Formação, ensino e pesquisa: percepções sobre a docência e a pesquisa no âmbito do ProfHistória

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180314372022e0201

Resumo

O presente artigo discute a relação ensino e pesquisa com professores de História da educação básica em processo de formação continuada pela qualificação da sua docência. Busca-se apontar como a relação formação-ensino-pesquisa pode atravessar os processos e as relações no ensino superior. O texto apresenta o cenário da pesquisa, a saber, o Mestrado Profissional em Ensino de História – ProfHistória (polo Universidade do Estado da Bahia – UNEB), bem como detalha o contexto da investigação que dá lastro a este texto. A partir de diálogo bibliográfico com autores e autoras que discutem a relação entre ensino e pesquisa, metodologias qualitativas e estudos de caso, delimitamos o escopo deste trabalho. A pesquisa iniciou-se no semestre de 2020.1, com a turma que acabara de ingressar no ProfHistória-UNEB. Interessa saber: como o grupo vive a relação formação, ensino e pesquisa? Na interpretação dos achados da pesquisa, os dados apontam para os desafios enfrentados pelos docentes na constituição da sua trajetória profissional, o que levanta a discussão acerca da sua própria formação. As considerações finais retomam a questão posta na introdução deste texto: como o grupo pensa a relação formação, ensino e pesquisa em direção a uma prática docente mais implicada com os atuais desafios da realidade da educação básica.

Palavras-chave: prática de ensino; formação docente; ProfHistória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cristina Castro do Lago, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Doutora em Educação e Democracia pela Universidade de Barcelona (UB).
Professora do Departamento de Educação e do Mestrado Profissional em Ensino de História (PROFHistória) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Cristiana Ferreira Lyrio Ximenes, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Doutora em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF).
Professora do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas e do Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Sérgio Armando Diniz Guerra Filho, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Doutor em História pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).
Professor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e do Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Referências

ALMEIDA, Maria do Socorro da Costa e. Iniciação à docência e construção de percursos profissionais de participantes do PIBID: narrativas e práticas. 2016. Tese (Doutorado em Educação e Contemporaneidade) – PPGEduC, Departamento de Educação, Universidade do Estado da Bahia, UNEB, Salvador, 2016.

BITTENCOURT, Circe M. Fernandes. Ensino de história: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2004. (Coleção docência em formação).

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 2, de 19 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior. Brasília, DF: MEC, 2002.

DEMO, Pedro. Pesquisa: princípio científico e educativo. 6. ed. São Paulo: Cortez, 1999.

FERREIRA, Ângela Ribeiro. A prática de ensino na formação do professor de História no Brasil. Revista História Hoje, São Paulo, v. 3, n. 5, p. 301-320, 2014.

FLICK, Uwe. Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FONSECA, Selva Guimarães. Didática e prática de ensino de história. 7. ed. Campinas: Papirus, 2003.

FREIRE. Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GODINHO, Luis Flávio Reis; COSTA, Diana. A Pandemia da covid-19 e as repercussões sobre o trabalho docente. In: BURGINSKI, Vanda Micheli; ÁVILA, Heleni Duarte Dantas de; NASCIMENTO, Jucileide Ferreira do. Estado, política social e territórios: reflexões sobre a pandemia. Palmas: EDUFT, 2021. p. 169-182.

MARTINS, Heloísa Helena T. de Souza. Metodologia qualitativa de pesquisa. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 2, p. 289-300, 2004.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

MONTEIRO, Ana Maria. Professores de história: entre saberes e práticas. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

MORAES, Roque; LIMA, Valderez Marina do R. (orgs.). Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012.

OLIVEIRA, Itamar Freitas de; OLIVEIRA, Margarida Maria Dias de. Apresentação: “Sabe lá, o que é não ter e ter que ter para dar”: ser profissional de História durante uma pandemia. Revista História Hoje, São Paulo, v. 10, n. 21, p. 4-8, jul. 2021. Edição Especial.

RODRIGUES, Rogério Rosa. Possibilidades de pesquisa em história. São Paulo: Contexto, 2017.

SILVA, Eliene Maria da. A iniciação à docência no processo da aprendizagem docente: um estudo no programa institucional de bolsa de iniciação à docência Pibid/Capes na Universidade do Estado da Bahia – UNEB. 2016. Tese (Doutorado em Educação) − Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.

SILVA, Marcos; GUIMARÃES, Selva. Ensinar história no Século XXI: em busca do tempo entendido. 4. ed. Campinas: Ed. Papirus, 2012.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2014

YIN, Robert K. Pesquisa estudo de caso: desenho e métodos. Porto Alegre: Bookman, 1994.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2001.

Downloads

Publicado

2022-12-19

Como Citar

LAGO, A. C. C. do; XIMENES, C. F. L.; GUERRA FILHO, S. A. D. Formação, ensino e pesquisa: percepções sobre a docência e a pesquisa no âmbito do ProfHistória. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 14, n. 37, p. e0201, 2022. DOI: 10.5965/2175180314372022e0201. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180314372022e0201. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Seção Temática: Os desafios de ensinar e aprender história no tempo presente