O conceito de Pré-história nos livros didáticos de História no Brasil

Autores

  • Ana Lúcia do Nascimento Oliveira Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE
  • Juliana Alves de Andrade Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
  • Luiz Adriano Lucena Aragão Instituto Federal de Pernambuco - IFPE

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724621472020277

Resumo

Este artigo trata sobre o conceito de Pré-história nos livros didáticos de História no Brasil. A intenção é demonstrar o diálogo existente entre a historiografia acadêmica e a literatura didática acerca da periodização histórica que organiza a narrativa presente no livro didático, sobretudo, após a criação e consolidação do Programa Nacional do Livro Didático-PNLD, responsável pela avaliação da qualidade historiográfica e pedagógica dos livros didáticos a partir da década de 1990. Para tal, analisamos 5 (cinco) livros didáticos de História do 6º ano mais usados nas escolas públicas brasileiras (PNLD 2017-2019), usando os pressupostos metodológicos estabelecidos pela Análise de Conteúdo (BARDIN, 2010) e a História dos Conceitos (KOSELLECK, 2006), na busca de compreender as mudanças e as permanências nos sentidos atribuídos ao termo Pré-História (FUNARI, 2013). Os resultados obtidos com a investigação revelam as estratégias desenvolvidas pelos livros didáticos de história para manter o termo Pré-História na narrativa central do texto didático, mesmo após as reconfigurações dos livros didáticos estimuladas pelo PNLD, na tentativa de superar a perspectiva cronológica e eurocêntrica da historiografia escolar. Nota-se que, as estratégias se materializam na adoção de um nova semântica (palavra, termo, discurso) para explicar a “origem” da história, da escrita e da sociedade ou no uso de nova acepção para o termo Pré-história.

Palavras-chave: Pré-história. Livros didáticos. Programa Nacional do Livro Didático.

Biografia do Autor

Ana Lúcia do Nascimento Oliveira, Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE

Pós-Doutora em História pela Faculdade de Letras do Porto. Doutora em História pela Univ. Federal de Pernambuco - UFPE. Professora aposentada da Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE. Professora do Programa de Pós-Graduação em História da UFRPE.

Juliana Alves de Andrade, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE

Doutora em História pela Univ. Federal de Pernambuco - UFPE. Professora da Univ. Federal Rural de Pernambuco - UFRPE e do Mestrado Profissional em Ensino de História-ProfHistória da UFPE/UFRPE.

Luiz Adriano Lucena Aragão, Instituto Federal de Pernambuco - IFPE

Mestre em História pela Univ. Federal Rural de Pernambuco – UFRPE. Aux. Em Assuntos Educacionais do Instituto Federal de Pernambuco - IFPE.

Referências

APOLINÁRIO, Maria Raquel. Projeto Araribá: história. 4.ed. São Paulo: Moderna.

ARAGÃO, Luiz Adriano Lucena. História e pré-história: investigando os usos desses conceitos nos livros didáticos de história. 2019. 154 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife. Disponível em: http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/8391. Acesso em: 20 mar. 2020.

BOULOS JUNIOR, Alfredo. História, sociedade & cidadania. 3.ed. São Paulo: FTD,

BAHN, Paul. Dictionary of archaeology. London: Penguin Books, 2004.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Ensino de história: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2011.

BRASIL. LEI Nº 8.663, DE 14 DE JUNHO DE 1993. Revoga o Decreto-Lei nº 869, de 12 de dezembro de 1969, e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1. Brasília, DF, p. 7885, 15 jun. 1993. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1993/lei-8663-14-junho-1993-374625-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 12 jan. 2021.

CAIMI, Flávia Eloisa. O livro didático no contexto de transição dos paradigmas da História. In: CAIMI, Flávia Eloisa; MACHADO, Ironita A. P.; DIEHL, Astor Antônio (org.) O livro didático e o currículo de história em transição. Passo Fundo: UPF, 2002, p. 77-111.

