Milton Santos e Século XXI: meio técnico científico informacional para a compreensão do presente-futuro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724623512022285

Palavras-chave:

Milton Santos, espaço geográfico, técnica, política previdenciária

Resumo

Compreender as mutações recentes engendradas pela técnica no mundo do trabalho, nas formas de produção de violência e no acesso às políticas públicas trabalhistas e previdenciárias são os principais desafios desse artigo, que busca a compreensão do papel do espaço e da ciência geográfica na atualidade. Estas mutações precisam ser analisadas na perspectiva da totalidade do pensamento crítico. Com base nessa afirmação, a obra de Milton Santos é estratégica para a compreensão do Presente. Dessa forma, o artigo focaliza a categoria meio técnico cientifico informacional criada pelo autor como possibilidade teórica e metodológica para a análise da atualização das formas de hegemonia que se alimentam da técnica como essencial no exercício da dominação. O estudo dedica-se também no entendimento sobre a adoção de tecnologias de informação e dados no atendimento dos contribuintes do sistema previdenciário. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Catia Antonia da Silva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Professora Departamento de Geografia, do Programa de Pós-Graduação em História social e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Univ. do Estado do Rio de Janeiro - UERJ. Pró-Reitora de Políticas e Assistência Estudantis da UERJ. Pesquisadora da FAPERJ, CNPq e FUNBIO. Coordenadora do Núcleo de Pesquisa Urbano, Território e Mudanças Contemporâneas - UERJ/CNPq.

Referências

BRASIL. IBGE. PNS – Pesquisa nacional de Saúde. [Rio de Janeiro]: IBGE, 2019. Disponível em https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/30660-pns-2019-em-um-ano-29-1-milhoes-de-pessoas-de-18-anos-ou-mais-sofreram-violencia-psicologica-fisica-ou-sexual-no-brasil. Acesso em: 20 set. 2021.

BRASIL. IBGE. Mulheres, jovens e negros são principais vítimas da violência. [Rio de Janeiro]: IBGE, 2012. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/30658-violencia-atingiu-29-1-milhoes-de-pessoas-em-2019-mulheres-jovens-e-negros-sao-as-principais-vitimas. Acesso em: 20 set. 2021.

FEIXA, Carles; LECCARDI, Carmen. O conceito de geração nas teorias sobre juventude. Revista Sociedade e Estado, São Paulo , v. 25, n. 2 p. 185-204. Maio/ago. 2010. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/sociedade/article/view/5536. Acesso em: 30 set. 2021.

MARRAMAO, Giacomo. Cielo y tierra; genealogía de la secularizacíon. 1. ed. España: Editorial Paidós, 1998.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política: livro 1 – o processo de produção do capital – volume I. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. São Paulo: N-1 Edições, 2018.

POULANTZAS, Nicos. O Estado, o poder, o socialismo. Rio de Janeiro: Graal, 2000.

RIBEIRO, Ana Clara T. Por uma sociologia do presente: ação, técnica e espaço: volume 5. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2013. .

SAMPAIO, Karla. S. Os pescadores artesanais e o meio-técnico-científico informacional: modernização do sistema público e impactos nos direitos trabalhistas dos pescadores. 2020. Monografia (Licenciatura em Geografia) − Departamento de Geografia da Faculdade de Formação de Professores, UERJ, Rio de Janeiro, 2020.

SANTOS, Milton et al. Território, território: ensaios sobre o ordenamento territorial. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007. p. 13-21.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

SANTOS, Milton. O espaço do cidadão. São Paulo: Editora Nobel, 1987.

SILVA, Catia Antonia; CAMPOS, Andrelino (orgs.). Metrópoles e invisibilidades: da política às lutas de sentidos da apropriação urbana. Rio de Janeiro: Lamparina, 2015. p. 192.

SILVA, Catia Antonia (org.). Pesca artesanal e a produção do espaço: desafios para reflexão geográfica. Rio de Janeiro: Consequência, 2014. p.171.

SILVA, Paulo C. A teoria dos dois circuitos da economia urbana e a mídia na contemporaneidade. Lumina: Revista do Programa de Pós-graduação em Comunicação Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, v. 9, n. 2, dez. 2015. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/21092/11464. Acesso em: 20 set. 2021.

VARGAS, Jackson Luís Santos, FERRARO, José Luís Schifino Ferraro. Por uma ética da alteridade em tempos de pandemia. PerCursos, Florianópolis, v. 22, n. 49, p. 277 - 295, maio/ago. 2021. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/percursos/article/view/18281. Acesso em: 01 out. 2021.

WEBER, Max. Economia e sociedade: volume 1. Brasília: Editora UNB. 2000.

Downloads

Publicado

2022-05-13

Como Citar

SILVA, C. A. da. Milton Santos e Século XXI: meio técnico científico informacional para a compreensão do presente-futuro. PerCursos, Florianópolis, v. 23, n. 51, p. 285 - 305, 2022. DOI: 10.5965/1984724623512022285. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/percursos/article/view/21116. Acesso em: 18 ago. 2022.