O romantismo e a estetização da natureza

Autores

  • Franciele Favero Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312907092012206

Palavras-chave:

romantismo, natureza, paisagem

Resumo

Apesar do sentimento de natureza estar presente na humanidade desde seus primórdios, foi com a formação da sociedade industrial e burguesa e com a consequente transformação do ambiente que o olhar dos românticos se voltou para o entorno, no desejo do encontro com aquilo considerado natural, divino e espiritual. Esta busca pela natureza se traduziu nas paisagens românticas, perpassadas pelas noções do sublime, belo e pitoresco. A estetização da natureza se deu através destas paisagens e influenciou grandemente as maneiras com que percebemos, entendemos e nos relacionamos com o ambiente até os dias atuais. Refletir sobre a trajetória das conexões entre artes visuais, literatura e ecologia interessa a este artigo, proporcionando a possibilidade de pensar em outras relações com a natureza, tecer outras considerações, inventar ainda outras possibilidades de criar e de habitar um mundo em constante devir.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-23

Como Citar

FAVERO, F. O romantismo e a estetização da natureza. DAPesquisa, Florianópolis, v. 7, n. 9, p. 206-217, 2018. DOI: 10.5965/1808312907092012206. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/13957. Acesso em: 16 jan. 2022.

Edição

Seção

Artes Visuais