CAIMI, Flávia Eloisa. O que sabemos (e o que não sabemos) sobre o livro didático de história: estado do conhecimento, tendências e perspectivas. In: GALZERANI, Maria Carolina Bovério; BUENO, João Batista Gonçalves; PINTO JR, Arnaldo. Paisagens da pesquisa contemporânea sobre livro didático de história. Campinas: UNICAMP, 2013. p. 35-52.

CHAUÍ, Marilena. Prefácio: história a contrapelo. In: DECCA, Edgar S. 1930: o silêncio dos vencidos. São Paulo: Brasiliense, 1986.

CHOPPIN, Alain. História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 3, p. 549-566, 2004.

CORRÊA, Ângelo Alves. Longue Durée: história indígena e arqueologia. Cienc. Cult., São Paulo, v. 65, n. 2, p. 26-29, Jun. 2013.

COSTA, Diogo M. Algumas abordagens teóricas na arqueologia histórica brasileira. Cienc. Cult., São Paulo , v. 65, n. 2, p. 30-32, Jun. 2013 .

FNDE. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Programas do Livro. Brasília: MEC, 2017. Disponivel em: http://www.fnde.gov.br/programas/programas-do-livro/livro-didatico/dados-estatisticos. Acesso em: 12 maio 2017.

FREITAS, Itamar. Livro didático de história: definições, representações e prescrições de uso. In: OLIVEIRA, Margarida Dias de; OLIVEIRA, Almir Flélix Bueno de. Livros didáticos de História: escolhas e utilizações. Natal: Editora da UFRN, 2009. p. 11-19.

FUNARI, Pedro Paulo A. Arqueologia no Brasil e no mundo: origens, problemáticas e tendências. Cienc. Cult., São Paulo , v. 65, n. 2, p. 23-25, Jun. 2013 .

FONSECA, Selva Guimarães. Didática e prática de ensino de história: experiências, reflexões e aprendizados. 13. ed. São Paulo: Papirus, 2012. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

GOSDEN, Chris. Pré-história. Porto Alegre: L&PM POCKET, 2012.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2006.

MALERBA, Jurandir. A história escrita: teoria e história da historiografia. São Paulo: Contexto, 2006.

MINAYO, Maria Cecilia de Souza. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, Maria Cecilia Souza (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Editora Vozes, 2010. p. 09-29

NEVES, Eduardo Góes. Os índios antes de Cabral: arqueologia e história indígena no Brasil. In: A TEMÁTICA INDÍGENA NA ESCOLA. Brasília: MEC/UNESCO, 1995.

SYMANSKI, Luis Claudio. As teorias da arqueologia e suas relações e contrastes com a história. Revista Histórica, Porto Alegre, v. 1, n.2, p. 26-33, 1997.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil (1930/1973). 8. Ed.

Petrópolis: Vozes, 1986.

SOUZA, Alfredo Mendonça de. Dicionário de arqueologia. Rio de Janeiro: ADESA, 1990.

TRIGGER, Bruce Graham. Além da história: os métodos da pré-história. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1973. p. 01-08.

TRIGGER, Bruce Graham. História do pensamento arqueológico. São Paulo: Odysseus, 2004.

VICENTINO, Cláudio. Projeto mosaico: história. 3.ed. São Paulo: Scipione, 2016.

Coleções utilizadas

APOLINÁRIO, Maria Raquel. Projeto Araribá: história. 4.ed. São Paulo: Moderna.

BOULOS JUNIOR, Alfredo. História, sociedade & cidadania. 3.ed. São Paulo: FTD,

COTRIM, Gilberto. Historiar. 2.ed. São Paulo: Saraiva, 2015.

PELLEGRINE, Marco César. Vontade de saber história. São Paulo: FTD, 2015.

VICENTINO, Cláudio. Projeto mosaico: história. 3.ed. São Paulo: Scipione, 2016.

Downloads

Publicado

2021-01-28

Como Citar

do Nascimento Oliveira, A. L., Alves de Andrade, J., & Lucena Aragão, L. A. (2021). O conceito de Pré-história nos livros didáticos de História no Brasil. PerCursos, 21(47), 277 - 302. https://doi.org/10.5965/1984724621472020277

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua