Tempo-do-agora (Jetztzeit), História do Tempo Presente e Guerra do Contestado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/21751803ne2021e0111

Resumo

Qual é a relação entre os ideais de uma comunidade igualitária do início do século XX com desenhos infantis do século XXI? É possível abordar a História do Tempo Presente a partir da perspectiva de um tempo suspenso, que não é processo nem repetição? Por meio do depoimento de um frei alemão, de 1913, e de 3 desenhos infantis produzidos em 2020, ambos sobre a Santa Irmandade do Contestado, proponho refletir acerca das possíveis conexões entre história do tempo presente e as categorias de Walter Benjamin denominadas “tempo-do-agora” (Jetztzeit) e “imagem dialética”. Minha hipótese é a de que os ideais da Santa Irmandade do Contestado reaparecem em desenhos infantis produzidos por estudantes de escolas de um dos municípios que foram palco do conflito. Ao fim, proponho ampliar o repertório de análise e reflexões a respeito das múltiplas temporalidades que atravessam o que, na tradição historiográfica francesa, tem sido denominado História do Tempo Presente.

Palavras-chave: Tempo-do-agora; história do tempo presente; imagem dialética; ensino de história; Guerra do Contestado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Rosa Rodrigues, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Doutor em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ). 
Professor do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Referências

ASSOCIAÇÃO CULTURAL CORAÇÃO DO CONTESTADO. VII Semana do Contestado. Lebon Régis, SC, 20 jan. 2021. Facebook: ACCC. Disponível em: https://www.facebook.com/Coracao.Contestado/photos/a.134074401695266/221951839574188/ Acesso em: 15 jun. 2021.

BÉDARIDA, François; MUC, Gabrielle; TREBITSCH, Michel. Histoire, critique et responsabilité. Bruxelles: Complexe: IHTP: CNRS, 2003.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: LÖWY, Michael. Aviso de incêndio: uma leitura das teses “sobre o conceito de história”. Tradução: Jeanne Marie Gagnebin; Marcos Lutz Müller. São Paulo: Boitempo, 2005. p. 41-146.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: BENJAMIN, Walter. O anjo da história. Tradução, notas e comentários: João Barrento. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2016. p. 8-24.

BENJAMIN, Walter. Reflexões sobrea a criança, o brinquedo e a educação. Tradução: Marcus Vinicius Mazzari. 2. ed. São Paulo: Ed. 34, 2009.

BUCK-MOORS, Susan. O presente do passado. Florianópolis: Cultura e Barbárie, 2018.

CARVALHO, Augusto de. História do “passado”: da conceitualização tradicional à reconfiguração em Walter Benjamin, Martin Heidegger e Sigmund Freud. 392 f. 2017. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Belo Horizonte, 2017.

DALLANORA, Cristina. Conflitos no ex-Contestado: coronelismo e bandoleirismo numa região de fronteira. 2019. (Doutorado em História) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2019.

GAGNEBIN, JeanneMarie. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006.

GALLO, Ivone Cecília D’Ávila. O Contestado: o sonho do milênio igualitário. Campinas: Editora da UNICAMP, 1999.

KARSBURG, Alexandre. O eremita das Américas: a odisseia de um peregrino italiano no século XIX. Santa Maria: Editora da UFSN, 2014.

KOSELLECK, Reinhart. Estratos do tempo: estudos sobre história. Rio de Janeiro: Contraponto: PUC-Rio, 2014.

MACHADO, Francisco Pinheiro. Imagem e consciência da história: pensamento figurativo em Walter Benjamin. São Paulo: Loyola, 2013.

MACHADO, Paulo Pinheiro; Axt, Gunter (org.). Processo de Adeodato, último chefe rebelde do Contestado. Florianópolis: CEJUR, 2017.

MACHADO, Paulo Pinheiro. O contestado na sala de aula. Cadernos do CEOM: cultura e sociedade, Chapecó, v. 30, n. 46, p. 73-80, jun. 2017.

MENEZES, Celso Vianna Bezerra de. Irani: uma batalha entre mundos. In: VALENTINI, Delmir; RODRIGUES, Rogério Rosa (orgs.). Contestado: fronteiras, colonização e conflito (1912-2014). Porto Alegre: Letra e Vida; Chapecó: Ed. UFFS, 2015. p. 114-129.

MONTEIRO, Duglas Teixeira. Os errantes do novo século. São Paulo: Duas

Cidades, 1974.

LEBON REGIS. Seja bem vindo(a) ao coração do Contestado. Lebon Régis: Prefeitura Municipal, 2019. Disponível em: https://www.lebonregis.sc.gov.br/cms/pagina/ver/codMapaItem/50313. Acesso em: 21 abr. 2020.

SANTOS, Maurício Aurélio dos. O assentamento Rio dos Patos – Lebon Régis (SC): da luta pela terra à luta como pequeno produtor rural (o contexto histórico). Disponível em: http://www2.fct.unesp.br/docentes/geo/bernardo/BIBLIOGRAFIA %20DISCIPLINAS%20GRADUACAO/GEOGRAFIA%20RURAL%202016/GRUPO%20M5/ENG_2006_046.pdf. Acesso em 20 abr. 2021.

SINZIG, Pedro. Frei Rogério Neuhaus. Petrópolis: Editora Vozes, 1934.

OLIVEIRA, Emerson Dias de; FRAGA, Nilson Cesar. Lebon Régis, da vivência cabocla no Contestado ao sufocamento na lógica agrário-capitalista. Tamoios, São Gonçalo, ano 12, n. 2, p. 150-170, jul./dez. 2016.

ROUSSO, Henry. Sobre a história do tempo presente. [Entrevista cedida a] FAVERO AREND, Silvia M.; MACEDO, Fabio. Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 201-216, 2009. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/705. Acesso em: 21 abr. 2021.

ROUSSO, Henry. A última catástrofe: a história, o presente, o contemporâneo. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2016.

WELTER, Tânia. Encantado no meio do povo. São Bonifácio: Edições do Instituto EgonSchaden, 2018.

Publicado

2021-10-06

Como Citar

RODRIGUES, R. R. Tempo-do-agora (Jetztzeit), História do Tempo Presente e Guerra do Contestado. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, p. e0111, 2021. DOI: 10.5965/21751803ne2021e0111. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/21751803ne2021e0111. Acesso em: 20 out. 2021.