[1]
A. de O. Rosa, “Espelho, espelho meu... a ferida narcísica de um colonialismo falocêntrico”, PC, vol. 22, nº 48, p. 061 - 082, maio 2021.