Narrativas digitais sobre os exames de admissão ao ginásio: ego-documentos e cultura escrita na história do tempo presente

Autores

  • Cristiani Bereta da Silva UDESC

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180307152015005

Resumo

A proposta deste artigo é discutir narrativas digitais escritas em primeira pessoa, tomadas em seu sentido mais amplo de ego-documentos. Foram analisados 12 blogs e 4 sites pessoais que trazem histórias escritas sobre os exames de admissão ao ginásio (que vigoraram no Brasil entre 1931 e 1971), bem como os comentários relativos a cada postagem. A análise das narrativas foi desenvolvida a partir de três eixos irredutivelmente articulados: o primeiro deles é metodológico e requer problematizar as possibilidades e limites de se explorar blogs e sites como fontes históricas adequadas para se compreender os fenômenos contemporâneos da memória, da narrativa e das temporalidades. O segundo eixo implica analisar as narrativas postadas nos blogs e sites como fenômenos que contribuem para dotar de inteligibilidade a história da cultura escrita no tempo presente. O terceiro eixo de análise impõe uma reflexão sobre os sentidos do passado e da memória nas escritas de si. As questões aqui levantadas lidam com os desafios sobre a significação e interpretação do tempo pelos sujeitos do presente. Se se considera que narrar a própria vida é uma necessidade transcultural relativa à significação da existência, é irrenunciável pensar nas mudanças operadas na experiência humana e sua relação com a historicidade depois que a hiperconectividade, possibilitada pela web 2.0, alterou significativamente os fluxos do tempo e do espaço.

 

Palavras-chave: Cultura escrita; Narrativas digitais; Exames de admissão ao ginásio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiani Bereta da Silva, UDESC

Doutora em História pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Professora do Departamento e Programa de Pós-Graduação em História, do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Mestrado Profissional em Ensino de História da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC.

Referências

AMELANG, James S. Presentación – Dossier: De la autobiografia a los ego-documentos: un fórum abierto. Cultura Escrita & Sociedad, n.º 1, p.17-18, sep./2005.

ARFUCH, Leonor. De la subjetividad en el lenguaje (digital). In: OSWALD, Maria Luiza Magalhães Bastos; COUTO JR., Dilton Ribeiro; WORCMAN, Karen (orgs.). Narrativas digitais, memórias e guarda. Curitiba/PR: Editora CRV, 2014, p.27-40.

ARTlÈRES, Philippe. Arquivar a própria vida. Estudos Históricos, v. 11, n. 21, p.9-34, 1998. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2061/1200. Acesso em: 27 abr. 2015.

AZEVEDO, Aroldo de; SILVA, Joaquim, PENTEADO, José de Arruda, CRETELLA JR. José, SANGIORGI, Oswaldo. Programa de Admissão. 2º ed. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1956.

BLOCH, Marc. Apologia da História, ou, O ofício do historiador. Tradução de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

CASSANY, Daniel; AYALA, Gilmar. Nativos e inmigrantes digitales en la escuela. CEE Participación Educativa, 9, nov./2008, p. 53-71. Disponível em: http://repositori.upf.edu/bitstream/handle/10230/21226/Cassany_PE_9.pdf?sequence=1. Acesso em 30 abr. 2015.

CASTILLO GÓMEZ, Antonio. El tempo de la cultura escrita. A modo de introducción. In: _________. (ed.). Historia de la cultura escrita: del Próximo Oriente Antiguo a la sociedad informatizada. Gijón (Asturias): Ediciones Trea, 2002, p.15-25.

CASTILLO GÓMEZ, Antonio. Historia de la cultura escrita: ideas para el debate. Revista Brasileira de História da Educação, n. 5, p. 93-124, jan./jun. 2003.

CASTILLO GÓMEZ, Antonio. Leer y escribir en la era de internet: problemas y desafios de la cultura escrita. Educação & Realidade, v.29, n.2, p.41-53, jul./dez. 2004a. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/25391/14726. Acesso em: 23 mai. 2015.

CASTILLO GÓMEZ, Antonio. Das tabuinhas ao hipertexto. Uma viagem na história da cultura escrita. Tradução de Manuela D. Domingos. Lisboa: Biblioteca Nacional, 2004b.

