Considerações sobre a teoria, poética e análise da música antiga

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530405032020047

Resumo

A teoria musical, como categoria de pensamento sobre a música, constitui-se historicamente como conceito representativo das formas consideradas válidas de se conhece-la, diretamente condicionado pela cultura que o produz. No contexto da música antiga, esse conceito esteve associado a outros, tais como a poética e a prática musical, que definiam, conforme finalidades específicas, as possibilidades de realização e compreensão da música. Partindo de uma perspectiva hermenêutica, à maneira de um estudo de caso, este artigo apresenta uma investigação sobre o conceito de teoria musical no contexto específico da música luterana seiscentista e avalia a relação dele com os conceitos de poética e análise musical, no marco do tratado intitulado Musica Poetica (1606), de Joachim Burmeister.

Biografia do Autor

Cassiano Barros, Universidade do Estado de Santa Catarina - Udesc/Estágio de Pós-doutorado

É bacharel (Regência e Cravo), mestre e doutor em Música pela Universidade Estadual de Campinas – Unicamp. Tem experiência na docência no ensino superior, na formação de músicos e professores de música. Dedica-se principalmente ao ensino e à pesquisa, com ênfase nas áreas da Musicologia, História da Teoria Musical (poéticas antigas e retórica musical), Regência e Educação Musical. Atualmente, desenvolve projeto de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade do Estado de Santa Catarina – Udesc, com apoio da Capes. É autor do livro Uma chave para a música do século XVIII, publicado pela Editora Appris em 2019.

Referências

s. a. Retórica a Herênio. São Paulo: Hedra, 2005.

ARISTÓTELES. Ética a Nicómaco. Madrid: Alianza Editorial, 2005.

ARISTÓTELES. Metafísica. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

BARBOSA, Luciane Muniz Ribeiro. Estado e Educação em Martinho Lutero: a origem do direito à educação. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 144, p. 866-885, Dec. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742011000300012&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 10 Abr. 2020.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2007.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: Difel, 1989.

BURKE, Peter. Uma história social do conhecimento I – de Gutenberg a Diderot. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

BURMEISTER, Joachim. Musical Poetics. New Haven and London: Yale University Press, 1993.

BUTT, John. Music Education and the Art of Performance in the German Baroque. Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

CAMBI, Franco. História da Pedagogia. São Paulo: Fundação Editora da Unesp, 1999.

CHRISTENSEN, Thomas. Music Theory and its histories. In: HATCH, Christopher; BERNSTEIN, David W. Music theory and the exploration of the past. Chicago: The University of Chicago Press, 1993. pp. 9-39.

CHRISTENSEN, Thomas (ed.). The Cambridge History of Western Music Theory. Cambridge: Cambridge University Press, 2002.

ECO, Umberto. Arte e beleza na estética medieval. Rio de Janeiro: Editora Record, 2010.

FAGUNDES, Claudiberto. De musica: diálogo filosófico de Agostinho de Hipona (354-430) – introdução, tradução e notas. 2014. 386p. Tese de Doutorado. Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

GADAMER, Hans Georg. Verdade e método: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

HANSEN, João Adolfo. Aula magna. s.l.: Zazie Edições, 2019. Disponível em: https://static1.squarespace.com/static/565de1f1e4b00ddf86b0c66c/t/5ccba966ec212d9f4f565f7f/1556851049470/ZAZIE+EDICOES_JOAO+ADOLFO+HANSEN_AULA+MAGA_PEQUENA+BIBLIOTECA+DE+ENSAIOS+2019.pdf. Acesso em: 02 Fev. 2020.

KAHLMEYER-MERTENS, Roberto S. 10 Lições sobre Gadamer. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

LISTENIUS, Nikolaus. Rudimenta musicae. Wittenberg: Georg Rhau, 1534. Disponível em: http://nbn-resolving.de/urn:nbn:de:gbv:3:1-159413. Acesso em: 30 Abr. 2020.

LISTENIUS, Nikolaus. Musica. Wittenberg: Georg Rhau, 1537. Disponível em: https://www.loc.gov/item/41018759. Acesso em: 28 Abr. 2020.

LUCAS, Mônica. Emulação de retóricas clássicas em preceptivas da musica poetica. Opus, Porto Alegre, v. 20, n. 1, p. 71-94, jun. 2014.

LUTERO, Martim. Da autoridade secular. São Leopoldo/RS: Sinodal, 2017a.

LUTERO, Martinho. À nobreza cristã da nação alemã acerca da reforma do estamento cristão. In: LUTERO, Martinho. Martinho Lutero: uma coletânea de escritos. São Paulo: Vida Nova, 2017b. pp. 79-92.

LUTERO, Martinho. Prefácio a todos os bons hinários. In: LUTERO, Martinho. Obras Selecionadas – volume 7 – vida em comunidade. São Leopoldo/RS: Editora Sinodal, 2016. pp. 483-484.

LUTERO. Martinho. Aos Conselhos de Todas as Cidades da Alemanha para que criem e mantenham escolas cristãs. In: LUTERO, Martinho. Obras selecionadas – volume 5. São Leopoldo: Editora Sinodal, 1995. pp. 302-325.

LUTERO, Martinho. Preface to Georg Rhau’s Symphoniae Iucundae. In: LEHMANN, Helmut. Luther’s Works – volume 53 – Liturgy and Hymns. Philadelphia: Fortress Press, 1979.

PEREIRA, Aires Manuel R. dos Reis. A Mousiké: das origens ao drama de Eurípedes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

QUINTILIANO, M. Fabio. Instituicoens Oratorias. Coimbra: Imprensa Real da Universidade de Coimbra, 1788. Disponível em: https://books.google.com.br/books?id=_0UBAAAAMAAJ&. Acesso em: 12 Abr. 2020.

SKINNER, Quentin. As fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Companhia das Letras. 1996.

Downloads

Publicado

2020-12-16

Como Citar

Barros, C. (2020). Considerações sobre a teoria, poética e análise da música antiga. Orfeu, 5(3). https://doi.org/10.5965/2525530405032020047