Os livros didáticos e a participação de mulheres na luta armada no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180313342021e0307

Resumo

Este artigo analisa um conjunto de livros didáticos de História dos catálogos do Programa Nacional do Livro Didático para o Ensino Médio (PNLEM) de 2008 e de 2018, atentando para os modos como apresentam a participação de mulheres na luta armada no Brasil, entre 1968 e 1974. A razão de nos debruçarmos sobre o tema se justifica pelo lugar que a luta armada tem na história e na memória da ditadura brasileira, pela presença do tema nos livros analisados e, ainda, pela existência de pesquisas acadêmicas e publicações diversas sobre o protagonismo de mulheres nesses acontecimentos. O texto está organizado em três partes: na primeira, apresentamos o PNLEM, os livros didáticos a serem examinados e as resenhas feitas sobre eles nos Catálogos de 2008 e de 2018, como parte do processo de avaliação previsto no Programa; na segunda parte, exploramos os conteúdos dos livros selecionados; na terceira e última parte, dialogamos com a historiografia sobre mulheres na luta armada e sobre livro didático de História.

Palavras-chave: livros didáticos de história; mulheres; ditadura; luta armada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Simone Rodeghero, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutora em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professora do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGH/UFRGS)

Vanderlei Machado, Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutor em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Professor efetivo do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Referências

ARAÚJO, Maria Paula Nascimento. Memória e debate sobre a luta armada no Braisl e na Argentina. In: QUADRAT, Samantha Viz; ROLLEMBERG, Denise (Orgs.). História e memória das ditaduras do século XX. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2015, p. 245-263.

ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO. Brasil: Nunca Mais: um relato para a história. Petrópolis: Vozes, 1985.

AZEVEDO, Reinaldo; SERIACOPI, Gislaine. História passado e presente. São Paulo: Ática, 1ª ed., 2016, vol. 3.

AZEVEDO, Reinaldo; SERIACOPI, Gislaine. História. São Paulo: Ática, 1ª ed., 2005, vol. único.

BAUER, Caroline. Quanta verdade o Brasil suportará? Uma análise das políticas de memória e de reparação implementadas o Brasil em relação à ditadura civil-militar. In: Dimensões. Revista de História da UFES, v. 32, p. 148-169, 2014.

BRAGA, Gilberto. Minissérie “Anos Rebeldes”. Rio de Janeiro: Rede Globo, 1992.

BRAICK, Patrícia Ramos; MOTA, Myriam Becho. História das cavernas ao terceiro milênio. São Paulo: Moderna, 1ª ed., 2005, vol. 3.

BRAICK, Patrícia Ramos; MOTA, Myriam Becho. História das cavernas ao terceiro milênio. São Paulo: Moderna, 4ª ed., 2016, vol. 3.

BRASIL. Ministério da Educação/Secretária da Educação Básica. Catálogo do Programa Nacional do Livro Didático para o Ensino Médio, PNLEM/2008. Brasília, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação/Secretária da Educação Básica. Guia Digital PNLEM/2018. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/pnld-2018/ Acesso: 19 março 2021.

BRASIL. Mortos e desaparecidos políticos. Relatório Final da Comissão Nacional da Verdade, Brasília, 2014c, vol. 3.

BRASIL. Relatório Final da Comissão Nacional da Verdade, Brasília, 2014a, 3 vols.

BRASIL. Violência sexual, violência de gênero e violência contra crianças e adolescentes. Relatório Final da Comissão Nacional da Verdade, Brasília, 2014b, vol. 1, p. 399 a 435.

BRIGGMANN, Luísa Dornelles. Mulheres que foram à luta contra a ditadura nas páginas do jornal Correio do Povo (1968 - 1975). Florianópolis: UFSC, 2019. Dissertação de mestrado em História.

CAIMI, Flávia Eloisa. O livro didático de história e suas imperfeições. Repercussões do PNLD após 20 anos. In: ROCHA, Helenice; REZNIK, Luis; MAGALHÃES, Marcelo de Souza (orgs.). Livros Didáticos de História: entre políticas e narrativas. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2017, p. 33-54.

CAMPOS, Flávio de; PINTO, Júlio Pimentel de; CLARO, Regina. Oficina de História, São Paulo: Leya, 2016, vol. 3

CAMPOS, Flávio; MIRANDA, Renan Garcia. A escrita da história. São Paulo: Escala Educacional, 2005, vol. único.

CARBONI, Maria Cecília Conte. Maria Quitéria: o Movimento Feminino pela Anistia e sua imprensa (1975–1979). 2008. 98 f. Dissertação (Mestrado em História) — Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

CARVALHO, Luiz Maklouf. Mulheres que foram à luta armada. São Paulo: Globo, 1998.

