28 fev. 2022.

TÉO, Marcelo. Armas de destruição matemática: a era dos algoritmos. Diva Journal, [s. I.], jul. 2021a. Coluna Break The Bubble. Disponível em: http://divainclusive.com/armas-de-destruicao-matematica-a-era-dos-algoritmos/. Acesso em: 28 fev. 2022.

TÉO, Marcelo. O impacto das tecnologias na proliferação do extremismo. Diva Journal, [s. I.], ago. 2021b. Coluna Break The Bubble. Disponível em: http://divainclusive.com/o-impacto-das-tecnologias-na-proliferacao-do-extremismo/. Acesso em: 28 fev. 2022.

LIETZ, Cynthia A.; GERDES, Karen E.; SUN, Fei.; GEIGER, Jennifer Mullins; WAGAMAN, M. Alex; SEGAL, Elizabeth A. The Empathy Assessment Index (EAI): a confirmatory factor analysis of a multidimensional model of empathy. Journal of the Society for Social Work and Research, Tempe: Arizona State University, v. 2, Issue 2, p. 104-124, 2011. Disponível em: https://www.journals.uchicago.edu/doi/10.5243/jsswr.2011.6. Acesso em: 28 fev. 2022.

THE OPPORTUNITY AGENDA. Media representations and impact on the lives of black men and boys. Social Science Literature Review, New York, Oct. 2011. Disponível em: https://www.opportunityagenda.org/explore/resources-publications/social-science-literature-review. Acesso em: 28 fev. 2022.

TUFEKCI, Zeynep.Twitter and tear gas: the power and fragility of networked protest. New Heaven: Yale University Press, 2017.

Downloads

Publicado

2022-04-30

Como Citar

TÉO, M. R. Desequilíbrio de histórias parte II: uma iniciativa em torno de um problema. Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 14, n. 35, p. e0301, 2022. DOI: 10.5965/2175180314352022e0301. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180314352022e0301. Acesso em: 28 jun. 2022.