O imaginário político-ambiental brasileiro na dobra do regime colonial capitalístico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724621472020197

Resumo

O presente artigo teve como objetivo central cartografar os discursos que orientaram as formas de acumulação do capital durante o Brasil colônia, bem como os discursos que orientam a atual fase do capitalismo, em sua dobra colonial-capitalística. Para satisfazer tal objetivo, utilizou-se do método cartográfico. Nesse ínterim, resgataram-se escritos que documentam o trato com a natureza durante o Brasil colônia, intentando demonstrar que o discurso ensejado neste período retorna, sob as bases políticas e econômicas do inconsciente colonial-capitalístico do presente, sob a chancela da crise econômica. Para cartografar as bases desse segundo momento histórico do imaginário político-ambiental brasileiro, integram os resultados e análises desse ensaio os discursos emitidos por chefes de estado dos últimos mandatos (governo Dilma/Temer/Bolsonaro), veiculados nas instâncias midiáticas. Na análise de tais dados buscou-se demonstrar a construção do que fora chamado de dispositivo negacionista.

Palavras-chave: Dispositivo negacionista. Capital. Crise econômica.

Biografia do Autor

Adalberto Ferdnando Inocêncio, Universidade Estadual de Maringá – UEM

Doutor em Ensino de Ciências pela UEL. Professor da Universidade Estadual de Maringá – UEM.

Referências

ACSELRAD, Henri. Ambientalização das lutas sociais: o caso do movimento por justiça ambiental. Estudos Avançados, São Paulo, v. 24, n. 68, p. 103-119, 2010.

AGAMBEN, Giorgio. Arqueologia da obra de arte: conferência de Giorgio Agamben em Scicli, Sicília, 06 ago. 2012. Disponível em: http://flanagens.blogspot.com/2012/11/arqueologia-da-obra-de-arte.html. Acesso em: 18 maio 2016.

BARROS, Laura Pozzana de; KASTRUP, Virgínia. Cartografar é acompanhar processos. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓSSIA, Liliana da. Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015. p. 52-75.

BARRUCHO, Luis. Demissão de chefe do Inpe é ‘alarmante’, diz diretor de centro da Nasa. BBC News, São Paulo, 07 ago. 2019. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-49256294. Acesso em: 12 jan. 2021.

BOLSONARO diz ter falado para Merkel que Brasil é alvo de ‘psicose ambientalista’. G1, São Paulo, 29 jun. 2019a. Disponível em: https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/06/29/bolsonaro-diz-ter-falado-para-merkel-que-brasil-e-alvo-de-psicose-ambientalista.ghtml. Acesso em: 12 jan. 2021.

BOLSONARO reorganiza ministério e “esvazia” pasta do meio ambiente. UOL, São Paulo, 02 jan. 2019b. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2019/01/02/bolsonaro-redistribui-ministerio-e-esvazia-pasta-do-meio-ambiente.htm. Acesso em: 12 jan. 2021.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental. O que o brasileiro pensa do meio ambiente e do consumo sustentável: pesquisa nacional de opinião: principais resultados / Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental. – Rio de Janeiro: Overview, 2012.

BRAZIL'S new foreign minister believes climate change is a Marxist plot. The Guardian, Reino Unido, 15 nov. 2018. Disponível em: https://www.theguardian.com/world/2018/nov/15/brazil-foreign-minister-ernesto-araujo-climate-change-marxist-plot. Acesso em: 12 jan. 2021.

BRÜGGER, Paula; ABREU, Elise; CLIMACO, João Victor. Maquiagem verde: a estratégia das transnacionais versus a sustentabilidade real. In: GUIMARÃES, Leandro Belinasso; BRÜGGER, Paula; SOUZA, Suzani Cassiani; ARRUDA, VERA Lícia Vaz de (orgs.). Tecendo subjetividades em educação e meio ambiente. Florianópolis: NUP/CED/UFSC, 2003. p. 159-170.

BRUM, Eliane. Esquerda, direita e o embargo da memória: como no Brasil atual o original e o realmente novo são silenciados para que os discursos viciados possam ser mantidos para ocupar o poder. El País, Brasil, 26 fev. 2018. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/02/26/opinion/1519658924_002382.html. Acesso em: 12 jan. 2021.

CALIXTO, Bruno. O desmanche ambiental do governo Temer: para ganhar apoio no congresso, o presidente sacrifica salvaguardas ambientais do país, acelerando retrocesso dos últimos anos. Época, São Paulo, 01 set. 2017. Disponível em: https://epoca.globo.com/ciencia-e-meio-ambiente/blog-do-planeta/noticia/2017/09/o-desmanche-ambiental-do-governo-temer.html. Acesso em: 12 jan. 2021.

CENTELHA, Coletivo. Ruptura. São Paulo: n-1 edições, 2019.

CRESPO, Samyra; LEITÃO, Pedro. O que o brasileiro pensa da ecologia. Rio de Janeiro: MAST/Cetem/Iser, 1993.

DANOWSKI, Déborah; VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Há mundo por vir?: ensaio sobre os medos e os fins. 2. ed. Florianópolis: Ed. Desterro: Cultura e Barbárie: Instituto Socioambiental, 2017.

DEAN, Warren. A ferro e fogo: a história e a devastação da mata atlântica brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia 2. São Paulo: Editora 34, 2011. v. 1.

DEROSA, Cristian. Bolsonaro causa pânico entre ambientalistas da ONU. Estudos Nacionais, São Paulo, 21 ago. 2018. Disponível em: http://estudosnacionais.com/brasil/bolsonaro-causa-panico-entre-ambientalistas-da-onu/. Acesso em: 12 jan. 2021.