CAVALCANTI, Erinaldo. Livro didático: produção, possibilidades e desafios para o ensino de História. Revista História Hoje, v. 5, nº 9, p. 262-284, 2016.

CHOPPIN, Alain. O historiador e o livro escolar. História da Educação, n. 11, p. 5-24, abril de 2002.

COLLING, Ana Maria. A construção do sujeito político mulher “subversiva”. In.: Contexto e Educação, Ijui, v. 9, nº 35, p. 16-23, jul/set. 1994.

COLLING, Ana Maria. A resistência da mulher à ditadura militar no Brasil. Rio de Janeiro: Record: Rosa dos Ventos, 1997.

COLLING, Ana Maria. As mulheres e a ditadura militar no Brasil. In.: História em Revista. v.10, UFPEL, 2004.

COSTA, Albertina de Oliveira; MORAES, Maria Teresa Porciuncula; MARZOLA, Norma; LIMA, Valentina da Rocca. Memórias das mulheres do exílio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980, 2 vols.

COTRIM, Gilberto. História Global. São Paulo: Saraiva, 2ª ed., 2016, vol. 3.

COTRIM, Gilberto. História Global: Brasil e Geral. São Paulo: Saraiva, 1ª ed., 2005, vol. único.

DA-RIN, Sílvio (Dir.). Hércules 56 (Documentário), 2006.

DE LUCA, Derlei Catarina. No corpo e na alma. Criciúma: Do autor, 2002.

DUARTE, Ana Rita Fontelles. Memórias em disputa e jogos de gênero: o Movimento Feminino pela Anistia no Ceará (1976–1979). 2009. 232 f. Tese (Doutorado em História) — Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

FAGUNDES, Pedro Ernesto Anistia: das mobilizações das mulheres na ditadura militar às recentes disputas sobre o passado. Vitória: Editora Milfontes, 2019.

FERREIRA, Elizabeth F. Xavier. Mulheres, militância e memória. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996.

FREDERICO, Flávio (Dir.). Em busca de Iara (Documentário), 2003.

GORENDER, J. Combate nas Trevas: a esquerda brasileira: das ilusões perdidas à luta armada. São Paulo: Ática, 1987.

HENTZ, Isabel Cristina e VEIGA, Ana Maria. Entre o feminismo e a esquerda: contradições e embates da dupla militância. In: PEDRO, Joana Maria; WOLFF, Cristina Scheibe; VEIGA, Ana Maria (Orgs.). Resistências, gênero e feminismos contra as ditaduras do Cone Sul. Florianópolis: Editora Mulheres, 2011, p. 145-163.

INSUELA, Júlia Bianchi Reis. Visões das mulheres militantes na luta armada: repressão, imprensa e (auto)biografias (Brasil, 1968-1971). Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2011. Dissertação de Mestrado em História.

JELIN, Elizabeth. Los trabajos de la memoria. Madri: Siglo XXI, 2002.

JOFILLY, Olívia R. Esperança Equilibrista: resistência feminina à ditadura militar no Brasil. Florianópolis: Insular, 2016.

KNAUSS, Paulo. Por onde anda a história na atualidade da escola: ensino médio, livros didáticos e ensino de história. In: ROCHA, Helenice; MAGALHÃES, Marcelo; CONTIJO, Rebeca (orgs.). A escrita da história escolar: memória e historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009. p. 293-308.

MACHADO, Vanderlei. Paternidade, maternidade e ditadura: a atuação de pais e mães de presos, mortos e desaparecidos políticos no Brasil. História Unisinos, v. 17, p. 179-188, 2013.

MACHADO, Vanderlei; RODEGHERO. Carla Simone. Os Livros didáticos e a História da participação das mulheres no Movimento Estudantil. Fronteiras: Revista Catarinense de História, v. N. 29, p. p. 28-49, 2017.

MARTINS, I. de. A Guerrilha do Araguaia. In: História Imediata. São Paulo: Alfa-ômega, 1978, vol. 1.

MATOS, Maria Izilda Santos. História das Mulheres e das Relações de Gênero: Campo Historiográfico, Trajetórias e Perspectivas. In: Mandrágora, v. 19, p. 5-15, 2013.

MIRANDA, Sônia Regina; LUCA, Tânia Regina de. O livro didático de história hoje: um panorama a partir do PNLD. In: Revista Brasileira de História. Vol. 14, n. 48, p. 123-143, dez. 2004.

MURAT, Lúcia (Dir.). Que Bom Te Ver Viva (Documentário), 1989.

NIETTO, Rose Marie. Memórias, identidades e o processo de formação política de Marlene Soccas : uma militante de esquerda em tempos de Ditadura Civil Militar no Brasil (1960 -1970). Criciúma/SC: Unesc, 2019. Dissertação de mestrado em educação. Disponível em: http://repositorio.unesc.net/handle/1/7536. Consulta em 13 de março de 2021.

