Uma teoria formal de funções tonais generalizadas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530407022022e0401

Palavras-chave:

funções tonais generalizadas, David Lewin, teoria transformacional, análise musical, Hugo Riemann

Resumo

Tradução do seminal artigo A Formal Theory of Generalized Tonal Functions de David Lewin, publicado em 1982, que prefigura algumas ideias mais tarde desenvolvidas em Generalized Musical Intervals and Transformations (LEWIN, 1987) e que dariam origem à teoria transformacional e à teoria neorriemaniana. No artigo é construída, por meio de formalização matemática, uma estrutura denominada Sistema Riemann, que generaliza certos conceitos pertinentes à teoria da música tonal, como o de função harmônica e o de função melódica. São também conceituadas transformações que relacionam Sistemas Riemann entre si, abarcando e estendendo o escopo das transformações riemanianas tradicionais. Tais transformações podem ser interpretadas como correspondentes a outras noções teóricas familiares, como a transposição, a inversão, o “se tomar a relativa”, o “se tomar a mediante”, entre outras. Algumas pequenas análises de excertos de Wagner, Brahms, Stravinsky e Beethoven são elaboradas a título de mostrar a pertinência da teoria desenvolvida para a análise musical.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Defensor, Universidade de São Paulo

Felipe Defensor Martins é Técnico em Piano Popular pelo Conservatório Musical Souza Lima e Mestre em Teoria e Análise Musical pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Tem como tópicos de interesse matemática aplicada à música, filosofia da música e forma musical. Participa de um grupo de leitura do Generalized Musical Intervals and Transformations (LEWIN, 2007) composto por pesquisadores e alunos da do Programa de Pós Gradução em Música da UFRJ e do Conservatório Musical Souza Lima.

Referências

BORETZ, Benjamin. “Musical Syntax (II)”. Perspectives of New Music, v.10, n.1, 1971.

FORTE, Allen. The Structure of Atonal Music. New Haven e Londres: Yale University Press, 1973.

HAUPTMANN, Moritz. Die Natur der Harmonik und der Metrik. Leipzig: Breitkopf und Haertel, 1853.

MICKELSEN, William C. _Hugo Riemann’s Theory of Harmony_. Lincoln and London: University of Nebraska Press, 1977.e

MISCH, Ludwig. Alla danza tedesca. Beethoven Studies, trans. G. I. C. DeCourcy. Norman: University of Oklahoma Press, 1953.

OETTINGEN, Artur von. Harmoniesystem in dualer Entwicklung Leipzig: W. Glaser, 1866.

HINDEMITH, Paul. The Craft of Musical Composition, trad. Arthur Mendel. London: Associated Music Publishers, 1942.

RAMEAU, Jean-Phillipe. Traité de l’harmonie réduite à ses príncipes naturels. Paris: Ballard, 1722.

RAMEAU, Jean-Phillipe. Nouveu système de musique théorique et pratique. Paris: Ballard, 1726.

RAMEAU, Jean-Phillipe. Generátion harmonique. Paris: Prault, 1737. RAMEAU, Jean-Phillipe. Démonstration du principe de l’harmonie. Paris: Durand, 1750.

WESTERGAARD, Peter. An Introduction to Tonal Theory. Nova Iorque: W. W. Norton & Company, Inc., 1975.

ZARLINO, Gioseffo. Le Institutioni Harmoniche. 3. ed. Veneza: Senese, 1573.

Referências da introdução

COHN, R. Lewin, David. Grove Music Online, 20 jan. 2001 (atualização em 27 ago. 2003). Disponível em: https://doi.org/10.1093/gmo/9781561592630.article.47754. Acesso em: 13 abr. 2022.

LEWIN, D. Behind the Beyond: A Response to Edward T. Cone. Perspectives of New Music, Vol. 7, nº 2, p. 59-65. Seattle: Perspectives of New Music, 1969.

LEWIN, D. Music Theory, Phenomenology, and Modes of Perception. Music Perception: An Interdisciplinary Hournal Vol. 3, nº 4, p. 327-392. Oakland: University of California Press, 1986.

LEWIN, D. Musical Form and Transformation: Four Analytic Essays. New York: Oxford University Press, 1993.

LEWIN, D. Generalized Musical Intervals and Transformations, 2ª ed. New York: Oxford University Press, 2007. 288 p.

Downloads

Publicado

2022-08-12

Como Citar

DEFENSOR, F. Uma teoria formal de funções tonais generalizadas. Orfeu, Florianópolis, v. 7, n. 2, p. e0401, 2022. DOI: 10.5965/2525530407022022e0401. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/22011. Acesso em: 6 out. 2022.