Teatralidade, Artaud e subjetividade: uma proposta de análise para a teatralidade na vida tal como ela é

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724622502021243

Palavras-chave:

teatro da crueldade, Josette Féral, estudos da subjetividade, psicanálise

Resumo

Este trabalho é fruto da experiência de seus autores com a clínica psicanalítica e o teatro. Como objetivo visamos articular o conceito de teatralidade (Josette Féral) com o teatro da crueldade de Antonin Artaud para, em seguida, desenvolver uma análise acerca da teatralidade vivida na dimensão da vida no sujeito do cotidiano. A crítica de Artaud aos modos de se fazer teatro em sua época nos faz questionar sobre qual é a arte ou o fazer artístico que nos interessa e como ele se apresenta em nosso dia a dia, abordando casos conhecidos pelo grande público: Coringa, do filme Joker (2019), e dois casos reais, de Sandro, do ônibus 174 em 2002, e de William, que parou a ponte Rio-Niterói em 2019. Com suas histórias resgatamos a recepção pela escuta – que vai muito além de ouvir – como ferramenta imprescindível para alguém se fazer sujeito e concluímos que a teatralidade pode ser uma saída encontrada na vida tal como ela é, por cidadãos comuns, para subverter o discurso do Outro, o qual nos arremessa no desafio de sobreviver às violências inerentes à vida suburbana, racismo, pobreza, violência física e dos discursos. Acreditamos que, talvez, ao transformar submissão em opressão essas personagens da vida real encontrem por ao menos um instante uma possibilidade de alterar suas histórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Talita Baldin, Universidade Federal Fluminense – UFF

Doutoranda em Psicologia na Universidade Federal Fluminense – UFF. Professora da Faculdades Integradas Maria Thereza – RJ.

Paulo Eduardo Viana Vidal, Universidade Federal Fluminense - UFF

Doutor em Teoria Psicanalítica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Professor da Univ. Federal Fluminense – UFF.

Simone Ravizzini, Centro Universitário La Salle – Niterói - UNILASALLE– RJ

Doutora em Teoria Psicanalítica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Coordenadora do curso de pós-graduação “Clínica Psicanalítica na contemporaneidade” do Centro Universitário La Salle – Niterói - UNILASALLE– RJ.

Referências

ARTAUD, Antonin. O teatro e seu duplo. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

ARTAUD, Antonin. Van Gogh o suicidado pela sociedade. 2. ed. Rio de Janeiro: Achiamé, 2004.

ARTAUD, Antonin. Linguagem e vida. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2011.

ESSLIN, Martin. Artaud. São Paulo: Cultrix: Ed. da Universidade de São Paulo, 1978.

EUGÉNIO, Fernanda; FIADEIRO, João. O encontro é uma ferida: excerto da conferência-performance Secalharidade de Fernanda Eugénio e João Fiadeiro. Lisboa: Culturgest, jun. 2012.

FÉRAL, Josette. Além dos limites: teoria e prática do teatro. 1. ed. São Paulo: Perspectiva, 2015.

FERNANDES, Sílvia. Teatralidades contemporâneas. São Paulo: Perspectiva, 2013.

FLORENCE, Jean. Os efeitos da teatralidade. Cena, Porto Alegre, n. 10, p. 1-18, 2011.

FRANÇÓIA, Carla Regina. O simbólico e a clínica psicanalítica: o início da teoria lacaniana. Revista AdVerbum, [s. l.], n. 2, v. 1, p. 87-101, 2007. Disponível em: http://www.psicanaliseefilosofia.com.br/adverbum/Vol2_1/o%20simbolico%20e%20a%20clinica.pdf. Acesso em: 14 maio 2020.

FREUD, Sigmund. Pulsões e suas vicissitudes. Edição Standard das Obras Psicológicas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1996. v. 14.

KRISTEVA, Júlia. El sujeto em proceso. Medellin: Editorial Lealon, 1972. (Série Semiótica)

LACAN, Jean-Jacques. Função e campo da fala e da linguagem em psicanálise. In: LACAN, Jean-Jacques. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

LACAN, Jean-Jacques. O seminário 7: a ética da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

LACAN, Jean-Jacques. O seminário 10: a angústia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

LACAN, Jean-Jacques. O seminário 11: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1979.

LEONARDELI, Patrícia. Teatralidade e performatividade; espaços em devir, espaços do devir. Cena, Porto Alegre, n. 10, p. 1-18, 2011.

MÈREDIEU, Florence. Eis Antonin Artaud. São Paulo: Perspectiva, 2011.

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. 3. ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 2011.

TEIXEIRA, Ana. O teatro da cura cruel. Interface - Comunic, Saúde, Educ, Botucatu, n. 5, p. 187-192, 1999.

VIEIRA, Marcus André. Real, simbólico e imaginário: a trindade infernal de Jacques Lacan. In: II ENCONTRO DO SEMINÁRIO DE MARCUS ANDRÉ VIEIRA – A TRILOGIA LACANIANA, 2009, Rio de Janeiro. Anais [...] Rio de Janeiro: EBP, 2009. p. 1-16. Disponível em: http://www.litura.com.br/curso_repositorio/rsi___ii___os_tres_registros_e_os_tracos_1.pdf Acesso em: 04 set. 2020.

Downloads

Publicado

2021-12-22

Como Citar

BALDIN, T.; VIDAL, P. E. V.; RAVIZZINI, S. Teatralidade, Artaud e subjetividade: uma proposta de análise para a teatralidade na vida tal como ela é. PerCursos, Florianópolis, v. 22, n. 50, p. 243 - 269, 2021. DOI: 10.5965/1984724622502021243. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/percursos/article/view/19485. Acesso em: 25 jan. 2022.