CASTILLO GÓMEZ, Antonio. El hilo de Penélope y el vuelo de Ícaro. In: CASTlLLO GÓMEZ, Antonio; SIERRA BLAS, Verónica Sierra Blas (coords.). El legado de Mnemosyne. Las escrituras del yo a través del tiempo. Gijón: Trea. 2007, p. 11-14.

CASTILLO GÓMEZ, Antonio. Educação e cultura escrita: a propósito dos cadernos e escritos escolares. Educação, Porto Alegre, v. 35, n. 1, p. 66-72, jan./abr. 2012.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da história. Tradução de Maria de Lourdes Menezes. Revisão técnica de Arno Vogel. 2º ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

CHARTIER, Roger. Inscribir y Borrar: cultura escrita e literatura (Siglos XI-XVIII). Traducido por Vítor Goldstein. Revisado por el autor. Buenos Aires: Katz Editores, 2006.

CHARTIER, Roger. A história ou a leitura do tempo. Tradução de Cristina Antunes. Belo Horizonte. Autêntica Editora, 2009.

COSTA, Aida, BRANDÃO, Marcius; STEMPNIEWSKI, Renato; MARINO, Aurélia. Admissão ao Ginásio. Editora do Brasil S/A, 1952.

DANTAS, Camila Guimarães. O passado em bits: memórias e histórias na Internet. 2008. 136f. Dissertação (Mestrado em Memória Social). Programa de Pós-Graduação em Memória Social, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, 2008.

DOSSE, François. A História à prova do tempo: da História em migalhas ao resgate do sentido. São Paulo: Unesp, 2001.

DOSSE, François. História do tempo presente e historiografia. Tempo e Argumento. Revista do Programa de Pós-Graduação em História da UDESC, Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 5–22, jan/jun. 2012. Disponível em: http://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180304012012005/2014. Acesso em: 23 mai. 2015.

ESCANDELL MONTIEL, Daniel. Escrituras para el siglo XXI. Literatura y blogosfera. Madrid/Frankfurt: Iberoamericana/Vervuert, 2014.

FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaina. Apresentação. In:___________(orgs.). Usos & Abusos da História Oral. 2. ed.. Rio de Janeiro: FGV, 1998, p.vii-xxiv.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio, 2006.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Tradução Bernardo Leitão et al. Campinas: Unicamp, 2003.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à Internet. Organização de Jovita Maria Gerheim Noronha. Tradução de Jovita Maria Gerheim Noronha; Maria Inês Coimbra Guedes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

MINHOTO, Maria Angélica Pedra. Articulação entre primário e secundário na era Vargas: crítica do papel do estado. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.34, n.3, p. 449-463, set./dez. 2008.

MINHOTO, Maria Angélica Pedra. Da Progressão do Ensino Elementar ao Ensino Secundário (1931-1945): crítica do exame de admissão ao ginásio. Tese (Doutorado em Educação). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2007.

MUZART, Zahidé Lupinacci. De navegar e de navegantes. In: MIGNOT, Ana Chrystina Venancio; BASTOS, Maria Helena Câmara; CUNHA, Maria Teresa Santos. (orgs.). Refúgios do Eu: educação, história e escrita autobiográfica. Florianópolis: Mulheres, 2000, p. 181-190.

NUNES, Clarice. O “velho” e “bom” ensino secundário: momentos decisivos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, no 14, p.35-60, mai./ago. 2000.

PASSERINI, Luisa. A “lacuna” do presente. In: FERREIRA, Marieta de Moraes e AMADO, Janaina (orgs.). Usos & Abusos da História Oral. Rio de Janeiro: FGV, 1996, p.211-214.

PESSANHA, Eurize Caldas; DANIEL, Maria Emília Borges. História da Cultura Escolar através dos exames: o caso dos Exames de Admissão ao Ginásio (1939-1971). Intermeio: revista do Mestrado em Educação, Campo Grande, MS, v. 8, n. 16, p. 4-15, 2002.

RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa. A intriga e a narrativa histórica. V.1. São Paulo: Editora WMF; Martins Fontes, 2010.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução de Alain François (et al.) Campinas/SP: Editora da Unicamp, 2007.

