As narrativas e alternativas de análise sobre o contexto da luta de libertação em África: caso Amílcar Cabral

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180313342021e0103

Resumo

Este texto tem como objetivo refletir sobre as narrativas e as análises alternativas referentes ao contexto de luta de libertação nacional na Guiné-Bissau, que inclui um breve relato da colonização europeia em África. O trabalho se enquadra no campo da história e sociologia política, procura abordar os processos de resistências na Guiné Portuguesa, nome atribuído à atual Guiné-Bissau no período da colonização lusitana, assim como procurou-se trazer uma análise sobre as relações políticas costuradas no período da colonização em torno de unidade étnica e identidade nacional. Para realizar esta reflexão, levou se em consideração a perspectiva pan-africanista de Amilcar Cabral. O trabalho tem como referencial teórico o pensamento pós-colonial, aplicado aos processos políticos dos países africanos, centrado numa perspectiva de um estudo essencialmente bibliográfico. O pensamento de Amílcar Cabral ajudou a conduzir esta análise, visto que ele foi o líder do partido que conseguiu conquistar a hegemonia política para conduzir a luta pela independência, chancelada pelos diversos grupos étnicos, associações de bairros e outros grupos de resistência formada pela elite urbana que era formada por funcionários públicos de grandes casas comerciais na administração portuguesa.

Palavras-chave: luta de libertação nacional; resistências étnicas; identidade guineense; colonialismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arnaldo Sucuma, Universidade de Pernambuco (UPE)

Doutor em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).
Professor no UNIFIP - Centro Universitário – Patos; Professor no UNIVISA - Centro Universitário - Vitória de Santo Antão e Professor Substituto na Universidade de Pernambuco/UPE. Pesquisador Associado ao Instituto de Estudos da África - IEAf/UFPE. Pesquisador Associado ao Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros - NEAB/UFPE. Coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Direitos Humanos, Relações Étnico-Raciais e Meio Ambiente – UNIFIP. Pesquisador ligado ao Centro Italiano para o Estudo da Cultura Africana e Mediterrânea/CISCAM.

Referências

BARTHÉLÉMY, Pascale. L’enseignement dans l’Empire colonial français: une vieille histoire. Revista Histoire de l’éducation, [France], n. 128, p. 5-27, oct./déc. 2010.

BUSSOTTI, Luca. Políticas agrícolas e usurpação de terras em Moçambique Independente: resistências, movimentos sociais, papel do Estado. Cadernos de Estudos Africanos, Lisboa, n. 40, p. 37-62, 2020. Disponível em: https://journals.openedition.org/cea/5243?lang=en. Acesso: 09 out. 2021.

CÁ, Lourenço Ocuni. A constituição da política do currículo na Guiné-Bissau e o mundo globalizado. Cuiabá: EdUFMT, 2008.

CABRAL, Amílcar. A prática revolucionária: unidade e luta. Praia: Fundação Amílcar Cabral, 2013. v. 2.

CABRAL, Amilcar. Guiné-Bissau, nação africana forjada na luta. Lisboa: Publicações Nova Aurora, 1974.

CABRAL, Amílcar. Pensar para agir melhor: intervenções no seminário de Quadros, 1969. Cabo Verde: Fundação Amílcar Cabral, 2014.

CABRAL, Amílcar. Unidade e luta I: a arma da teoria. Lisboa: Seara Nova, 1978.

CABRAL, Amilcar; COMITINI, Carlos. A arma da teoria. 2. ed. Lisboa: Seabra Nova, 1978.

CARDOSO, Carlos. Sociedade civil, espaço público e gestão de conflitos: o caso da Guiné-Bissau. Yaoundé: [s.n.], 2008.

CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. Bauru: EDUSC, 2002.

DJÚ, Edgar. Estado guineense e o desenvolvimento nacional. São Luis: [s.n.], 2019.

DUARTE SILVA, Antonio E. Amílcar Cabral: Documentário (textos políticos e culturais). Lisboa: ed. Cotovia, Ltda, 2008.

FRANCO, Paulo Fernando Campbell. Amílcar Cabral: a palavra falada e a palavra vivida. 2009. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

GOMES, Patrícia Godinho. Os fundamentos de uma nova sociedade: o P.A.I.G.C. e a luta armada na Guiné-Bissau (1963-1973): organização do Estado e relações internacionais. Torino: L’Harmattan Itália, 2010.

HAMPATÉ BÂ, Amaduo. A tradição viva. In KI-ZERBO, Joseph (org.) História Geral da África: metodologia e Pré-história da África. v. 1. Brasília: UNESCO, 2010. p. 167-212.

KOHL, Christoph. Construindo a não na África pós-colonial: o exemplo de Guiné-Bissau. Cadernos de Estudos Africanos, [s.l.], n. 20, p. 39-71, 2011.

LEMOS, Mário Matos. Os portugueses na Guiné-Bissau: apontamento para uma síntese. Lisboa: Ed. Crédito Predial Português, 1996.

LOPES, Carlos (org.). Desafios contemporâneos da África, o legado de Amílcar Cabral. São Paulo: Ed. UNESP, 2011.

LOPES, Carlos. Kaabunké: espaço, território, e poder na Guiné-Bissau, Gâmbia e Cassamance Pré-Coloniais. Lisboa: CNCDP, 1999.

M´BOKOLO, Elikia. África negra: história e civilização. Salvador: EDUFBA; São Paulo: Casa das Áfricas, 2009. Tomo I.

MATEUS, Dalila C. A Luta pela independência: a formação das elites fundadoras da FRELIMO, MPLA e PAIGC. Lisboa: Inquérito 1999.

MENDY, Peter Karibe. Cabral na Guiné-Bissau colonial: contexto, desafios e conquistas. In: CABRAL NO CRUZAMENTO DE ÉPOCAS. Praia: Alfa Comunicações: 2005. p. 757-777.

MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DO PLANO E DA INTEGRAÇÃO REGIONAL. Instituto Nacional de Estatística. Terceiro recenseamento geral da população e habitação. Bissau: O Ministério, 2009.

MONTEIRO, Artemisa O. Candé. Guiné portuguesa versus Guiné-Bissau: a luta da libertação nacional e o projeto de construção do estado guineense. [S.l.:s.n.], 2017.

PARTIDO AFRICANO PARA A INDEPENDÊNCIA DA GUINÉ E CABO-VERDE. Estatutos do Partido. [S.l.:s.n.], 1974.

PARTIDO AFRICANO PARA A INDEPENDÊNCIA DA GUINÉ E CABO-VERDE. História e estatutos de PAIGC. [S.l.:s.n., 20--]. Disponível em: www.paigc.org. Acesso em: 28 ago. 2021.

SEMEDO, Rui J. Conacri como espaço duplo: retaguarda de luta e de produção e reprodução de conflitos. Bissau: [s.n.], 2012.

VAMBE, Maurice Taonezvi; ZEGEYE, Abebe. Amílcar Cabral e as vicissitudes da literatura africana. São Paulo: Ed. Unesp, 2012. p. 35-68.

WICK, Alexis. A nação no pensamento de Amílcar Cabral. In. CABRAL NO CRUZAMENTO DE ÉPOCAS. Praia: Alfa Comunicações: 2005. p. 353-384.

Downloads

Publicado

2021-11-04

Como Citar

SUCUMA, A. As narrativas e alternativas de análise sobre o contexto da luta de libertação em África: caso Amílcar Cabral. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 13, n. 34, p. e0103, 2021. DOI: 10.5965/2175180313342021e0103. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180313342021e0103. Acesso em: 30 nov. 2021.