PAIVA, Maurício. Companheira Carmela. A história da lua de Carmela Pezzuti e seus dois filhos na resistência ao regime militar e no exílio. Rio de Janeiro: MAUAD, 1996.

PAMPLONA, Mariana. Clandestina, a vida de Iara Iavelberg em dois roteiros. 2009. 122 p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Artes, Campinas, SP.

PATARRA, Judith. Iara: reportagem biográfica. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1992.

PAULA, Adriana das Graças de. Pensar a democracia: o movimento feminino pela anistia e as Mães da Praça de Maio (1977–1985). 2014. 155 f. Dissertação (Mestrado em História) — Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

PEDRO, Joana Maria; VEIGA, Ana Maria. Gênero. In: COLLING, Ana Maria; TEDESCHI, Losandro (Orgs.). Dicionário crítico de gênero. Dourados, MS: Ed. UFGC, 2015, p. 304-308.

PEDRO, Joana Maria; WOLFF, Cristina Scheibe; VEIGA, Ana Maria. (Org.). Resistências, Gênero e Feminismos contra as Ditaduras no Cone Sul. 1ed. Florianópolis: Mulheres, 2011.

PERNAMBUCO, Estado de. Secretaria da Casa Civil. Comissão Estadual da Memória e Verdade D. Helder Câmara. Depoentes Ivan Seixas e Amparo Araújo. 04/04/2013. Disponível em https://www.comissaodaverdade.pe.gov.br/index.php/28-11-04-2013-p-ivan-seixas-e-amparo-araujo-pdf-3 Consulta em 14/03/2021.

PILAGALLO, Oscar. O Brasil em sobressalto: 80 anos de história contada pela Folha. São Paulo: Folha de São Paulo, 2002.

RALEJO, Adriana; MONTEIRO, Ana Maria. Livros didáticos: autoria em questão. In: Revista Escritas do Tempo – v. 2, n. 5, Jul.-Out./2020, p. 117-13.

RAMMINGER, Ignez M. S. Na guerra com batom. In: PADRÓS, Enrique S.; BARBOSA, Vânia M.; LOPEZ, Vanessa Al.; FERNANDES, Ananda S. (org). A Ditadura de Segurança Nacional no Rio Grande do Sul (1964 – 1985): história e memória. POA: Corag, 2010 – vol. 2.

REIS FILHO, Daniel A. A Revolução Faltou ao Encontro. Os Comunistas no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1990.

REIS, Débora Ataíde. Memória(s) Militante(s): narrativas autobiográficas e imagens da resistência em Derlei Catarina de Luca (1966-1973). Salvador: UFBA, 2020. Dissertação de mestrado em História.

REZENDE, Sérgio (Dir.). Zuzu Angel, 2006.

RIBEIRO, Maria Cláudia Badan. Experiência de luta na emancipação feminina: mulheres na ALN. São Paulo: USP, 2011, Tese de doutorado em História.

RIDENTI, Marcelo. As mulheres na política brasileira: os anos de chumbo. Tempo Social, Rev. Sociol. USP, S. Paulo, 2 (2), 113-128, 2º sem. 1990.

ROCHA, Helenice. A ditadura militar nas narrativas didáticas. In: ROCHA, Helenice; REZNIK, Luis; MAGALHÃES, Marcelo de Souza (orgs.). Livros Didáticos de História: entre políticas e narrativas. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2017, p. 245-468.

RODEGHERO, Carla S.; GUAZZELLI, Dante G.; DIENSTMANN, Gabriel. NÃO CALO, GRITO: Memória visual da ditadura civil-militar no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2013.

RODEGHERO, Carla Simone; DIENSTMANN, Gabriel; TRINDADE, Tatiana. Anistia ampla, geral e irrestrita: história de uma luta inconclusa. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2011.

RODEGHERO, Carla Simone; MACHADO, Vanderlei. A História recente nos livros didáticos de História: a ditadura militar e a questão da anistia no Brasil. Cadernos do Aplicação (UFRGS), v. 23, p. 165-198, 2010.

RODEGHERO, Carla Simone; MACHADO, Vanderlei. Mulheres em movimento: militância estudantil e luta contra a ditadura. In: História Oral, v. 20, n. 2, p. 33-57, jul./dez. 2017.

ROVAI, Marta Gouveia de Oliveira. O direito à memória: a história oral de mulheres que lutaram contra a ditadura militar (1964 - 84). Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 5, n.10, jul./dez. 2013. p. 108 – 132.

SALEM, Helena. Ex-militante inspira personagens femininas: entrevista com Vera Sílvia Magalhães. In: REIS FILHO, Daniel Aarão (Org.). Versões e ficções: o sequestro da história. São Paulo: Editora Perseu Abramo, 1997, p. 47-50.

