Mulheres e(m) quadrinhos: caminhos e perspectivas historiográficas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180312312020e0107

Resumo

Nos primeiros anos do século XXI, observa-se a força do movimento feminista e de reinvindicações políticas comprometidas em estabelecer o protagonismo das mulheres na esfera pública. No mesmo contexto, ocorre um aumento no interesse sobre as histórias em quadrinhos (HQs) enquanto linguagem dotada de procedimentos bastante específicos, em que a narrativa visual possibilita representar outras perspectivas sobre a experiência humana no tempo. Não por acaso, as HQs permitem dar visibilidade e abordar de maneira única as lutas feministas do tempo presente, o que se expressa, por sua vez, numa crescente produção acadêmica que busca rever o lugar das mulheres no mundo das HQs. O presente artigo é uma aproximação sobre este vasto corpus bibliográfico, focando a análise em alguns trabalhos importantes dedicados a investigar a atuação das mulheres nas HQs, incluindo uma análise de pesquisas acadêmicas sobre HQs desenvolvidas mais recentemente no Brasil. A conclusão sinaliza para algumas das possibilidades de investigação futura, destacando as especificidades da linguagem das HQs para narrar e representar graficamente a condição feminina no mundo contemporâneo.

Palavras-chave: Histórias em Quadrinhos. História das Mulheres. Feminismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivan Lima Gomes, Universidade Federal de Goiás

Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense (bolsa CNPq). Professor de História Moderna e Contemporânea pela Universidade Federal de Goiás. Desenvolve pesquisa sobre quadrinhos nas Américas, articulando cultura visual e história editorial.

Referências

BAETENS, Jan; FREY, Hugo. The graphic novel: an introduction. New York: Cambridge University Press, 2015.

BERLATSKY, Noah. Wonder woman: bondage and feminism in the Marston/Peter Comics, 1941-1958. New Brunswick: Rutgers University Press, 2015.

BOFF, Ediliane. De Maria a Madalena: representações femininas nas histórias em quadrinhos. 2014. Tese (Doutorado em Comunicação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

BOLTANSKI, Luc. La constitution du champ de la bande dessinée. Actes de la recherche en sciences sociales, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 37-59, jan. 1975.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo; Porto Alegre: Edusp: Zouk, 2007.

BUCCHIONI, Tulio Heleno. Laerte “vestido de mulher”: uma investigação sobre representações de gênero e sexualidade na mídia. 2016. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão de identidade. 8. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

CAVALCANTE, Laís. Quero deixar de ser um menino dependente para ser uma mulher autônoma: os casos transgêneros nas tirinhas de Laerte Coutinho. 2014. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2014.

CHARTIER, Roger. A história cultural entre práticas e representações. 2. ed. Lisboa: Difel, 2002.

CHUTE, Hillary. Disaster drawn: visual witness, comics, and documentary form. Cambridge: Harvard University Press, 2016.

CORBIN, Alain; VIDAL, Laurent. Alain Corbin o prazer do historiador. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 25, n. 49, p. 11-31, jan./jun. 2005.

CRESCÊNCIO, Cintia Lima. As mulheres ou os silêncios do humor: uma análise da presença de mulheres no humor gráfico brasileiro (1968-2011). Ártemis, João Pessoa, v. 26, n. 1, p. 53-75, jul./dez. 2018.

CUNHA, Jaqueline dos Santos. A representação feminina em Mulher Pantera e Mulher Maravilha. 2016. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Universidade Federal de Goiás, Catalão, 2016.

DANTAS, Daiany Ferreira. Sexo, mentiras e HQ: representação e autorrepresentação das mulheres nas histórias em quadrinhos. 2006. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.

EUGÊNIO, Jéssica Daminelli. Elas fazem HQ!: mulheres brasileiras no campo das histórias em quadrinhos independentes. 2017. Dissertação (Mestrado em Sociologia Política) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

FRISCH, Michael. A shared authority: essays on the craft and meaning of oral and public history. New York: New York University Press, 1990.

GABILLIET, Jean-Paul. Of comics and men: a cultural history of american comic books. Jackson: University Press of Mississipi, 2010.

GOODRUM, Michael; PRESCOTT, Tara; SMITH, Philip (orgs.). Gender and the superhero narrative. Jackson: University Press of Mississipi, 2018.

HATFIELD, Charles. Indiscipline, or, the condition of Comics Studies. Transatlantica, [Paris], n. 1, sept. 2010. Disponível em: http://journals.openedition.org/transatlantica/4933. Acesso em: 27 fev. 2020.

HATFIELD, Charles. Alternative comics: an emerging literature. Jackson: University Press of Mississipi, 2005.

HATFIELD, Charles; HEER, Jeet; WORCESTER, Ketn (orgs.). The superhero reader. Jackson: University Press of Mississipi, 2013.

HEER, Jeet; WORCESTER, Kent (orgs.) A comics studies reader. Jackson: University Press of Mississipi, 2009.

JENKINS, Henry. Should we discipline the study of comics? In: DUNCAN, Randy; SMITH, Matthew (orgs.). Critical approaches to comics: theories and methods. New York/London: Routledge, 2012. p. 01-14.

