O chinelo do Museu do Ipiranga - USP: acervo, memória e poder

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180314372022e0401

Resumo

O Museu do Ipiranga-USP, também conhecido como Museu Paulista da Universidade de São Paulo, foi reinaugurado em 2022, após noves anos fechado. O trabalho de monitoramento arqueológico realizado durantes as obras de reforma e ampliação do edifício-monumento gerou um interessante acervo de cultura material que acrescentou uma nova camada de informação e complexidade ao museu público mais antigo de São Paulo: objetos relacionados aos antigos trabalhadores da construção civil que ergueram, reformaram e conservaram a edificação, e usuários do Parque da Independência no entorno do edifício-monumento. Os achados serviram de mote para uma discussão que ganhou as redes sociais da instituição, iniciando um debate simbólico entre diferentes formas de conceber o espaço museológico, as tensões e distintas perspectivas sobre qual memória cabe ou não ser preservada no museu, o que deve ser valorizado, pesquisado, conservado, exposto e o que deve ser descartado desta história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Matos, Scientia Consultoria Científica

Doutor em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Pesquisador da Scientia Consultoria Científica.

Renato Kipnis, Scientia Consultoria Científica

Doutor em Antropologia pela Universidade de Michigan (UMICH). Diretor da Scientia Consultoria Científica.

Ilza Carla Favaro de Lima, Scientia Consultoria Científica

Doutoranda em Patrimônio e Museologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).
Pesquisadora da Scientia Consultoria Científica.

Referências

CHAGAS, Mário. Memória e Poder: Dois movimentos. In: Cadernos de Sociomuseologia [S.I.], V19, n. 19, jun. 2002.

CHAGAS, Mario; ASSUNÇÃO, Paula; GLAS, Tamara. Museologia social em movimento. In: Cadernos do Ceom. Ano 27, nº 41. Chapecó: Unochapecó, 2014, 429- 436.

FERNANDES, Jéssica Luana; SANTOS, Simone Cabral Marinho dos. Redes sociais e divulgação científica: possibilidades para socialização do conhecimento. In: Anais V FIPED. Campina Grande: Realize Editora, 2013.

FRANÇA, Andressa de Almeida. Divulgação Científica no Brasil: espaços de interatividade na Web. Dissertação (Mestrado em Ciência, Tecnologia e Sociedade). UFSCar, São Carlos, 2015.

MUSEU DO IPIRANGA. Arqueologia: chinelo. São Paulo, 13 abr. 2022a. Facebook: @museudoipiranga. Disponível em: https://www.facebook.com/museudoipiranga/photos/a.918998834788699/5618037001551502/. Acesso em 31 de out. 2022.

MUSEU DO IPIRANGA. Arqueologia: chinelo. São Paulo, 13 abr. 2022b. Instagram: @ museudoipiranga. Disponível em: https://www.instagram.com/p/CcThoQ3v5zO/. Acesso em 31 de out. 2022.

ROQUE, Daniel Salomão. Os mistérios e polêmicas que cercam um chinelo no Museu do Ipiranga. BBC News Brasil. São Paulo, 08 mai. 2022. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/geral-61305153. Acesso em 31 de out. 2022.

SCIENTIA CONSULTORIA CIENTÍCIA. Um chinelo na parede. São Paulo, 09 mar. 2022. Facebook: @scientiaconsultoriacientificaltda. Disponível em: https://www.facebook.com/scientiaconsultoriacientificaltda/posts/pfbid02BPsz4oNz6U93SJogja6RLDWwMnvg2xpSPkTFYwK66Z8jgCvApEkkqF13aXX1VYfTl. Acesso em 31 de out. 2022.

TOLENTINO, Atila Bezerra. Museologia social: apontamentos históricos e Conceituais. In: Cadernos De Sociomuseologia, vol.52, nº 8, 2016.

VERSIANI, Maria Helena. “Patrimônio cultural: modos de ver e conhecer”. In: Anais do VIII Seminário Nacional do Centro de Memória. Unicamp: São Paulo, 2016.

Downloads

Publicado

2022-11-28

Como Citar

MATOS, F.; KIPNIS, R.; LIMA, I. C. F. de. O chinelo do Museu do Ipiranga - USP: acervo, memória e poder. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 14, n. 37, p. e0401, 2022. DOI: 10.5965/2175180314372022e0401. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180314372022e0401. Acesso em: 6 fev. 2023.