Justificativa teórico-epistemológica para adoção de etnografia rápida na área de Design

Richard Luiz de Sousa Perassi, Thiago Varnier, Franciele Forcelini, Giselle Alves Díaz Merino

Resumo


Tradicionalmente, as atividades de design são realizadas com diferentes métodos de pesquisa e desenvolvimento de projetos, muitas vezes, formais, rígidos e sistemáticos. Porém, isso pode ser reconsiderado, visto que houve uma expansão dos processos de interação humana em diferentes contextos socioambientais. Os designers participam de equipes multidisciplinares e atuam, em grupo ou individualmente, junto a diversas comunidades. Isso requer recursos de observação e pesquisas ambientais, sociais e antropológicas. A pesquisa social em design caracteriza uma parte da preparação dos projetos, contemplando prospecção e reconhecimento de necessidades e oportunidades. Essa etapa deve ser ágil e relativamente breve, sendo justificada pela “Etnografia Rápida”, de base observacional e ancorada em preceitos filosófico-epistemológicos de “Naturalismo” e “Fenomenologia”. Para tanto, apresentam-se argumentos que justificam as abordagens propostas, por meio de pesquisa bibliográfica e qualitativa. Os resultados justificam a validade epistemológica da “Etnografia Rápida” na etapa de prospecção de necessidades e oportunidade nos projetos de Design.


Palavras-chave


Design; Etnografia; Etnografia rápida; Naturalismo; Fenomenologia

Texto completo:

PDF/A EPUB HTML

Referências


ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Etnografia da prática escolar. 17. ed. Campinas: Papirus, 2010. (Prática pedagógica).

ANGROSINO, Michael. Etnografia e observação participante. Porto Alegre: Bookman, 2011.

ARAÚJO, Eduardo Pucu de. Um estudo sobre Etnografia aplicada ao Design. 2012. Dissertação (Mestrado em Design) – Departamento de Artes & Design, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/20854/20854.PDF. Acesso em: 17 out. 2019.

BAYAZIT, Nigan. Investigating Design: a review of years of Design research. Design Issues, Massachusetts, v. 20, n. 1, p. 16-29, Winter 2004.

BEEBE, James. Rapid assessment process: an introduction. Walnut Creek: AltaMira, 2001.

BLOMBERG, Jeanette et al. Ethnographic field methods and their relation to Design. In: SCHULER, Douglas; NAMIOKA, Aki. (ed.). Participatory Design: principles and practices. Hillsdale: Lawrence Erlbaum Associates, p. 123-155, 1993.

BOTIN, Lars; BERTELSEN, Pernille; NØHR, Christian. Techno-anthropology in health informatics: methodologies for improving human-technology relations. [S.l.]: IOS Press, 2015. (Studies in Health Technology and Informatics, v. 215).

BOZTEPE, Suzan. Toward a framework of product development for global markets: a user-value based approach. Design Studies, London, v. 28, n. 5, p. 513-533, Sep. 2007. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0142694X07000269. Acesso em: 17 out. 2019.

BÜRDEK, Bernhard E. História, teoria e prática do design de produtos. São Paulo: Edgar Blücher, 2006.

CLARKE, Alison. Design Anthropology: object culture in the 21tst century. New York: Springer, 2010.

COLLINS, Allan; JOSEPH, Diana; BIELUCZYC, Katerine. Design Research: theoretical and methodological issues. Journal of the Learning Sciences, [S. l.], v. 13, n. 1, p. 15-42, 2004.

COLOBRANS, Jordi. Breve Tecnoantropología e Etnografia. In: Living Labing, [s.l.], 16 Sep. 2014. Disponível em: http://livinglabing.com/?p=594. Acesso em: 17 out. 2019.

COSTA, Fiammetta. Valutare l’usabilità: metodi di prova con utenti e tecniche empiriche. In: TOSI, Francesca. (org.). Ergonomia progetto prodotto. Milão: FrancoAngeli, 2005.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Antropologia do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1986.

DE MORAES, Dijon. Metaprojeto: o design do design. São Paulo: Blucher, 2010.

DARTIGUES, André. O que é fenomenologia?. Rio de Janeiro: Livraria Eldorado Tijuca Ltda, 1973.

DUTRA, Luiz Henrique de Araújo. Oposições filosóficas: a epistemologia e suas polêmicas. Florianópolis: Editora da UFSC, 2005. (Coleção Rumos da Epistemologia, v. 20).

FEIJÓ, José Marinho. Meandros do conhecimento. São Paulo: Scortecci, 2013. (Cadernos de Filosofia).

GEERTZ, Cliford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora, 1989.

GUBER, Rosana. El salvaje metropolitano: reconstrucción del conocimiento social en el trabajo de campo. Buenos Aires: Editorial Paidós, 2008.

HAIR JR, Joseph F. et al. Fundamentos em métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HANDWERKER, W. Penn. Quick Ethnography. United States of America: Altamira Press, 2001.

HARRIS, Karij Jo; JEROME, Norge W.; FAWCETT, Stephen B.. Rapid assessment procedures: a review and critique. Human Organization, [s.l.], v. 56, n. 3, p. 375-378, 1997.

IASBECK, Luiz Carlos Assis. A semiótica atomizada (unidades semióticas). Comunicologia: revista de Comunicação e Epistemologia da Universidade Católica de Brasília, Brasília, DF, v. 3, n. 1, p. 27-54, jan./jun. 2010. Disponível em: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RCEUCB/article/view/1715. Acesso em: 17 out. 2019.

JAPIASSÚ, Hilton; MARCONDES, Danilo. Dicionário Básico de Filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

JUNGLOS, Mário. Fenomenologia da inclusividade. Nova Petrópolis: Nova Harmonia, 2014.

