ÁCIDOS ORGÂNICOS E IRRADIAÇÃO UV-C: MÉTODOS COMBINADOS DE CONSERVAÇÃO DA CARNE SUÍNA

Eliane Maria de Carli, Simone Canabarro Palezi, Marlise Zoz, Leadir Lucy Fries

Resumo


A carne suína é a mais produzida e consumida no mundo, caracterizando-se, juntamente com a carne de frango, como um representante típico da transformação de proteína vegetal em animal. Assim, países com expressiva produção de grãos, especificamente milho e soja, configuram-se no cenário internacional como grandes produtores dessas carnes. O crescente interesse pela carne suína, torna-se cada vez mais importante oferecer ao consumidor um produto seguro, de qualidade e, ao mesmo tempo, com altos valores nutricionais e saborosos. A utilização de radiação UV-C associada a ácidos orgânicos, solução salina acidificada, são consideradas como uma alternativa para a conservação de carnes, visto que pouco altera as características sensoriais da carne suína. Foram realizadas análises bacteriológicas e pH (zero. 5, 10, 15, 20, 25, 30 dias) em amostras de carne de trinta e seis suínos, abatidos em um frigorifico sob inspeção federal. Os cortes foram armazenados resfriados a 0 – 2ºC e estocadas por 30 dias. Através das análises estatísticas, para a contagem de bactérias aeróbias mesófilas e psicrotróficas, observou-se que o processo de irradiação UV-C, associados a ácidos orgânicos e solução salina acidificada mostrou-se como métodos de conservação eficientes, pois diminuiu significativamente (p<0,05) a microbiota presente nas amostras submetidas aos tratamentos em relação às amostras controle. Os valores de pH variaram dentro de uma faixa de 4,9 a 7,89. Houve diferenças significativas nas médias encontradas (p,0,001 e p<0,05). Conforme os resultados apresentados observam-se que o controle diferiu significativamente dos demais tratamentos em todos os dias de armazenamento. Isto demonstra que a utilização de ácidos orgânicos e radiação UV atestando a eficácia do uso de radiação UV-C e ácidos orgânicos na conservação da carne suína refrigerada a 0 – 2ºC.

Palavras-chave


carne suína;conservação; ácidos orgânicos; radiação UV

Texto completo:

PDF

Referências


AHN, D. U.; BLOOMFIELD, G. F.; SUNDARALINGAM, A.; SUTTON, D.A. Analysis of volatile components and the sensory characteristics of irradiate raw pork. Meat Science, v. 54, p. 209-215, 2003.

ANDERSON, M. E.; MARSHAL, R. T. & DICKSON, I. S. Efficacies of acetic, lactic and two mixed acids in reducing numbers of bacteria on surfaces of lean meat. J. Food Sof., Trum Bull, v.12, p. 139-147, 1992.

BARUA, M.; SHELEF, L. A . Growth supression of pseudomonas byglucose utization. J. Food Sci., Chicago, 45(2): 349 – 351, 1980.

DHIEL, J.F.. Food irradiation past, present and future . Radiation Physics and Chemistry. v. 63, 211-215. 2002.

FREITA, R.M.. Preservação de Alimentos por Irradiação em baixas doses. (Mestrado em Ciencia de Engenharia Nuclear). 118 p. Secretaria de Ciencia e Tecnologia. Instituto Militar de Engenharia, Rio de Janeiro. 2005.

LEE, P.R.. From the Assistant Secretary for Healthy, US Public Health Service.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Congresso Sul Brasileiro de Engenharia de Alimentos, Pinhalzinho, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2447-3650.

Classificação Qualis - CAPES:

Ciências Ambientais B5

Engenharias II B5

A Revista CSBEA está indexada nos repositórios Latindex, Livre e Sumários.org

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By