JIMÉNEZ, Carla et al. Mulheres quebram o jejum das ruas no Brasil com manifestações contra Bolsonaro. El Pais, São Paulo, 30 set. 2018. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/09/30/politica/1538270819_523141.html. Acesso em: 28 fev. 2020.

LEPORE, Jill. The secret history of Wonder Woman. New York: Alfred A. Knopf, 2014.

LIMA, Savio Queiroz. Vestígios e práticas de discursos feministas nos quadrinhos da Mulher-Maravilha: as ocultas mulheres de Bana-Mighdall. 2017. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Salgado de Oliveira, Niterói, 2017.

MAIGRET, Éric, Strange grew up with me: sentimentality and masculinity in readers of superhero comics. Réseaux, The French journal of communication, v. 7, n. 1, p. 05-27, 1999.

MCCLOUD, Scott. Raising readers. In: MCCLOUD, Scott (org.). The best America comics 2014. Boston: Houghton Mifflin Harcourt, 2014. p. 75-77.

MESSIAS, Carolina Ito. Um panorama da produção feminina de quadrinhos publicados na internet no Brasil. 2018. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

MILLER, Ann; BEATY, Bart (orgs.). The french comics theory reader. Leuven: Leuven University Press, 2014.

MITCHELL, William John Thomas. Comics and media: afterwords. Critical inquiry, [Chicago], n. 40, p. 255-265, mar./jun. 2014.

MOULY, Françoise. Découpage. In: MOULY, Françoise (org.). The best America comics 2012. Boston: Houghton Mifflin Harcourt, 2012. p. XIII-XVII.

NÓBREGA FILHO, Emanoel. História das multiplicidades travestis em Muriel Total, de Laerte Coutinho: cartografias discursivas da estética de si por um devir transgênero. 2016. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2016.

NOGUEIRA, Natânia. As representações femininas nas histórias em quadrinhos norte-americanas: June Tarpé Mills e sua Miss Fury (1941-1952). 2015. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Salgado de Oliveira, Niterói, 2015.

NYBERG, Amy. Seal of approval: a history of the comics code. Jackson: University Press of Mississipi, 1998.

OGI, Fusami et al. Women’s manga in Asia and beyond: uniting different cultures and identities. Londres: Palgrave Macmillan, 2019.

OKSMAN, Tahneer. How come boys come to keep their noses: women and jewish american identity in contemporary graphic memoirs. New York: Columbia University Press, 2016.

OLIVEIRA, Francine. Queer em quadrinhos: representações brasileiras contemporâneas. 2014. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal de São João del-Rei, São João del-Rei, 2014.

OLIVEIRA, Cláudio José. Sindicalismo, piratas e cabelo Chanel: leituras de reciclagem cultural em obras de Laerte. 2014. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

PARSON, Sean; LEESON-SCHATZ, Joseph. (orgs.). Superheroes and masculinity: unmasking the gender performance of heroism. Lanham: Lexington Books, 2020.

PEREZ, Olívia; RICOLDI, Arlene. A quarta onda feminista: interseccional, digital e coletiva. In: CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE CIÊNCIA POLÍTICA (ALACIP), 10., 2019. Monterrey. Anais [...]. Monterrey: ALACIP, 2019. Disponível em: https://alacip.org/cong19/25-perez-19.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

PIRES, Maria Francisca da Conceição Pires. Outras mulheres, outras condutas: feminismos e humor gráfico nos quadrinhos produzidos por mulheres. ArtCultura, Uberlândia, v. 21, n. 39, p. 71-87, jul./dez. 2019a.

PIRES, Maria Francisca da Conceição Pires. Mulheres desregradas: autorretratos e o corpo grotesco nos cartuns de Chiquinha. Topoi, Rio de Janeiro, v. 20, n. 41, p. 302-316, maio/ago. 2019b.

ROBBINS, Trina. The great women superheroes. Northampton: Kitchen Sink, 1997.

ROBBINS, Trina. Pretty in ink: north american women cartoonists, 1896-2013. Seattle: Fantagraphics, 2013.

ROBBINS, Trina. Babes in arms: women in comics during the Second World War. New Castle: Hermes Press, 2017.

SCOTT, Joan. História das mulheres. In: BURKE, Peter (org). A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: UNESP, 1992. v.1. p. 75-85.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, 1995.

THEODORO, Hadriel. Transgeneridade, mídia e consumo: um estudo de caso das visibilidades midiáticas de Laerte Coutinho. 2016. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo) – Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo, 2016.

WHALEY, Deborah Elizabeth. Black women in sequence: re-inking comics, graphic novels and anime. Seattle e Londres: University of Washington Press, 2016.

WROBEL, Jasmin. História(s) redesenhada(s): visualizando analogias entre hoje e o passado – periferias urbanas, resistência negra e vozes femininas na obra de Marcelo D’Salete. Artcultura, Uberlândia, v. 21, n. 39, p. 99-116, jul./dez. 2019.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

GOMES, Ivan Lima. Mulheres e(m) quadrinhos: caminhos e perspectivas historiográficas. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 12, n. 31, p. e0107, 2020. DOI: 10.5965/2175180312312020e0107. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180312312020e0107. Acesso em: 23 jul. 2024.