RICOEUR, Paul. La vida: un relato en busca de narrador. Ágora: Papeles de Filosofía, v. 25, n.2, p.9-22, 2006. Disponível em: http://201.147.150.252:8080/jspui/bitstream/123456789/1066/1/Ricoeur.pdf. Acesso em 05 mai. 2015.

RODRIGUES, Pedro Eurico. Do on-line para off-line. Sociabilidades e cultura escrita proporcionadas pela internet no Brasil do século XXI (2001-2010). 2012. 111 f. Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-Graduação em História. UDESC, Florianópolis, 2012.

ROUSSO, Henry. O arquivo ou indício de uma falta. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, FGV, v.9, n.17, p.85-91, 1996. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2019/1158. Acesso em: 10 mai 2015.

SANT’ANNA, Affonso Romano. Narrar contra o dilúvio. O Globo, Rio de Janeiro, 3 abr. 2004. Caderno Prosa & Verso, p.2.

SARLO, Beatriz. O tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. São Paulo: Companhia das Letras; Belo Horizonte: UFMG, 2007.

SIBILIA, Paula. Em busca del aura perdida: espectacularizar la intimidad para ser alguien. Psicoperspectivas, Vlll, nº 2 (Julio-Diciembre), 2009), p.309-329. Disponível em: http://www.psicoperspectivas.cl/index.php/psicoperspectivas/article/viewFile/83/82. Acesso em: 27 abr. 2015.

SIBILIA, Paula. O show do eu: a intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

SILVA, Cristiani Bereta da. Escrever histórias do tempo presente. Algumas questões e possibilidades. Tempos Históricos, M.C. Rondon, v. 09, p.257-276, 2º sem/2006. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/8117/6014. Acesso em: 15 de mai. 2015.

SIMÕES, Robson Fonseca. Escritas à deriva: testemunhos efêmeros sobre os tempos da escola nas comunidades do ORKUT. 2012. 239 f. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, UERJ, Rio de Janeiro, 2012.

VIÑAO FRAGO, Antonio. Del periódico a Internet. Leer y escribir em los siglos XIX y XX. In: GÓMEZ, Antonio Castillo (ed.). Historia de la cultura escrita: del Próximo Oriente Antiguo a la sociedad informatizada. Gijón (Asturias): Ediciones Trea, 2002, p.317-381.

Blog – Amigos de Delmiro Gouveia. http://amigosdedelmirogouveia.blogspot.com.br/2012/05/delmiro-gouveia-lembrancas-dos-tempos.html. Acesso em: 24 mar. 2014.

Blog – Anos Dourados. http://www.anosdourados.blog.br/2009/09/imagens-escola-livro-admissao-ao.html e http://www.anosdourados.blog.br/2011/02/imagens-escola-livro-admissao-ao.html. Acesso em: 24 mar. 2014.

Blog – Caminhos e Movimentos. http://tpanerai.blogspot.com.br/2006/01/o-exame-de-admissao.html. Acesso em: 24 mar. 2014.

Blog – (do) Sanharol. http://blogdosanharol.blogspot.com.br/2011/05/nos-anos-60.html. Acesso em: 24 mar. 2014.

Blog – IECC [Instituto de Educação Caetano de Campos]. https://ieccmemorias.wordpress.com/2012/07/07/iecc-admissao-ao-ginasio-nos-anos-60/. E https://ieccmemorias.wordpress.com/2014/01/18/1967-exame-de-admissao-ao-ginasial-no-instituto-de-educacao-caetano-de-campos/. Acesso em: 24 mar. 2014.

Blog – marcioonline. http://marcionlinehoje.blogspot.com.br/2009/05/entre-1931-e-1971-as-criancas.html. Acesso em: 24 mar. 2014.

Site - O Baú de Macau. http://www.obaudemacau.com/?page_id=28064. Acesso em: 24 mar. 2014.

Publicado

2015-12-11

Como Citar

SILVA, C. B. da. Narrativas digitais sobre os exames de admissão ao ginásio: ego-documentos e cultura escrita na história do tempo presente. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 7, n. 15, p. 05 - 41, 2015. DOI: 10.5965/2175180307152015005. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180307152015005. Acesso em: 5 dez. 2021.