A escolha das máscaras reflexões sobre o espetáculo O Amargo santo da purificação, da tribo de atuadores “Ói nóis aqui traveiz”

Autores

  • Luana Mara Pereira Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Milton de Andrade Leal Jr. Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Valmor Beltrame Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312905072010066

Palavras-chave:

máscaras, teatro de máscaras

Resumo

O presente artigo é resultado de uma pesquisa sobre máscaras e propõe-se a refletir sobre a escolha dos tipos de máscaras utilizados pela Tribo de Atuadores “Ói Nóis Aqui Traveiz”, de Porto Alegre/RS, para resolver a fábula nas cenas do espetáculo O Amargo Santo da Purificação. Buscou-se, inicialmente, definir alguns dos significados do termo “máscara”, apenas os pertinentes ao desenvolvimento da pesquisa proposta, uma vez que este contém significados que vão além do interesse desta. Assim, a partir de uma definição sintética de tal termo, foram elencados os tipos de máscaras presentes no referido espetáculo – a maquiagem, a meia-máscara, a máscara inteira e a máscara corporal, e discutindo-se brevemente cada um desses tipos. Com esse mapeamento fez-se uma reflexão, cena a cena, sobre as escolhas dos tipos de máscara para a resolução de cada situação do espetáculo. Desta reflexão, percebeu-se a relação direta entre o tipo de máscara escolhido para cada personagem e sua função na fábula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-31

Como Citar

Mara Pereira, L., de Andrade Leal Jr., M., & Beltrame, V. (2018). A escolha das máscaras reflexões sobre o espetáculo O Amargo santo da purificação, da tribo de atuadores “Ói nóis aqui traveiz”. DAPesquisa, 5(7), 066-079. https://doi.org/10.5965/1808312905072010066

Edição

Seção

Artes Cênicas