Jogos digitais como recurso de tecnologia assistiva na alfabetização de alunos com transtorno do espectro autista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2316796312242023048

Palavras-chave:

Alfabetização, educação básica, educação inclusiva

Resumo

Com o uso da tecnologia assistiva na educação, amplia-se a possibilidade de alunos com transtorno terem melhores condições de aprendizagem. O objetivo desse estudo é identificar em que aspectos os jogos digitais favorecem o processo de alfabetização de alunos com transtorno do espectro autista. O estudo foi fundamentado pela pesquisa qualitativa, descritiva e bibliográfica. Foram avaliados seis jogos digitais com foco na alfabetização de crianças por seis professoras da educação básica. Observou-se, com o resultado da coleta de dados, que os jogos selecionados são adequados para crianças com transtorno do espectro autista e contribuem para o processo de alfabetização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eromi Izabel Hummel, Universidade Estadual do Paraná

Doutora em Educação, professora adjunta do curso de Pedagogia e Mestrado Profissional em Educação Inclusiva em Rede – PROFEI, pela Universidade Estadual do Paraná – Campus Apucarana. E-mail: eromi.hummel@unespar.edu.br

Simone Ferreira, Universidade Estadual do Paraná

Mestre em Educação Inclusiva, pelo PROFEI, Universidade Estadual do Paraná – Campus Apucarana, professora da educação básica na Secretaria Municipal de Educação de Apucarana de Marilândia do Sul, Paraná. E-mail: ferreirasimonep@hotmail.com

 

Referências

BARBOSA, Cinthyan R. Sachs C. de; ARTONI, Arthur Alexandre; FELINTO, Alan Salvany. Jogos Educativos para Crianças com Transtorno do Espectro Autista: Auxílio na Comunicação e Alfabetização. SBC – Proceedings of SBGames. Recife, p. 663-672, Nov. 2020. Disponível em:

https://www.sbgames.org/proceedings2020/EducacaoFull/208759.pdf. Acesso

em: 05 fev. 2022.

CHEIRAN, Jean Felipe Patikowski. Jogos inclusivos: diretrizes de acessibilidade para jogos digitais. Porto Alegre, 2013. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Informática, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

COUTINHO, Isa de Jesus. Avaliação da qualidade de jogos digitais educativos: trajetórias no desenvolvimento de um instrumento avaliativo. Salvador, 2017. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade, Universidade do Estado da Bahia.

GALVÃO FILHO, Teófilo Alves. Tecnologia Assistiva: favorecendo o desenvolvimento e a aprendizagem em contextos educacionais inclusivos. In: GIROTO, Claudia Regina Mosca; POKER, Rosimar Bortolini B; OMOTE, Sadão. (Org.). As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas. Marília/SP: Cultura Acadêmica, p. 65-92, 2012. Disponível em: https://www.marilia.unesp.br/Home/Publicacoes/as-tecnologias-nas-praticas_e-book.pdf. Acesso em: 22 Ago. 2022.

GALVÃO FILHO, Teófilo Alves. Tecnologia Assistiva para uma Escola Inclusiva: Apropriação, Demandas e Perspectivas. Salvador, 2009. Tese (Doutorado). Universidade Federal da Bahia.

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. Rio de Janeiro: Record, 2011. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4205882/mod_resource/content/1/%5BAula%207_Obrigat%C3%B3rio%5D%20GOLDENBERG%2C%20M.%20A%20Arte%20de%20pesquisar.PDF. Acesso em: 25 Jun. 2021.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social / - 6. ed. - São Paulo: Atlas, 2008.

HUIZINGA, Johan, Homo ludens: o jogo como elemento da cultura [recurso eletrônico]. Tradução de João Paulo Monteiro; 1. ed. São Paulo: Perspectiva, 2019.

PETRY, Luiz Carlos. O conceito ontológico de jogo. In: ALVES, Lynn; COUTINHO, Isa de Jesus. Jogos digitais e aprendizagem: fundamentos para uma prática baseada em evidências. Campinas: Papirus, 2016. v.1, p.17-43.

PRODANOV, Cleber Cristiano. FREITAS; Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho. – 2. ed. – Novo Hamburgo: Feevale, 2013. p. 119 a 125 do livro. Disponível em: https://aedmoodle.ufpa.br/pluginfile.php/291348/mod_resource/content/3/2.1-E-book-Metodologia-do-Trabalho-Cientifico-2.pdf. Acesso em: 25 Jun. 2021

SERRA, Deyse. Alfabetização de Alunos com TEA. Rio de Janeiro: E-Nuppes

Editora, 2018.

SILVA, Israel Lucas Sousa; GUIMARÃES, Márcio James Soares. Jogo digital educativo para crianças com transtorno do espectro autista. Educação Gráfica, Brasil, Bauru, v. 22, N. 3. p.111-129, dez. 2018. Disponível em: http://www.educacaografica.inf.br/wp-content/uploads/2019/02/11_JOGO-DIGITAL.doc.pdf. Acesso em: 15 abr. 2022.

VYGOTSKY, Lev Semionovitch A formação social da mente. 4. ed. São Paulo: Livraria Martins Fontes Editora Ltda. 1991.

Downloads

Publicado

2023-12-13

Como Citar

HUMMEL, Eromi Izabel; FERREIRA, Simone. Jogos digitais como recurso de tecnologia assistiva na alfabetização de alunos com transtorno do espectro autista . Human Factors in Design, Florianópolis, v. 12, n. 24, p. 048–057, 2023. DOI: 10.5965/2316796312242023048. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/hfd/article/view/24570. Acesso em: 21 fev. 2024.