DESMATAMENTO cresce 36% no período eleitoral. Observatório do clima, Brasil, 16 out. 2018. Disponível em: http://www.observatoriodoclima.eco.br/desmatamento-cresce-36-no-periodo-eleitoral/. Acesso em: 12 jan. 2021.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Sobrevivência dos vaga-lumes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

DOMINGOS, João; MOURA, Rafael Moraes. O Estado de São Paulo, São Paulo, 05 abr. 2012. Disponível em: http://ciencia.estadao.com.br/noticias/geral,pessoas-contrarias-a-hidreletricas-na-amazonia-vivem-fantasia-diz-dilma,857484. Acesso em: 12 jan. 2021.

FALA de Bolsonaro sobre queimada na Amazônia é ‘irresponsável’ e ‘leviana’, dizem ambientalistas. G1, São Paulo, 21 ago. 2019. Disponível em: https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/08/21/fala-de-bolsonaro-sobre-queimada-na-amazonia-e-irresponsavel-e-leviana-dizem-ambientalistas.ghtml. Acesso em: 12 jan. 2021.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Foucault e a análise de discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, n. 114. p. 197-223, novembro/2001.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Trabalhar com Foucault: arqueologia de uma paixão. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012.

FONTES, Virgínia. David Harvey: espoliação ou expropriação? Há “lado de fora” do capital? Revista Direito e Práxis, Rio de Janeiro, v.8, n.3, p.2199-2211, 2017.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. 22. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2012.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013.

FOUCAULT, Michel. Sobre a História da Sexualidade. In: MACHADO, Roberto (org.). Microfísica do poder. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015. p. 363-406.

FUTURO ministro é condenado e tem direitos políticos suspensos. Exame, São Paulo, 20 dez. 2018. Disponível em: https://exame.abril.com.br/brasil/futuro-ministro-ricardo-salles-e-condenado-por-improbidade-administrativa/. Acesso em: 12 jan. 2021.

GONÇALVES, CARLOS WALTER PORTO. Os (des)caminhos do meio ambiente. 14. ed. São Paulo: Contexto, 2008.

GUIMARÃES, Leandro Belinaso. O educativo nas ações, lutas e movimentos de defesa ambiental: uma história de descontinuidades. 1998. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1998.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 14. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1981.

LATOUR, Bruno. Diante de Gaia: oito conferências sobre a natureza no Antropoceno. São Paulo: Ubu Editora, 2020.

MARTINEZ, Paulo Henrique. História ambiental no Brasil: pesquisa e ensino. São Paulo: Cortez, 2006.

MORENO, Camila. As roupas verdes do rei: economia verde, uma nova forma de acumulação primitiva. In: DILGER, Gerhard; LANG, Miriam; PEREIRA FILHO, Jorge (orgs.). Descolonizar o imaginário: debates sobre pós-extrativismo e alternativas ao desenvolvimento. São Paulo: Fundação Rosa Luxemburgo, 2016. p. 256-295.

ODUM, Eugene; BARRETT, Gary. Fundamentos de ecologia. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

O GOVERNO não pode e não vai concordar com minorias com projetos ideológicos irreais. O Estado de São Paulo, São Paulo, 12 mai. 2013. Disponível em: http://alias.estadao.com.br/noticias/geral,o-governo-nao-pode-e-nao-vai-concordar-com-minorias-com-projetos-ideologicos-irreais-imp-,1031015. Acesso em: 12 jan. 2021.

OLIVEIRA, Cida de. Cientistas desmentem Bolsonaro: desmatamento recorde aumentou queimadas. Rede Brasil Atual, São Paulo, 16 nov. 2019. Disponível em: https://www.redebrasilatual.com.br/ambiente/2019/11/cientistas-desmentem-bolsonaro-desmatamento-recorde-aumentou-queimadas/. Acesso em: 12 jan. 2021.

PASSOS, Eduardo; BARROS, Regina Benevides. A cartografia como método de pesquisa-intervenção. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓSSIA, Liliana da. Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015. p. 17-31.

PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓSSIA, Liliana da. Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015.

PRADO JR., Caio. Formação do Brasil contemporâneo. 11. ed. São Paulo: Brasiliense, 1971.

REIGOTA, MARCOS. Ecologia, elites e intelligentsia na américa latina: um estudo de suas representações sociais. São Paulo: Annablume, 1999.

REIGOTA, MARCOS. A floresta e a escola: por uma educação ambiental pós-moderna. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

ROLNIK, Suely. Esferas da insurreição: notas para uma vida não cafetinada. São Paulo: N-1 edições, 2018.

SAMPAIO JUNIOR, Plínio de Arruda. Crônica de uma crise anunciada: crítica à economia política de Lula e Dilma. São Paulo: SG-Amarante, 2017.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Sobre o autoritarismo brasileiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

TRIGUEIRO, André. E o “verde”, como fica? G1, São Paulo, 05 jan. 2015. Disponível em: http://g1.globo.com/natureza/blog/mundo-sustentavel/post/e-o-verde-como-fica.html. Acesso em: 12 jan. 2021.

TUROLLO JR., Reynaldo; ESTARQUE, Marina. Bancada da lama barra ações para melhorar segurança em barragens. Folha de São Paulo, São Paulo, 03 fev. 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2019/02/bancada-da-lama-barra-acoes-para-melhorar-seguranca-em-barragens.shtml?fbclid=IwAR0iMbO5YMOsc3xpPMcotx5aMhNlMvM9DNUZk4fcMsqaCO1-V2HECbSzCRQ. Acesso em: 12 jan. 2021.

Downloads

Publicado

2021-01-28

Como Citar

Ferdnando Inocêncio, A. (2021). O imaginário político-ambiental brasileiro na dobra do regime colonial capitalístico. PerCursos, 21(47), 197 - 226. https://doi.org/10.5965/1984724621472020197

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua