Geoturismo e patrimônio geomorfológico em trilhas: Castelos do Açu (Parque Nacional da Serra dos Órgãos)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724623522022106

Palavras-chave:

geodiversidade, interpretação ambiental, unidades de conservação

Resumo

Promover a valorização da geodiversidade e de seu patrimônio geomorfológico em trilhas de unidades de conservação, com destaque para os parques nacionais, a partir de uma perspectiva interdisciplinar, é de suma importância, pois contribui para o uso sustentável e conservação desses territórios e seu entorno. Dentre os atrativos do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso), um dos que mais se destaca em termos de uso público no setor Petrópolis é a trilha para os Castelos do Açu, a qual possui expressivo potencial de divulgação científica baseado em propostas de interpretação ambiental. Com isso, a partir de levantamento bibliográfico sobre o histórico e a geodiversidade do território do Parnaso, e realização de trabalhos de campo entre os anos de 2017 e 2021, o presente estudo teve como objetivo contribuir com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) na divulgação e gestão do patrimônio geomorfológico, a partir da identificação e caracterização dos pontos de interesse da geodiversidade na trilha para os Castelos do Açu, sistematizando tais informações com o auxílio do aplicativo de navegação Wikiloc® para a promoção do geoturismo, possibilitando ressignificar a visitação já existente. O estudo permitiu destacar que embora a geodiversidade seja frequentemente percebida pelo público como abordagem estática, em trilhas de montanha é necessária uma abordagem mais ampla a partir de uma perspectiva dos processos geomorfológicos. Os resultados gerados estão associados a estratégias de divulgação e estudos em desenvolvimento em outras trilhas, nas quais a abordagem geossistêmica para a interpretação ambiental está sendo destacada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Amaro Pessoa, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, Campus Petrópolis

Doutor em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Professor do Cefet/RJ, campus Petrópolis.

Maria Naíse de Oliveira Peixoto, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Doutora em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ.

Kátia Leite Mansur, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Doutora em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ.

Bruno César dos Santos, Secretaria de Educação de Petrópolis, RJ

Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Professor da Secretaria de Educação de Petrópolis, RJ.

Referências

ARAÚJO, Jhone Caetano de. Geotecnologia e Geoconservação Integradas na Consolidação da Trilha Transcarioca. 2022. Tese (Doutorado em Geologia) − Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Geologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2022.

AROUCA GEOPARK. Declaração de Arouca. Arouca, 2011. Disponível em: http://aroucageopark.pt/pt/documentacao/. Acesso em: 04 dez. 2021.

BENTO, Lilian Carla Moreira; RODRIGUES, Sílvio Carlos. Geoturismo no Parque Estadual de Ibitipoca/MG (PEI): potencialidades e limitações. Bol. geogr., Maringá, v. 32, n. 2, p. 50-64, 2014.

BRILHA, José. Inventory and quantitative assessment of geosites and geodiversity sites: a Review. Geoheritage, [s.l.], n. 8, p. 119-134, 2016.

BRILHA, José. Geoheritage: inventories and evaluation. In: REYNARD, Emmanuel., BRILHA, José (eds.). Geoheritage: assessment, protection, and management. Amsterdam: Elsevier, 2018. p. 69-86.

CBME – Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada. Princípios e valores do montanhismo brasileiro. [S.l.], 2018. Disponível em: http://www.cbme.org.br/novo/wp-content/uploads/2018/07/principios-A5-2018-email.pdf. Acesso em: 02 dez. 2021.

CORATZA, Paola; HOBLÉA, Fabian. The specificities of geomorphological heritage. In: REYNARD, Emmanuel, BRILHA, José. (eds.), Geoheritage: assessment, protection, and management. Amsterdam: Elsevier, 2018. p. 87-106.

DOWLING, Ross. Global geotourism _ an emerging form of sustainable tourism. Czech J. Tour., [s.l.], v. 2, n. 2, p. 59-79, 2013.

DRILIFYART. Castelos do Açu. Rio de Janeiro, 2020. Instagram: @drilifyart. Disponível em: https://www.instagram.com/p/CG3IhFYpx0-/. Acesso em: 02 dez. 2021.

FIGUEIRÓ, Adriano; QUOOS, João; ZIEMANN, Djulia. Estratégias interpretativas aplicadas ao geoturismo. In: VIEIRA, António; FIGUEIRÓ, Adriano; CUNHA, Lúcio; STEINKE, Valdir. (eds.) Geopatrimônio - geoconhecimento, geoconservação e geoturismo: experiências em Portugal e na América Latina. Guimarães: CEGOT - Universidade do Minho, 2018. p. xx-xx.

FOLMANN, Ana Cláudia; GARCIA, Lilian Miranda; PINTO, Maria Ligia Cassol; VALE, Tatiane Ferrari. Trilhas do Parque Nacional dos Campos Gerais: interpretação ambiental no Salto São Jorge, Buraco do Padre e Cachoeira da Mariquinha – Ponta Grossa (PR). CAD. Est. Pes. Tur., Curitiba, v. 4, n. 5, p. 45 - 65, jul./dez. 2015.

GRAY, Murray. Geodiversity: the origin and evolution of a paradigm. In: BUREK, Cynthia; PROSSER, Colin (eds.). The history of geoconservation. London: The Geological Society of London: Special Publications, 2008. p. 31-36.

GRAY, Murray. Geodiversity: valuing and conserving abiotic nature. 2nd. ed. London: John Wiley & Sons, 2013.

GUIMARÃES, Thaís; MARIANO, Gorki; ABREU SÁ, Artur Agostinho. Geoturismo: proposta de valorização e sustentabilidade territorial alternativa ao turismo de “sol e praia” no litoral sul de Pernambuco – Brasil. Ciência e Sustentabilidade - CeS, Juazeiro do Norte, v. 3, n. 1, p. 33-57, 2017.

HARTWIG, Marcos Eduardo Tectônica rúptil mosozóico-cenozóica na região da Serra dos Órgãos, RJ. Dissertação (Mestrado em Geoquímica e Geotectônica) − Instituto de Geociências Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

HAUCK, Pedro. Quantas montanhas há na Serra do Mar Fluminense? [S.l.], 2020. Disponível em: https://altamontanha.com/quantas-montanhas-ha-na-serra-do-mar-fluminense/?fbclid=IwAR3s_GD4ONbfqToTw2yMiUW1BBwSRpobIhf60nHLCSAG8tS0LmspQClVDFI. Acesso em: 02 dez. 2021.

HEILBRON, Monica; PEDROSA-SOARES, Antonio Carlos; CAMPOS NETO, Mário da Costa; SILVA, Luiz Carlos da; TROUW, Rudolph e JANASI, Valdecir. Província Mantiqueira. In: MANTESSO-NETO, Virginio (org.). Geologia do continente sul-americano: evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. São Paulo: Beca, 2004. p. 180-212.

ICMBIO/PARNASO. Caminhos da Serra do Mar. [S.l.], 2016. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/parnaserradosorgaos/destaques/167-caminhos-da-serra-do-mar.html. Acesso em: 12 ago. 2021.

ICMBIO/PARNASO. Guia do visitante. [S.l.], 2020. Disponível em: https://www1.icmbio.gov.br/parnaserradosorgaos/guia-do-visitante.html. Acesso em: 06 mar. 2020.

INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE – INEA. Resolução CERHI-RJ Nº 107. Rio de Janeiro: [INEA], 2013.

MARTINS, Éder de Souza; JUNIOR, Osmar; SOUZA, Vinícius; JÚNIOR, Antonio; OLIVEIRA, Sandro; GOMES, Roberto; REATTO, Adriana. Relação solo-relevo em vertentes assimétricas no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, RJ. Revista Brasileira de Geomorfologia, [S.l.], v. 8, n. 1, p. 45-62, 2007.

MEIRA, Suedio Alves; NASCIMENTO, Marcos; SILVA, Edson. Geoturismo e roteiros turísticos: propostas para o Parque Nacional de Ubajara, Ceará, Brasil. Geo UERJ, Rio de Janeiro, n. 36, e39943, 2020.

MELO, Danúbia. 5 Picos em parques nacionais que você tem que conhecer. [S.l.], 2017. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/20-geral/8951-5-picos-em-parques-nacionais-que-voce-tem-que-conhecer. Acesso em: 06 dez. 2021.

MIGOŃ, Piotr. New approaches to rock landform and landscape conservation. Parks Stewardship Forum, [S.l.], v. 38 n. 1, p. 123-131, 2022.

OLIVEIRA, Sandro; CARVALHO JUNIOR, Osmar; MARTINS, Éder; SILVA, Telma; GOMES, Roberto; GUIMARÃES, Renato. Identificação de unidades de paisagem e sua implicação para o ecoturismo no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Geomorfologia, [S.l.], v. 8, n. 1, p. 87-107, 2007.

PANIZZA, Mario. Geomorphosites: concepts, methods and example of geomorphological survey. Chin. Sci. Bull., [S.l.], v. 46, p. 4-6, 2001.

PESSOA, Fernando Amaro. Geodiversidade e Interpretação Ambiental em Trilhas – Travessia Petrópolis-Teresópolis (Parque Nacional da Serra dos Órgãos (RJ). 2019. Tese (Doutorado em Geografia) − Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

PESSOA, Fernando Amaro; BRITO, Adriel Ferreira; PACHECO, Fabio Feler; PEIXOTO, Maria Náise de Oliveira; MANSUR, Kátia Leite. Patrimônio geomorfológico e interpretação ambiental em trilhas de montanha (Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Rio de Janeiro, Brasil). Physis Terrae - Revista Ibero-Afro-Americana de Geografia Física e Ambiente, Minho, v. 1, n. 2, p. 121-138, 2019.

PESSOA, Fernando Amaro; SANTOS, Bruno César dos; PITZER, Luana da Silva; PESSOA, Luiza Amaro; PORRETTI, Marcelo Faria. Montanhismo e geoconservação em Petrópolis (RJ). In: WORKSHOP GEOHEREDITAS - GEOCONSERVAÇÃO NO CONTEXTO SOCIOAMBIENTAL, 6., 2021. São Paulo. Resumos [...]. São Paulo: [GeoHereditas], 2021. Disponível em: https://geohereditas.igc.usp.br/wp-content/uploads/2021/04/VI-Workshop_GeoHereditas_BOLETIM-DE-RESUMOS-compressed.pdf. Acesso em: 04 dez. 2021.

PREFEITURA DE PETRÓPOLIS. Lei nº 8.065/2020. Declara de relevante interesse para o município de Petrópolis o montanhismo, a conservação, a sinalização e a proteção das trilhas e vias de escaladas das montanhas e dá outras providências. Petrópolis: Prefeitura Municipal, 2020. Disponível em: http://accesopanam.org/wp-content/uploads/2020/12/6067.pdf. Acesso em: 02 dez. 2021.

RANGEL, Luana; GUERRA, Antonio. Geoturismo como alternativa ao turismo de massa na Vila de Trindade, litoral do Parque Nacional da Serra da Bocaina – Paraty (Rio de Janeiro). Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 20, n. 72, p. 506-521, 2019.

REYNARD, Emmanuel. Geomorphosites: definition and characteristics. In: REYNARD, Emmanuel, CORATZA, Paola, REGOLINI-BISSIG, Géraldine (eds.). Geomorfossítios. München: Pfeil Verlag, 2009. p. 9-20.

REYNARD, Emmanuel. Géomorphosites et paysages. Géomorphol. Relief Proces. Environ, [s.l.], v. 11, n. 3, p. 181-188, 2005.

REYNARD, Emmanuel; GIUSTI, Christian. The landscape and the cultural value of geoheritage. In: REYNARD, Emmanuel, BRILHA, José (eds.). Geoheritage: assessment, protection, and management. Amsterdam: Elsevier, 2018. p. 147-166.

SHARPLES, Chris. Concepts and principles of geoconservation. Tasmanian: Tasmanian Parks and Wildlife Service,2002.

Downloads

Publicado

2022-08-31

Como Citar

PESSOA, F. A.; PEIXOTO, M. N. de O.; MANSUR, K. L.; SANTOS, B. C. dos. Geoturismo e patrimônio geomorfológico em trilhas: Castelos do Açu (Parque Nacional da Serra dos Órgãos). PerCursos, Florianópolis, v. 23, n. 52, p. 106 - 130, 2022. DOI: 10.5965/1984724623522022106. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/percursos/article/view/21389. Acesso em: 28 set. 2022.