KUMAR, Vijay. 101 Design methods: a structure approach for driving innovation in your organization. 1 ed. New Jersey: John Wiley & Sons, 2013.

KUMAR, Vijay; WHITNEY, Patrick. Faster, cheaper, deeper user research. Design Management Journal, Boston, v. 14, n. 2, p. 50-57, Spring 2003.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Antropologia estrutural. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1970.

LUCCA, André de Souza. A etnografia rápida no metaprojeto de Design para o território. Revista Logo, Florianópolis, v. 5, n. 1, p. 23-36, 2016. Disponível em: http://incubadora.periodicos.ufsc.br/index.php/eRevistaLOGO/article/view/3784. Acesso em: 17 out. 2019.

MARCONI, Marina de A.; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo, Atlas, 2011.

MASTEN, Davis L.; PLOWMAN, Tim MP. Digital ethnography: the next wave in understanding the consumer experience. Design Management Journal, [s.l.], v. 14, n. 2, p. 75-81, 2004.

MULDER Joke. W.; MULDER, Ingrid J.; BEST, Saskia. E. Pursenality: a photo-ethnographic method for self-elicitation and co-creation. In: PARTICIPATORY INNOVATION CONFERENCE, 3., 2013, Lahti. Proceedings […]. Lahti: Lappeenranta University of Technology, 2013. P. 148-152.

NEVES, Vanessa Ferraz Almeida. Pesquisa-ação e etnografia: caminhos cruzados. Pesquisas e práticas psicossociais, [s.l.], v. 1, n. 1, p. 1-17, 2006. Disponível em: https://ufsj.edu.br/portal-repositorio/File/revistalapip/Pesquisa-Acao_e_Etnografia..._-_VFA_Neves.pdf. Acesso em: 21 out. 2019.

PEIRANO, Mariza. A favor da etnografia. Rio de Janeiro: Relume/Dumará, 1992.

PLOWMAN, Tim. Ethnography and critical design practice. In: LAUREL, Brenda (ed.). Design research: methods and perspectives. Cambridge: The MIT Press, 2009. p. 30-38.

REMOR, Carlos Augusto Monguilhot; FIALHO, Francisco Antônio Pereira; PERASSI, Richard. Epistemologia no século XX. Florianópolis: Laborciência, 2014. (Coleção Epistemologia, Ciência e Interdisciplinaridade, v. 1).

RIZZO, Francesca. Strategie di co-design: teorie, metodi e strumenti per progettare con gli utenti. Milão: FrancoAngeli, 2009.

ROCHA, Everardo; BARROS, Carla. Fernanda Pereira; PEREIRA, Cláudia da Silva. Do ponto de vista nativo: compreendendo o consumidor através da visão etnográfica. In: Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 23., 2005, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: UERJ, 2005.

SCOTTINI, Alfredo. Dicionário Escolar da língua Portuguesa. Blumenau: Todolivro, 2009.

SALVADOR, Tony.; BELL, Genevieve.; ANDERSON, Ken. Design Ethnography. Design Management Journal, [s.l.], v. 10, n. 4, p. 35-41, 1999.

SANDERS, Elizabeth. Ethnography and the empowerment of everyday people. [Canadá]: Microsoft Corporation, 2004. Disponível em: http://www.maketools.com/articles-papers/EthnographyandEmpowerment_Sanders_04.pdf. Acesso em: 21 out. 2019.

SANDERS, Elizabeth. Ethnography in NPD research how ‘applied ethnography’ can improve your NPD research process. Visions Magazine, Chicago, p. 1-5, 2002. Disponível em: http://www.maketools.com/articles-papers/EthnographyinNPDResearch_Sanders_02.pdf. Acesso em: 21 out. 2019.

SILVA, Vagner Gonçalves da. O antropólogo e sua magia: trabalho de campo e texto etnográfico nas pesquisas antropológicas sobre religiões Afro-brasileiras. São Paulo: Edusp, 2000.

TAPLIN, Dana H.; SCHELD, Suzanne; LOW, Setha M. Rapid ethnographic assessment in urban parks: a case study of Independence National Historical Park. Human Organization, [s.l.], v. 61, n. 1, p. 80-93, Spring, 2002.

TAYLOR, Kate; BONTOFT, Martin; FLYTE, Margaret Galer. Using video ethnography to inform and inspire user-centred design. In: GREEN, William S; JORDAN, Patrick W. (ed.). Pleasure with products: beyond usability. London: Taylor & Francis, 2002. cap. 4, p. 175-187.

WAINER, Jacques. Métodos de pesquisa quantitativa e qualitativa para a Ciência da Computação. In: KOWALTOWSKI, Tomasz; BREITMAN, Karin. (org.) Atualizações em informática. Rio de Janeiro: Ed.PUC-Rio, 2007. cap. 5, p. 221-262.

WASSON, Christina. Ethnography in the Field of design. Human Organization, [s.l.], v. 59, n. 4, p. 377-388, 2000.

WILKINS, John S. Evolution and Philosophy: naturalism: is it necessary?. 1997. Disponível em: http://www.talkorigins.org/faqs/evolphil/naturalism.html. Acesso em: 10 out. 2019.




DOI: https://doi.org/10.5965/1808312914242019111



Direitos autorais 2019 Thiago Varnier, Franciele Forcelini, Richard Perassi Luiz de Sousa, Eugenio Andrés Díaz Merino

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores, diretórios e bases de dados

                   


Revista DAPesquisa - Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC - Centro de Artes - CEART

Endereço: Av. Madre Benvenuta, 1907 - Itacorubi - Florianópolis - SC - CEP: 88035-001

Email: dapesquisa@gmail.com       

ISSN 1808-3129

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Software de verificação de originalidade e prevenção de plágio