SANTOS, Ivan (Dir.). Clara Charf: a companheira de Marighella (Documentário), 2003. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/131873. Consulta em 14/03/2021.

SETEMY, Adrianna. “Ato sem perdão”: justiça de transição, políticas de memória e reparação às mulheres vítimas de violência de gênero durante a ditadura militar brasileira. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v. 33, n. 70, p. 338-358, Agosto 2020.

SILVA, Cristiani Bereta da. O saber histórico escolar sobre as mulheres e relações de gênero e nos livros didáticos de história. Caderno Espaço Feminino, v. 17, n. 01, Jan./Jul. 2007, p. 219-246.

SILVA, Iara Augusta da. O Programa Nacional do Livro Didático para o Ensino Médio (PNLD/EM): uma política Nacional implementada pelo estado brasileiro no início do século XXI. 2015. In: 37ª Reunião Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em educação (ANPED). Disponível em: https://anped.org.br/biblioteca/item/o-programa-nacional-do-livro-didatico-para-o-ensino-medio-pnldem-uma-politica-de. Consulta em 19 de outubro de 2020.

SILVA, Marcelo Soares Pereira. O livro didático como política pública: perspectivas históricas. In: ROCHA, Helenice; REZNIK, Luis; MAGALHÃES, Marcelo de Souza (orgs.). Livros Didáticos de História: entre políticas e narrativas. Rio de Janeiro: FGV editora, 2017, p. 101-120.

SILVA, Tauana Olívia Gomes. Mulheres negras nos movimentos de esquerda durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985). Florianópolis: UFSC, 2019. Tese de doutorado em História.

SIRKIS, Alfredo. Os Carbonários. São Paulo: Global, 1980.

SOIHET, Rachel; PEDRO, Joana Maria. A emergência da pesquisa da História das Mulheres e das Relações de Gênero. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 27, nº 54, p. 281-300, 2007.

SOUSA, Deusa Maria de. Lágrimas e lutas: a reconstrução do mundo de familiares de desaparecidos políticos do Araguaia. Florianópolis: UFSC, 2011. Tese de doutorado em História.

SOUSA, Deusa Maria de. Militância, família, partido: o caso do Araguaia. In: Anais do Seminário Fazendo Gênero 10. Florianópolis: UFSC, 2013. Disponível em http://www.fg2013.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/old_20/1373502892_ARQUIVO_DeusaMariadeSousa_doc.pdf. Acesso em 19 de março de 2021.

TAVARES, Flávio. Memórias do esquecimento: os segredos dos porões da ditadura. Porto Alegre: L&PM, 2012.

TELES, Janaína de Almeida. Entre o luto e a melancolia: a luta dos familiares de mortos e desaparecidos políticos no Brasil. In: SANTOS, Cecília Macdowell; TELES, Edson; TELES, Janaína de Almeida (Orgs.). Desarquivando da ditadura: memória e justiça no Brasil. São Paulo: Hucitec, 2009, vol. 1, p. 151-176.

VAQUINHAS, Irene Montesuma. História das mulheres. In: COLLING, Ana Maria; TEDESCHI, Losandro (Orgs.). Dicionário crítico de gênero. Dourados, MS: Ed. UFGC, 2015, p. 335-340.

VARGAS, M. C. Deslocamentos, vínculos afetivos e políticos, conquistas e transformações das mulheres opositoras à ditadura civil-militar: A trajetória do Movimento Feminino pela Anistia no Rio Grande do Sul (1975–1979). 2010. 320 f. Dissertação (Mestrado em História) — Universidade Vale do Rio dos Sino, São Leopoldo, RS, 2010.

VIANNA, Martha. Uma tempestade como a sua memória: a história de Lia, Maria do Carmo Brito. Rio de Janeiro: Record, 2003.

WOLFF, Cristina Scheibe. O gênero da esquerda em tempos da ditadura. In: 138-154. In: PEDRO, Joana Maria; WOLFF, Cristina Scheibe (Orgs.). Gênero, feminismos e ditaduras no Cone Sul. Florianópolis: Editora Mulheres, 2010.

WOLFF, Cristina Scheibe; MACHADO, Vanderlei. Gênero e Militância de Esquerda. In: Ana Lice Brancher; Reinaldo Lindolfo Lonh. (Org.). Histórias na ditadura - Santa Catarina (1964-1985). 1ed.Florianópolis: Editora UFSC, 2014, p. 159-180.

Downloads

Publicado

2021-12-17

Como Citar

RODEGHERO, C. S.; MACHADO, V. Os livros didáticos e a participação de mulheres na luta armada no Brasil. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 13, n. 34, p. e0307, 2021. DOI: 10.5965/2175180313342021e0307. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180313342021e0307. Acesso em: 25 set. 2022.