Discursividade: da obscura poética solar de Éder Rafael de Araújo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724622502021170

Palavras-chave:

discursividade, Éder Rafael Araújo, poesia brasileira contemporânea

Resumo

O presente artigo se propõe a analisar o que denominamos discursividade nos textos do poeta Éder Rafael de Araújo. Para cumprir tal proposta, realizamos, em primeiro, reflexões sobre a constituição e desenvolvimento da poesia brasileira na segunda metade do século XX, bem como suas vertentes e oposições. Após a pequena súmula, nos debruçamos sobre os poemas, em especial dos livros “Eu no mundo que sou no mundo que há em mim” e “Poesia revolta”, para demonstrar como essa pretensa discursividade que conclamamos se faz presente e qual sua importância para a elaboração poética de Araújo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nefatalin Gonçalves Neto, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE

Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo - USP. Professor da Univ. Federal Rural de Pernambuco - UFRPE.

Referências

ARRIGUCCI JR, Davi. Agora é tudo história. In: PAES, José Paulo. Melhores poemas. 4. ed. São Paulo: Global, 2001. p. 7-53.

ARAÚJO, Eder Rafael de. Equívoco. In: CAMPEZZI, Marilurdes Martins (org.). Experimentânea II. Araçatuba: Academia Araçatubense de Letras, 2001. p. 60.

ARAÚJO, Eder Rafael de. Eu no mundo que sou no mundo que há em mim. São Paulo: Edição do Autor, 2017.

ARAÚJO, Eder Rafael de. Poesia revolta. São Paulo: [s.n.], [2022?].

GULLAR, Ferreira. Poema sujo. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

GULLAR, Ferreira. A luta corporal. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

PAES, José Paulo. Anatomias. São Paulo: Cultrix, 1967.

Downloads

Publicado

2021-12-22

Como Citar

NETO, N. G. Discursividade: da obscura poética solar de Éder Rafael de Araújo. PerCursos, Florianópolis, v. 22, n. 50, p. 170 - 196, 2021. DOI: 10.5965/1984724622502021170. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/percursos/article/view/19745. Acesso em: 25 jan. 2022.