Gritam os muros: “anistia ampla, geral e irrestrita”

Autores

  • Thiago Nunes Soares Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180308172016350

Resumo

Nos anos 1970, ganhou força no Brasil uma campanha nacional e de repercussão no exterior, que visou defender uma anistia ampla, geral e irrestrita para todas as pessoas que tiveram as suas liberdades democráticas cerceadas com a ditadura civil-militar (1964-1985). As lutas e disputas políticas neste período foram intensas, sendo marcantes a atuação e os embates entre diversos segmentos sociais, como: mulheres, estudantes, militares e trabalhadores. Além disso, os instrumentos de resistências políticas foram significativos e variados, a exemplo de passeatas, comícios, panfletagens e pichações. Diante disso, historicizamos a realização dessa campanha em Recife, tendo em vista a sua relevância política. Neste sentido, dentre as formas de resistência supracitadas, destacamos no trabalho a importância do uso de pichações em prol da anistia. Esses registros cotidianos foram proibidos por leis, vigiados e censurados por órgãos policiais, por serem realizados por diversos segmentos da sociedade considerados “subversivos”. Ademais, o combate às escritas citadinas ocorreu por elas possuírem um cunho político e serem um eficaz instrumento de comunicação que influenciou muitas vezes a opinião dos transeuntes com discursos transgressores. Além de documentos escritos (jornais e fontes policiais), o trabalho teve como base os relatos orais de ex-militantes que resistiram contra a ditadura e foram autores de pichações. Através do cruzamento dessas fontes, foi possível analisar esse período sob diferentes discursos e experiências políticas. Assim, os relatos de orais em sua estrutura narrativa registram experiências históricas resultantes de práticas sociais, potencializando as possibilidades de interpretação do passado.

 

Palavras-chave: Pichações; Anistia; Ditadura; Relatos Orais.

Biografia do Autor

Thiago Nunes Soares, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Doutorando em História pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Professor do Curso de História EAD da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e Professor Prestador de Serviços da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), núcleo de Pernambuco.

Referências

ARAÚJO, Maria Paula. Memórias estudantis: da fundação da UNE aos nossos dias. Rio de Janeiro: Relume Dumará; Fundação Roberto Marinho, 2007.

BARROS, Marisa. Jonas! presente ... agora e sempre!. Recife: Companhia Editora de Pernambuco, 2009.

BERNARDES, Denis. Recife: o caranguejo e o viaduto. Recife: Ed. UFPE, 1996.

COMPARATO, Fábio Konder. A responsabilidade do Estado brasileiro na questão dos desaparecidos durante o regime militar. In: TELES, Janaina (Org.) Mortos e desaparecidos políticos: reparação ou impunidade? São Paulo: Humanitas/FFLCH/USP, 2000, p. 47-55.

DVD Entrevistas da pesquisa. Depoimento de Eduardo Pandolfi, concedido ao autor em 28/01/2012.

DVD Entrevistas da pesquisa. Depoimento de Edval da Silva Nunes Cajá, concedido ao autor em 25/01/ 2012.

DVD Entrevistas da pesquisa. Depoimento de Maria do Amparo Almeida Araújo, concedido ao autor em 17/05/2008.

DVD Entrevistas da pesquisa. Depoimento de Marcelo de Santa Cruz Oliveira, concedido ao autor em 15/12/2011.

FICO, Carlos. Como eles agiam. Os subterrâneos da ditadura militar: espionagem e polícia política. Rio de Janeiro, São Paulo: Record, 2001.

GRECO, Heloisa Amélia. Dimensões fundacionais da luta pela anistia. 2003, 559f. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Belo Horizonte, 2003.

GRECO, Heloisa Amélia. Memória vs. esquecimento, instituinte vs. instituído: a luta pela anistia ampla, geral e irrestrita. In: SILVA, Haike R. Kleber (Org.). A luta pela anistia. São Paulo: UNESP; Arquivo Público do Estado de São Paulo; Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009, p. 193-214.

GREEN, James. Apesar de vocês: oposição à ditadura brasileira nos Estados Unidos, 1964-1985. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 18/04/1979, Capa.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 01/07/1979, Capa.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 02/07/1979, Política, p. 3.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 03/07/1979, Política, p. 4.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 01/08/1979, Cidade, p. 3.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 02/08/1979, Política, p. 3.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 05/08/1979, Política, p. 3.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 08/08/1979, Política, p. 4.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 12/08/1979, Política, p. 3.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 15/08/1979, Política, p. 2.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 19/08/1979, Capa.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 19/08/1979, Política, p. 6.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 22/08/1979, Capa.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 22/08/1979, Política, p. 2-3.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 23/08/1979, Capa.

HEMEROTECA – APEJE. Diario de Pernambuco, 23/08/1979, Opinião, p. 11.

HEMEROTECA – APEJE. Jornal do Commercio, 17/04/1979, Caderno I, p. 5.

HEMEROTECA – APEJE. Jornal do Commercio, 18/04/1979, Capa.

HEMEROTECA – APEJE. Jornal do Commercio, 19/04/1979, Capa.

HEMEROTECA – APEJE. Jornal do Commercio, 01/05/1979, Capa e Caderno I, p. 3

HEMEROTECA – APEJE. Jornal do Commercio, 10/05/1979, Caderno I, p. 3.

HEMEROTECA – APEJE. Jornal do Commercio, 18/05/1979, Cidade, p. 9.

HEMEROTECA – APEJE. Jornal do Commercio, 19/05/1979, Cidade, p. 5.

HEMEROTECA – APEJE. Jornal do Commercio, 31/05/1979, Cidade, p. 6.

HEMEROTECA – APEJE. Jornal do Commercio, 29/06/1979, Política, p. 3.

HEMEROTECA – APEJE. Jornal do Commercio, 01/08/1979, Polícia, p. 23.

MAUAD, Ana Maria. Através da imagem: fotografia e história interfaces. Revista Tempo, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 73-98, 1996.

MIRANDA, Nilmário; TIBÚRCIO, Carlos. Dos filhos deste solo. Mortos e desaparecidos políticos durante a ditadura militar: a responsabilidade do Estado. 2. ed. São Paulo: Ed. Perseu Abramo, 2008.

MENDES, Ricardo Antonio Souza. Ditaduras civil-militares no Cone Sul e a Doutrina de Segurança Nacional – algumas considerações sobre a historiografia. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 5, n. 10, p. 06-38, jul./dez 2013.

NAPOLITANO, Marcos Napolitano. 1964: história do regime militar brasileiro. São Paulo: Contexto, 2014.

PORTO, Fabiola Brigante Del. A luta pela anistia no regime militar brasileiro: a constituição da sociedade civil no país e a construção da cidadania. 2002, 134f. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – UNICAMP, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, 2002.

PORTO, Fabiola Brigante Del. A luta pela anistia no regime militar brasileiro e a construção dos direitos de cidadania. In: SILVA, Haike R. Kleber (Org.). A luta pela anistia. São Paulo: UNESP; Arquivo Público do Estado de São Paulo; Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009, p. 59-79.

REGO, Antônio Carlos Pojo do. O congresso brasileiro e o regime militar (1964-1985). Rio de Janeiro: FGV, 2008.

RODEGHERO, Carla Simone; DIENSTMANN, Gabriel; TRINDADE, Tatiana. Anistia ampla, geral e irrestrita: história de uma luta inconclusa. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2011.

ROLLEMBERG, Denise. Exílio: entre raízes e radares. Rio de Janeiro; São Paulo: Record, 1999.

ROLLEMBERG, Denise. Nômades, sedentários e metamorfose: trajetórias de vida no exílio. In: REIS, Daniel Aarão; RIDENTI, Marcelo; MOTTA, Rodrigo Patto Sá. (Orgs). O golpe e a ditadura militar: quarenta anos depois (1964-2004). Bauru, SP: EDUSC, 2004, p. 277-296.

SÁ, Aybirê Ferreira de. Das ligas camponesas à anistia: memórias de um militante trotskista. Recife: Fundação de Cultura da Cidade do Recife, 2007. p. 261.

SILVA, Marcília Gama da. Informação, repressão e memória: a construção do Estado de exceção no Brasil na perspectiva do DOPS-PE (1964-1985), 2007, 266f. Tese (Doutorado em História) – UFPE, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Recife, 2007.

SOARES, Thiago Nunes. O difícil combate: as pichações como um problema de ordem política e social em Recife durante a ditadura civil-militar. Revista Recôncavo, Rio de Janeiro, v. 5, n. 8, p. 72-95, jan./jun 2015.

Downloads

Publicado

2016-04-30

Como Citar

Nunes Soares, T. (2016). Gritam os muros: “anistia ampla, geral e irrestrita”. Revista Tempo E Argumento, 8(17), 350 - 383. https://doi.org/10.5965/2175180308172016350